Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2008

Onde a Lelê se esconde

No blog da Letícia Castro, minha amiga e colega de profissão, vocês lêem a seguinte informação:
Porto Alegre ganhou mais uma opção nesta semana. É a Toca, na esquina das ruas Olavo Bilac com Lima e Silva. A casa concentra cervejas especiais e é, literalmente, a toca da cerveja Coruja, que já era encontrada em alguns lugares como o Zelig e Apolinário, entre outros. Mesas para casais e grupos ao ar livre ou no interior e ainda no balcão com bebidas de diferentes graduações e tamanhos. À noite a iluminação valoriza o verde ao redor e aumenta a sensação de toca.
É nesse lugar que a Lelê se esconde e onde ela me prometeu que irá me levar quando for a Porto Alegre... Mal sabe ela que isso pode acontecer mais cedo do que imagina. Diria até que na sexta-feira que vem! Hua hua hua.
* * *
Fala a verdade: Passo da Felicidade é um nome lindo para uma comunidade. Muito meigo mesmo... Fico imaginando se alguém me perguntasse onde moro e fosse lá eu responderia: "No Passo da Felicidade!"

Codornada

Sabia que deveria ter feito uma listinha... Quando tenho muitas coisas para relatar aqui, acabo esquecendo ou se misturando com as novidades. Enfim, o que lembro apenas é que tinha comentando "an passan" sobre o almoço na comunidade Passo da Felicidade. Isso faz uma semana, já que no último fomos, cheia de ressaca (eu, Silvitcha e Rou) degustar umas codornas.
Nunca tinha comido o bicho, embora oportunidades não tivessem faltado para isso. Confesso que estava um pouco com receio porque dessas carnes, tipo de "caça" eu fico com receio. Talvez seja porque tenha comido tanta capivara e marreco na infância e juventude, que fique com o "pé atrás" até para comer galinha caipira... Mas que nada.
A primeira mordida da coxinha das codornas do Rissi e não parei mais de comer. Uma delícia!!! As bacias de codornadas com alho e óleo, purinhas ou com bacon não paravam de chegar. Para completar uma massa caseira e polenta frita com queijo, ai... Até aquela salada amarga,…

Formatura da Hast West

Como sempre, acertei no meu pressentimento. Foi tudo de bom à noite de formatura dos alunos da Half West, Escola de Informática em Arroio Trinta. A Muriel e o Vanderson estão de parabéns pela cerimônia, jantar e até baile, organizado para os alunos e familiares. Deu para perceber o carinho que eles têm pela comunidade e a satisfação dos alunos e da família pela conclusão dos cursos.

De lambuja eu ganhei o presentão. Um final de semana diferente e bem típico do interior; onde as pessoas são empenhadas e comprometidas em seus sonhos, envolvendo quem está em torno. Eu só lamento que isso não é o perfil de todos os interioranos, mas só das pessoas de bem, como o casal aí de cima. Os dois têm objetivos de vida e de acordo com a dedicação com que fazem tudo, qualquer coisa que almejarem vai bombar.

E não é bajulação não! O evento da escola foi preparado para recepcionar 150 pessoas no máximo, mas a expectativa era de fossem em torno de 120. Gente, a festa deu tão boa que tinham 173 pessoas. C…

Imprensa na tragédia de SC

Jornalista conta dificuldades da cobertura dos temporais em Santa Catarina
Sérgio Matsuura, do Rio de Janeiro

“Logo que chegamos, fomos para um abrigo e as histórias trágicas começaram a aparecer. A primeira foi a do Juliano. Ele contou que no momento do desabamento estava segurando a mulher com uma mão e a filha com a outra. Ele não aguentou e teve que soltar a mulher, mas aconteceu um outro desabamento que levou a filha também. Ele disse um frase que me chocou muito: 'em um minuto eu perdi as duas'. Isso é o que a gente está cobrindo todos os dias. Acordo às 6h da manhã e vou dormir à 1h, ou mais tarde”.
Esse é o depoimento do jornalista Eduardo Nunomura, enviado especial de O Estado de S.Paulo para cobrir os temporais em Santa Catarina. Para fazer a informação chegar à casa do leitor, os repórteres se desdobram e vivem, junto com a população das cidades atingidas, as dificuldades causadas pela tragédia. Às vezes, sobrevivem, como foi o caso do fotógrafo que acompanha Nunomura,…

Mar de gente (2)!

