Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Só uma tacinha...

Estou mudando meu paladar para cerveja. Antes, não gostava de skol. Agora eu continuo não gostando e não quero mais tomar. Se puder optar vou escolher outra marca. Outro sabor. Outro tom. Outro cheiro. Assim como para a marca da bebida fermentada do happy hour, também estou tomando a certeza do que quero ingerir para a vida. Cansei do rosa. Eu tenho a paleta de cores em mãos e sou criativa, inteligente e capaz. Posso recriar sempre outros tons e cores.
Vejo, aos poucos, que posso tudo que realmente queira. Que posso mais sempre, a cada novo olhar para o dia que começa. E que agora, é o que realmente quero fazer. Algo novo, para mim, sempre que angustiar ou almejar. Ponto [E viva o clericot!]

De presente em presente...

Não contei pra vocês, mas ainda dá tempo. Olhem os mimos lindos que ganhei de Natal da família. Tem uns que não resistiram, como os bombons que vieram na caixa de presentes do Rio de Janeiro, e a segunda oncinha que estava bemmmmmm embalada sob a árvore natalina das tias. Além do segundo par de sandalhas rasteiras que veio em número menor, mas que troquei com a tia Ica por algo que ainda vou escolher. Que maravilha!
Mas o melhor ainda está por vir. Ganhei um roupão felpudo da tia costureira, cuja cor foi eu mesma que escolhi: Verde musgo. Ela também me deu agulhas e linhas para confeccionar tapetes e peças lindas em crochê. Comecei a produzir um porta trecos para meu escritório improvisado, lá mesmo no interior, sob a orientação dela. Está ficando uma lindeza.
E quando cheguei em Porto Alegre, ainda tive notícias da minha amiga Mimi, que tem mimos guardados pra mim. Ai, adoro!

What?

A criatura está desempregada. De repente decide investir em concursos. Faz das tripas coração para pagar um cursinho ou parcela em 3 vezes as apostilas no cartão de crédito da amiga. Estuda. Economiza a grana para algum imprevisto no domingo, como um atraso ou esquecimento de documentos, que façam pegar um táxi para deslocamento. Ou simplesmente por causa dos horários do ônibus, que não combinam com o do início da abertura dos portões. Então, lá está a graninha para o vermelhinho...
Mas não foi esse o meu caso. Não dessa vez. Estava preparada, bem organizada, era só chegar e fazer a prova, no último domingo. Só que, de última hora, decidi lavar os cabelos. E isso não é 5 minutos. É 15. Mais o banho de 5, lá se foi o tempo para o café da manhã. Deixei o ovo quente para o lanche noturno, já que após o concurso matutino teria um almoço e, à tarde, um aniversário de criança.
Sai de casa correndo, com apenas um Yakult e o comprimido da hipertensão no estômago. Com sono também, embora tive…

É namoro! Mas com o cara certo, por favor...

Quando somos atropelados por um grande amor e deixamos que esse sentimento nos marque publicamente, fica difícil depois desmanchar a má impressão. Ninguém acredita quando eu digo que não amo mais, desesperadamente, aquele que já foi a razão do meu afeto. Sim, eu sei que todos meus amigos têm motivos para desconfiar de mim. Mas não. Não sinto mais amor por ele. É somente amizade.
Pode parecer loucura, mas, não tranco mais a respiração, até ficar roxa de apreensão e sem ar, quando vejo a sua micro foto surgindo no canto da tela do laptop pelo messenger. Também não crio mais expectativas em relação a ele, nem fantasio situações. Deixei de imaginar as conversas com ele, assim como não fico olhando o celular a cada minuto em busca de um torpedo.
O Fausto, meu diário de papel, já não recebe mais seu nome e as chorumelas. Não tenho mais sonhos eróticos com a ex razão do meu afeto. E no primeiro encontro depois do rompimento definitivo, não chorei, não esperniei, nem lembrei dos bons tempos.…

Diário Dietético: meta de 2012

Eu tenho uma nova meta para 2012. Claro! Mas depois das festas de final de ano, estou vendo que não é tão fácil assim cumpri-la. Também... Mesmo assim eu tenho que tentar. Emagrecer um quilo por mês, no mínimo.
Mas mulher é bicho triste mesmo. Além de ter o organismo com um metabolismo mais lento que dos homens - que bastam respirar quando estão de dieta que emagrecem -, ainda tem o ciclo menstrual para dificultar. Gente, eu quero comer o mundo animal,incluindo as abelhas para ter acesso direto a glicose que produzem com o mel. Eu nem gosto de bombons e já comi até os de amendoim que vem na caixinha. Erc!
Em 15 dias eu subo na balança da nutricionista. Período que faço esforço redobrado para não exagerar nos comes e bebes. Estou até pensando em caminhar no início da noite, tal qual meu desespero de final de ano velho e início de ano novo. Ainda bem que nos primeiros dias dos 365 - 366 neste, que é bissexto -, tudo ganha uma forcinha extra. O psicológico está bem gaseificado, energiza…

Arte na pele? Sim. Dá-me 3!

Sempre penso que não tenho sorte. Mas, na verdade, tenho sorte demais. Se não fosse ela, eu teria começado o ano com mais uma dívida. E dessa vez por causa de uma tatuagem. Sim, mais uma marca no corpo.
Os amigos e leitores ocultos sabem que adoro furar a pele e ainda injetar tinta para rabiscar alguma coisa com pouco ou muito significado. E ainda tenho, no mínimo, três delas para fazer em mim. [1]Meu mapa astral. Vi uma guria algum tempo atrás com uma mandala linda. certamente deveria ser o mapa dela. perfeito! quase corri atrás dela para inquiri-la sobre o artista, preço e contato... [2]Mais uma frase. Adorei escrever na pele. [3]E, futuramente, os nomes dos meus filhos. SIm, agora sei que terei filhos. Nem que sejam adotivos.
E foi por um desencontro casual que ainda tenho oito tatuagens. Logo, credito a minha sorte o fato de não ter gasto dinheiros no processo. Ufa! Pois não resistiria. Afinal, meu tatuador favorito, o Adair, veio de Curitiba passar o Natal na casa da sogra, em …

I'm back in Porto Alegre

Feliz 2012 a todos. Meu reveillon foi de Paz e Amor familiar no interior do Estado do Rio Grande do Sul. É fácil demais acostumar com a vida no campo. Depois dos primeiros dias, o corpo já está acostumado as delícias do interior. Comidinha caseira produzida com legumes e verduras da horta, com gordura animal artesanal, carnes frescas e tratadas sem ração ou conservantes químicos. O resultado é um sabor mais autêntico e, de certo, quilos a mais na balança. Mas deixei para pensar nisso depois. Afastada da metrópole parece que as horas não passam. Deve ser por causa do calor do local descampado. Calor intenso! 34 graus em campo aberto é muito pior do que os 40 do Rio de Janeiro. E nada de chuvas. Pecuaristas e agricultores sofrem com a estiagem pelo Noroeste do Estado. E lá no Sudeste do país, água em excesso. E que mata tudo. Até gente... Já falei disso por aqui: a cada final e início de ano, uma ou mais catástrofes naturais pelo Mundo. Mas quando acontece no quintal da gente, é mais f…