Atirei-me ao mar Mar de gente onde Eu mergulho sem receio Mar de gente onde Eu me sinto por inteiro...

De forma alguma eu gosto dos finais de semana em Videira. Sim, tenho que confessar. E digo o por que. Nesses quase 36 meses, nunca usei tanto a Internet como agora. Nunca estive tão sozinha como antes, com poucos amigos em volta, sem aquele mar de gente no entorno. Foi desse jeito que cresci. De repente me vejo numa cidade “nova”, com novas pessoas e lugares para desvendar e paro para analisar se nesse tempo todo eu conheci pessoas e lugares, a resposta é: “bem menos do que poderia, bem menos do que devia, bem menos do que gostaria...”
Antes, minha necessidade em me comunicar com as pessoas era saciada com contato físico, mas agora, meus relacionamentos são todos virtuais e há gente que pense que isso seja o ideal. Que dá para aliar o trabalho, o lazer e as atividades de casa quase ao mesmo tempo. Digo-vos: O ideal um caralho! Eu gosto mesmo é da força do abraço, da verdade ou da mentira n…

Amor, palavra que liberta!

Toda a terça-feira eu ouço a palestra da orientadora espiritual e no final ela pergunta sempre: Quem disse “eu te amo” pelo menos uma vez hoje? E sempre poucas pessoas levantam a mão. Parece cíclico, mas toda a terça-feira eu fico com as mãos abaixadas. O que me conforta é que no final de semana eu sempre digo aos meus pais, que os amo; na segunda escrevo aos meus amigos no Orkut ou pelo MSN que os amo; e mentalmente eu ainda digo que o amo, quase todos os dias. Mas nas terças, quase nunca... Nem para o Shazan, a quem eu digo que amo quase que diariamente (mesmo ele sendo um gato...).

Porém isso não importa. Dias e horas não são relevantes para este sentimento. O que acredito é no amor e nas declarações de amor. E como canta Marisa Monte, baseado nas palavras do Profeta Gentileza: “Amor, palavra que liberta!” Liberta e aprisiona. Eu, no momento me sinto aprisionada dentro de sentimentos conseqüentes a este sentimento maior, mas bem menos dignos. E faço força, sempre, diariamente, para …

Eu, internacional!

Quando eu decido, eu decido e ponto! Agora é certo e derradeiro. Assim como espalhei aos quatro cantos no primário que seria jornalista, agora eu espalho que vou viajar.

Sim, em 2010 vou passar 30 dias fazendo um curso de línguas. Ainda não decidi aonde será meu porto, minha escola. Talvez vá ao Canadá, talvez New York - principalmente se for dezembro -, talvez New Orleans... Terei um ano para programar a minha viagem de estudo, incluindo decidir pelo local.

Espero até lá estar no intermediário no inglês. No mínimo... Já estou até imaginando... Eu, linda e maravilhosa, tirando fotos em frente aos pontos turísticos... Que brega!!! E divertido: Iupi!

S.O.S - SC

Mais de 58 mil desabrigados e desalojados no Estado - Foto DC

Ainda estou horrorizada com os estragos materiais, físicos, emocionais que as chuvas dos últimos dias vêm causando a população barriga verde. Já são mais de 70 pessoas mortas no Litoral Norte e Vale do Itajaí. O Ministério da Defesa Civil está no Estado para ajudar no procedimento de recuperação da chuvarada, auxiliar nos resgates e ainda orientar a população e a sociedade civil organizada.

Ontem à noite, enquanto me preparava para descansar os olhinhos minha mãe ligou, preocupada. Disse-me que ao menor sinal de perigo era para eu deixar a cidade e ir para o lugar mais seguro possível. E para não esquecer de levar a "pochete" junto. Mas a despreocupamos, afinal, estamos melhor agora, que as chuvas pelo Meio-oeste catarinense deu trégua.

Já não poderia dizer o mesmo para a região mais afetada do Estado: Blumenau, Itajaí e região Metropolitana. Está tudo muito triste e destruído! As autoridades estão, inclusive, pedind…

Gentileza Gera Gentileza

Fui visitar o Caurosa no final de semana, assim como faço com vários blogs que estão na lista e fora dela. Mas tem alguns que visito com maior freqüência, que sou assídua. O blog do Carlos é um deles. Foi lá que vi esse selo do projeto Gentileza Gera Gentileza, que é uma ação social, criada para espalhar as mensagens de amor e paz deixadas originalmente por José Datrino, o Profeta Gentileza.
Já conhecia a história do Profeta Gentileza e como boa fã de Marisa Monte, fiz questão de ir saber a quem ela homenageava quando gravou esta música. Bom, vocês vão ler no site, mas vou reproduzir aqui algumas informações do projeto, que foi resgatado por empresários cariocas. A iniciativa quer também trazer de volta valores esquecidos como a solidariedade e o respeito ao próximo, incentivando a adoção de pequenos atos de gentileza, ao alcance de todos nós. A idéia é que, estes pequenos atos, se praticados no dia-a-dia, por uma grande quantidade de pessoas, tenham um efeito multiplicador fantástico…
ando resistindo a idéia de fumar apenas um cigarro.
só um... um carlton. porque afinal, é "um raro prazer!"

A Fórmula do Amor

by Léo Jaime e Leoni

Eu tenho o gesto exato, sei como devo andar
Aprendi nos filmes pra um dia usar
Um certo ar cruel de quem sabe o que quer
Tenho tudo planejado pra te impressionar

Luz de fim de tarde, meu rosto em contra-luz
Não posso compreender, não faz nenhum efeito
A minha aparição será que errei na mão
As coisas são mais fáceis na televisão

Mantenho o passo alguém me vê
Nada acontece, não sei porque
Se eu não perdi nenhum detalhe
Onde foi que eu errei

Ainda encontro a fórmula do amor
Ainda encontro a fórmula do amor

Eu tenho a pose exata pra me fotografar
Aprendi nos livros pra um dia usar
Um certo ar cruel, de quem sabe o que quer
Tenho tudo ensaiado pra te conquistar

Eu tenho um bom papo e sei até dançar
Não posso compreender, não faz nenhum efeito
A minha aparição será que errei na mão
As coisas são mais fáceis na televisão

Eu jogo um charme, alguém me vê
Nada acontece, não sei porque
Se eu não perdi nenhum detalhe
Onde foi que eu errei

Ainda encontro a fórmula do amor
Ainda encontro a fórmula do amor

Alagados

No Sábado, enquanto recebia os amigos para o esquenta, toca o telefone. Era minha irmã, preocupada comigo e dizendo que não deveria viajar por esses dias, porque o Litoral catarinense está alagado. Fiquei pensando: “Ela pensa que Videira é como Porto Alegre, que fica ao lado do Litoral Norte, onde a praia mais perto fica a 40 minutos de casa e a mais longe e última praia do Estado – Torres -, a três horas”.
Porém, só hoje pela manhã, enquanto assistia a Globo News, entendi a real preocupação dela. Santa Catarina toda está alagada. A população não fala mais, apenas coacha. De tanta chuva que assola o Estado, sem dó e nem piedade. Já sabia que o Litoral estava abaixo d’água há uma semana. Afinal, nós mesmos passamos por uns maus bocados por 15 dias seguidos de água pluvial infindável. A situação foi tão crítica em Videira que o prefeito, Carlos Alberto Piva, decretou Situação de Emergência, com base na análise dos engenheiros comissionados, pois não temos Conselho Municipal de Defesa Civ…

Pêra, Maça ou Salada de Frutas?

No Sábado (22), antes de sairmos para nossa aventura noturna, fizemos um esquente aqui em casa. Um churras pocket com bebidinhas para nos por no pique da gravação do DVD da Banda Capitão Mamão (melhor seria se o nome fosse Mamão Papaia). Os caras tocam pop rock, mas eu só sei disso porque no depois do almoço no interior, de Domingo (23), li no adesivo do carro do vizinho mais arrogante que já tive em toda a minha vida, que esse era o estilo musical dos caras. E mais, que eles eram uma banda de universitários em Sampa.
Ora! Desde que me conheço por gente que já sei que banda universitária nunca fez sucesso nacional, sem antes já ser consagrados na própria cidade e estado, além de ter uns bons álbuns gravados e no trabalho nacional há anos. Ta, sem enrolar, a tal de banda foi o maior engodo. Pra começar eu deveria ter sacado já quando não tinha ouvido nenhum comentário pela cidade sobre a tal gravação do DVD, depois, quando a SIlvitcha me falou que a gente ia porque havíamos combinados …
Às vezes, enquanto caminho pelas ruas, sob o embalo de músicas no meu MP3, me vem na lembrança momentos que me fazem sorrir. Daqueles tipos que depois trazem a saudade, de situações que dificilmente se repetirão, porque tem pessoas que não fazem mais parte do meu cotidiano. Infelizmente... Que fiquem as lembranças então e depois, nem elas!

Visitantes!

Sempre fico curiosa para saber quem está on line ao mesmo tempo em que estou postando aqui no Cor de Rosa. Às vezes dá para saber quem é depois de verificar que houve um "comments", mas a maioria das vezes é um visitante silencioso.
Na semana passada, 36 pessoas passaram por aqui no mesmo dia e 9 estavam on line junto comigo. 36! É um número expressivo demais. Adorei saber... E agora graças ao meu big contador, tenho estatísticas, dados comparativos, relatórios e tudo mais sobre os visitantes. Talvez até a contagem seja por IP. Ainda não sei.
Mas este breve post é para dizer que ontem, há pouco menos de 30 minutos, este blog teve 139 acessos. Nossa, nunca imaginei que podessem haver tantas entradas assim por aqui. Fiz também uma projeção. Tirando nove entradas minhas (exagerando) sobram 130. Desse número eu retiro a metade, pois vá que a mesma pessoa tenha entrado duas vezes ao dia... Então ficam 65 pessoas, que menos a Rô, que veio e deixou comments, adoram saber da desgraça…

Bê-A-Bá

Desde pequena eu sonho em ter uma ONG. Uma organização voltada a ajudar as crianças carentes e de rua. Queria acabar com a infelicidade e a pobreza entre os anjos da terra. Mas então fui crescendo e percebendo que isso era uma ilusão. Que não poderia irradicar a miséria, a fome, a tristeza, as dificuldades, a falta de oportunidades e de educação na vida desses pequenos seres.

Com o tempo desenvolvi o desejo de participar de alguma insituição como voluntária, mas nunca me identifiquei profundamente com nenhuma para que me dedicasse. Depois, tinha que ser com crianças, no máximo adolescentes. Mas os jovens me cansam rápido. Muito mais do que as crianças, cujo o cansaço é apenas físico e não intelectual como no caso dos maiores. É que reviver o processo juvenil me entedia muito e interferir na experiência dessa galera nem pensar, mas isso não quer dizer que tenha que fazer parte do cotidiano dos jovens, revivendo todas as dúvidas e situações comuns em que todos vivemos nessa fase.

Quando c…

Humores

Sabe o bom de ter transtorno de humor?

É quando se acorda triste, pensando na vida inserida nesse Mundo, às vezes de solidão, com o coração pesado de lembranças dolorosas; e, de repente, no instante seguinte, tudo parece maravilhoso.

Claro, isso depois de alguns minutos de lágrimas, que parecem lavar a alma e todos os males desse Mundo já falado...

Viva Zumbi dos Palmares

Hoje é feriado em algumas capitais e cidades brasileiras. Poucas ainda, mas é feriado e lembra a morte de Zumbi dos Palmares - no ano de 1695. Zumbi foi um dos líderes do Quilombo dos Palmares, o mais conhecido núcleo de resistência negra à escravidão no Brasil. Segundo cronologia publicada no site da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Palmares surgiu a partir da reunião de negros fugidos da escravidão nos engenhos de açúcar da Zona da Mata nordestina, em torno do ano de 1600. Eles se estabeleceram na Serra da Barriga, onde hoje é o município de União dos Palmares, em Alagoas. Ali, devido às condições de difícil acesso, puderam organizar-se em uma comunidade que, estima-se, chegou a reunir mais de 30 mil pessoas.

Muitos dos quilombolas eram índios e brancos pobres, segundo o site da Fundação Joaquim Nabuco, outro órgão federal, com sede em Recife. Nabuco foi expoente do movimento abolicionista. "A vida de Zumbi, o rei do Quilombo dos Palmare…

Atitude

Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
- Bom: acho que vou trançar meus cabelos hoje.
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso. No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.
- Hummm, acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje.
Assim ela fez e teve um dia magnífico. No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
- Bem (ela disse), hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.
Assim ela fez e teve um dia divertido. No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.
- Yeeesss (ela exclamou)! Hoje não tenho que pentear meu cabelo.
Atitude é tudo! Seja mais humano e agradável com as pessoas. Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha. Pense nisso e tenha um um bom dia.

O Centro

Há alguns meses converso com a Jana Cabeluda sobre os trigêmeos. Os meus trigêmeos. Porque dos dela sei que são mais de um apenas. Enfim, para evitar um procedimento cirúrgico eu faço de tudo e acreditando. Ainda mais se houver ligação espírita.
Então lembrei que uma vizinha havia feito uma cirurgia pelo espaço para corrigir uma deficiência visual. Ela disse que usava lentes fundo de garrafas a infância dela todinha e aos 18 anos, a Eliane fez três procedimentos espirituais. E depois passou a usar lentes de contatos. O pai da Jana também fez, mas foi pelo Centro Tupiara, no Rio de Janeiro. No caso dele o procedimento espírita estabilizou o seu estado de saúde, não agravando seu quadro. Então ele seguiu com seu tratamento pela medicina tradicional.
Desde que descobri sobre os trigêmeos, em 2006, evito ter que me submeter a uma cirurgia. Minha médica disse que é super segura e de fácil recuperação, ideal para quem ainda não tem filhos como eu. O único problema é que depois de tantas idas …

A festa!

E.Ts se distraem ao esperar pelo táxi para a estação lunar em Observatório

Tudo estaria normal se a gente fosse pessoas normais, claro. Não que veja algo de errado em pessoas alucinantes e alucinadas. Gosto disso! Mas, no meio da minha crise emocional, fico pensando: será que a gente não está velho demais para tanta gandaia? Nãooooo!
Alguns de vocês não sabem, outros eu contei e alguns poucos visitantes daqui foram na festa. Há uma semana estava organizando, com a contribuição do Ervilha, um jantar com a imprensa local. Eu já sabia, mas tinha esperanças de que fossem mais pessoas e que, essas outras pessoas enchessem a cara, além dos mesmos de sempre. Ledo engano. Que bom! Porque estava divertido mesmo assim e sim, minha ressaca parece que será eterna... Mesmo assim, decidi tomar uma taça de bordô agora à noite para aquecer essa noite primaveril e manter os operários em plena atividade mental.
Pois como ia dizendo, o Jantar Ho Ho Ho da Imprensa teve um quórum discreto, mas suficiente par…

+ presente

Gente, vocês não imaginam o quanto fiquei surpresa e feliz de ter recebido o selo Um Blog de Ouro. Surpresa porque freqüento o lar da Jamille (link ao lado) a pouco tempo e nunca imaginei que ela viesse seguido aqui no Cor de Rosa. Feliz, porque a guria acredita que este espaço valha ouro! Ah, que delícia...
Obrigada. Desde que soube que havia sido presenteada com um selo tão lindo, meu sorriso fica lá nas orelhas. Vai para a galeria, certo!!!

Dá o tapa e esconde a pata!

Assim é o baby, o gato mais lambão que já tive, o mais temperamental, o mais sapeca, o mais dorminhoco, comilão, piolhento, peludo e chorão, entre outros 500 adjetivos que possam conceituá-lo como pior da espécie. Mesmo assim, eu o amo! Ele é meu companheiro, confidente e minha experiência materna. Afinal, mãe de gato, gatinha é, ha ha ha.
Pois então, já faz tempo que estou para falar dele aqui. O gato é muito manhoso. Ele vive suspirando pelos cantos e isso é a mais pura verdade. Quando a coisa não está divertida, ele fica enfadado. E quando a rua não o contenta, ele entra em casa, cedo da noite (por volta das 23h30) e vai para a almofada dele. Mas não sem antes passar na área de serviço, dar uma comidinha, ir ao banheiro e exigir que a torneira cuspa água para ele tomar e, claro, depois de seus suspiros de insatisfação. Sim, ele suspira e em alto e bom som.
Porém, hoje, ele foi ousado demais. Entrou em casa para saudar a mamy e a tia Silvia, correu pela casa e pum! Algo se foi ao chão…

Eu só quero chegar até os 85...

Idosa festeja seu centenário fumando, bebendo e comendo gorduras
Toucinho, torresmo e morcilha são as preferências de Olívia Franco da Silva

Letícia Duarte - leticia.duarte@zerohora.com.br

Com um cigarro na mão direita e um copo de cerveja preta na outra, Olívia Franco da Silva desafia todos os protocolos de saúde. É sem abrir mão de hábitos politicamente incorretos que ela pretende festejar seus cem anos, hoje, em Alvorada. No jantar em que dançará a valsa do centenário, com um vestido azul alugado para a ocasião, também não faltarão suas comidas prediletas: toucinho, torresmo e morcilha. Os médicos e a família tentam convencê-la a moderar. Olívia não se intimida. Fuma uma carteira de cigarro a cada três dias, não recusa uma cervejinha, nem pensa em trocar carne gorda por sopinhas. Apesar do mau exemplo que a torna exceção, não tem doença aparente, sequer alteração de colesterol.
– Agora que tenho essa idade, ninguém me governa mais. A gente vai fazer o que se não aproveitar a vida? – pr…

Indiferença

Tudo é veneno.
Não há nada que não seja veneno.
O que difere o veneno do fármaco é a dose.
(Paracelsus)





Essa frase tão sábia eu captei do blog da Jamille. Nunca tinha ouvido falar desse cara, que nada mais ou menos foi do que médico, filósofo, alquimista, químico, astrólogo. Coisa pouca! E como não poderia deixar de ser, com um nome pomposo pacas: Philippus Aureolus Theophrastus Bombast von Hohenheim, o Paracelsus ou Paracelso. É! O blog da Jamille além de lindo e emotivo também é cultura.
Bom, o fato é que li essa fala do Paracelsus lá e séculos depois ela é praticada de forma consciente ou inconscientemente pelas pessoas. Afinal, tudo que fazemos ou dissemos, dependendo da dose, é veneno ou fármaco. Eu sei disso. Minha indiferença é assim. Puro veneno...
Já não sei se inconsciente ou consciente, mas sou assim. Não sei medir, ponderar nessas circunstâncias e não é algo que quisesse manter ou querer do fundo do coração, pelo contrário. A indiferença me magoa tanto mais a mim do que a quem…

curtas e desejos da semana

* passei todos os dias da semana tendo vontade de fumar

# estou com medo de fazer meu orçamento e perceber que nada vai sobrar do meu 13, que ainda nem recebi

@ comprei uma poltrona para usar junto ao computador (sim, exercito meu consumismo quando estou deprimida ou triste)

$ quero me presentear com um celular novo de Natal (se sobrar dinheiro do 13, claro)

+ estou assustada com a proximidade do final do ano

& tudo continua igual no campo emocional

% queria sumir por uma semana, sozinha, para uma praia paradisíaca cheia de entretenimentos naturais (homens bonitos) e culturais

= como adoro festas, decidi que este ano quero uma de Natal. mamãe Noel não poderá recusar esse pedido, afinal, não dou festinhas há milênios!

? engordei um quilo. pensei que com a natação eu fosse manter o peso. putz! ledo engano...

> hein?!

Amor, Amor

Madrugada
Azul, sem luz
Dia de brinquedo
Linda assim me veio
E eu me entreguei


Inocente(mente)
Como um selvagem
Como o brilho esperto
Nos olhos de um cão


Amor, amor
Diz que pode, depois morde
Pelas costas sem querer
Amor, amor
Assim como um leão caçando o medo


Meu caminho nesse mundo, eu sei
Vai ter um brilho incerto e louco
Dos que nunca perdem pouco
Nunca levam pouco
Mas se um dia eu me der bem
Vai ser sem jogo


Amor, amor
Fiel me trai, me azeda
Me adoça e me faz viver.


Amor, amor
Eu quero só paixão
Fogo e segredo





Bete BalançoQuem, nascido na década de 60 e 70 que não assistiu Bete Balanço (1984)? Pois era um dos meus filmes preferidos da adolescência, entre O Bebê de Rosemary, Menino do Rio e o clássico O Vento Levou. Aos amantes do cinema nacional esse deve ter tido a bilheteria estourada. Ou não. Para uma arte que aceitou pornochanchadas como estilo laboratório e contra-censura; e ainda teve o como pai da sétima arte brasileira Glauber Rocha, pode não ter sido um filme bacana.
Mas, para mim, Bete Balanço…

Porto Alegre in concert

Vocês já sabem que tenho tido uma forte vontade de voltar para Porto Alegre. Fico ouvindo os prós e contras que se formam em meus pensamentos há tempos. A idéia está em construção, mas na verdade o que falta é coragem.
Hoje em dia já não tenho contras estruturais a idéia de permanecer em Videira. Já estou adaptada a infra-estrutura da cidade - que não vai mudar só porque minhas referências são outras – e os meus pré-requisitos estão sendo atendidos. Ou seja, já me sinto a vontade com o que a cidade oferece e com a cultura dos nativos. Para completar, tenho ampliado meu círculo de amizade com pessoas queridas e sem a menor pretensão ou interesse, além do riso fácil, da harmonia e do bem-estar. Com pessoas que lembram de ti pelo que elas percebem do seu ser. Isso é importante para mim.
Os relacionamentos sociais sempre foram importantes para mim, assim como o trabalho. Isso é o que está pesando agora. Eu sempre faço uma análise pessoal e profissional quando faço aniversário e no ano novo.…

Meme

Eu adoro meme's. Se todos forem sinceros no momento de responder os seus, muita coisa pode ser descoberto através deles, a respeito da personalidade de cada blogueiro. Sei, sei... Parece que estou viajando, mas não.

O meme de hoje, Meu Enxoval Sexy, recebi da Nanda - Luz dos Olhos. Minha amiga virtual querida e blogueira exemplar. É dela também que tive acesso a oração aí de baixo. Aliás, adoto muitas idéias dela e da Fê, do Degustação Íntima - antes postas em prática, mas a maré anda baixa comigo. Ele teve origem por outro blogueiro, claro, que de tanto ir a chás de panelas e coisa e tal, no meio da micagem com a noiva, surgiu a idéia de fazer a listinha sexy.

Desta vez vou fazer diferente. Irei responder ao Meme e deixar em aberto para todos que visitam este espaço. Quem quiser, pode perpetuar a corrente e revelar um pouco mais de si e suas fantasias, a vontade. Eu deixo!

Meu Enxoval Sexy

- Conjuntos de lingerie rendados e nas cores mais estranhas possíveis (adoro!)
- Baby dolls
- Sh…

Oração...

...do viciado em internet

Satélite nosso que esta no céu
Acelerado seja o vosso link
Venha a nós o vosso texto
Seja feita a vossa conexão
Assim no virtual como no real.

O download nosso de cada dia nos dai hoje
Perdoai o chimarrão sobre o teclado
Assim como nós perdoamos os nossos provedores.

Não nos deixeis cair a conexão
E livrai-nos de todos os vírus

Amém

Barack Husseim Obama: a vitória do novo

Nascido no Havaí há 47 anos, de mãe branca e pai negro do Quênia, Barack Husseim Obama chega à presidência do país mais poderoso do mundo

Memélia Moreira de Orlando (EUA) - Brasil de Fato

"Não sou um candidato negro. Sou senador do Estado de Illinois disputando a presidência dos Estados Unidos da América." Com essa resposta, dita há cerca de 18 meses, Barack Husseim Obama começou a trilhar o caminho da vitória nas urnas. Foi naquele momento, quando um jornalista (branco) que lhe perguntara sobre significado da candidatura de um negro, num país de brancos que ele traçou o perfil de uma candidatura que continha todos os ingredientes para se tranformar em mais uma disputa étnica. E assim se impôs também diante dos negros que, tão racistas quanto os brancos, pretendiam ir à forra com a possibilidade de vitória de Obama.
Nascido no Havaí há 47 anos, de mãe branca e pai negro do Quênia, Barack Husseim Obama, do Partido Democrata e representante de Illinos no Senado vem fazendo histór…

Série meiga! (5)

Pra relaxar o ambiente... He he he

Passou, Passou!

Ta, tudo bem! Estou assustando os amigos... Mas não é para tanto assim. Foi somente uma crise emocional ou sou bipolar mesmo (é chique hoje em dia...), que veio e já passou, passou.
Ontem, por exemplo, depois de mandar uma mensagem para a Betty Boop, a 1 hora da manhã (se tivesse crédito eu ligava, juro!), dormi feito um anjinho de asas curtas. Como o Nelson Rodrigues, que recebeu a alcunha de Anjo Negro. Acordei quatro horas depois para abrir a porta do quarto para o safado e boêmio do meu gato encher o panção e depois às 7, quando relutei até às 7h22 e pulei da cama para que não me atrasasse para a aula de natação matinal.
Chorar faz bem gente. A tristeza eu não digo, chorar é um ato de alívio. Estranho sempre quando vejo que as pessoas não sabem lidar com lágrimas. Eu choro por vários motivos: vendo um comercial tevê, assistindo a um filme, de rir, mas rir muito mesmo, de tristeza, de alegria, de alívio e de raiva. Meu choro vem aos dardalhéus por vários motivos. Com a emoção alheia,…

Onde estarão meus sapatos...


Meu lar é onde estão meus sapatos
Meu lar é onde estão meus sapatos
Um pouco em cada pedaço e lugar





Nos últimos dias eu tenho me sentido assim; como esta música de Sá e Guarabira. “Meu lar é onde estão meus sapatos. Um pouco em cada pedaço e lugar”. Talvez seja a proximidade do Natal e Reveillon e aquele lance de sanar a saudade da família, buscar consolo com os velhos (e sábios), rever amigos, ficar emotiva pela proximidade do aniversário de Cristo e aquele lance todo de perdoar e ser perdoado. De amar e ser amada. E os presentes? Apenas desculpa para se manter próximo de quem se ama por meio de objetos que são dados com este claro intuito...

Hoje eu troquei a folhinha do calendário e fiquei chocada. Novembro... E em menos de 60 dias está o Natal e a virada do ano. E depois de janeiro e do carnaval, vem o período de volta às aulas, novos projetos, perspectivas, dificuldades, vitórias... Tudo de novo! Mas o amanhã não me preocupa tanto quanto o hoje, o agora... Ontem, p…

Um dia de Saci*

O dia 31 de outubro foi especial para Rita Silveira, 38 anos. Ela havia saído de casa para comprar um presente para o filho. “Ele tinha visto nas Americanas a propaganda do haloween e ficou chorando porque queria um brinquedo. Eu não tinha dinheiro, então, hoje, vim comprar”. Só que, antes de chegar na loja, Rita viu um enorme Saci que fumegava seu cachimbinho em plena Felipe Schmidt , principal rua de Florianópolis. Ela parou, conversou com os trabalhadores da Universidade Federal de Santa Catarina – que promoveram o Dia do Saci e seus amigos – e desistiu da compra. Voltaria para casa com um broche do Saci, o panfleto, e contaria ao filho Júlio a história do molequinho brasileiro que – ela havia esquecido – já encantara sua própria infância.
O dia nacional do Saci Pererê e seus amigos é uma idéia que anda vicejando por todo o Brasil. Nasceu para se contrapor à invasão cultural das bruxas do haloween, festejo típico dos Estados Unidos em que as crianças saem fantasiadas de demônios, br…

Mais ou Menos

Um palestrante entrou num auditório para proferir uma palestra e, com surpresa, deu com o auditório vazio. Só havia um homem sentado na primeira fila. Desconcertado, o palestrante perguntou ao homem se devia ou não dar a palestra só para ele. O homem respondeu:
- Sou um homem simples, não entendo dessas coisas. Mas se eu entrasse num galinheiro e encontrasse apenas uma galinha para alimentar, eu alimentaria essa única galinha.
O palestrante entendeu a mensagem e deu a palestra inteira, conforme havia preparado. Quando terminou, perguntou ao homem:
- Então, gostou da palestra?
O homem respondeu:
- Como eu lhe disse, sou um homem simples, não entendo dessas coisas. Mas se eu entrasse num galinheiro e só tivesse uma única galinha, eu não daria o saco de milho inteiro para ela.

Nicotina

Nicotina, nicotina, entra no meu pulmão
Corre nas minhas veias, mata o meu coração
Nicotina, nicotina, só me traz frustação
Aí, que cheiro de fumaça tá esse meu blusão


Nicotina, nicotina
Sem ela eu não vivo
Com ela eu sobrevivo
Pelo amor de Deus, me passa um crivo


Hoje é Domingo (2) e mais tarde, quando chegar às 21 horas, completarei os primeiros três dias de novos "ares". Sim, parei de fumar na quinta-feira à noite e até só fumei de forma passiva e psicológicamente, muitas vezes psicológicamente, diria...
Não é difícil. A primeira vez que parei também não, mas confesso que fui mais corajosa e audaciosa. Fiquei vendo, dois maços de cigarros cheios, na cristaleira lá de casa, enquanto sonhava que fumava, enquanto acordava pela manhã e dava aquela vontade. Ou quando comia e após, no início da digestão, vinha aquele desejo de nicotina invandindo o pulmão. E não fumei! Depois de uma semana eu não tinha mais vontade de fumar. Vinte e três dias depois eu não sonhava mais que acendia um ci…