Pular para o conteúdo principal

A festa!


E.Ts se distraem ao esperar pelo táxi para a estação lunar em Observatório

Tudo estaria normal se a gente fosse pessoas normais, claro. Não que veja algo de errado em pessoas alucinantes e alucinadas. Gosto disso! Mas, no meio da minha crise emocional, fico pensando: será que a gente não está velho demais para tanta gandaia? Nãooooo!
Alguns de vocês não sabem, outros eu contei e alguns poucos visitantes daqui foram na festa. Há uma semana estava organizando, com a contribuição do Ervilha, um jantar com a imprensa local. Eu já sabia, mas tinha esperanças de que fossem mais pessoas e que, essas outras pessoas enchessem a cara, além dos mesmos de sempre. Ledo engano. Que bom! Porque estava divertido mesmo assim e sim, minha ressaca parece que será eterna... Mesmo assim, decidi tomar uma taça de bordô agora à noite para aquecer essa noite primaveril e manter os operários em plena atividade mental.
Pois como ia dizendo, o Jantar Ho Ho Ho da Imprensa teve um quórum discreto, mas suficiente para fazer a festa. Comemos, bebemos e brincamos. Foi de “catiguria” o negócio. Houve até pedidos para uma edição pré-Natal. Mas quer saber? Eu gosto mesmo é de ser convidada. Esse negócio de organizar nunca foi comigo e sim, ainda penso numa festa de Réveillon aqui em casa, esse ano. Contraditória, como sempre...
Enfim, mesmo ainda sofrendo os efeitos de uma caipirinha de steinherger, bohemias, vodka, mais bohemias, chope opa e coca-cola com steinherger – exatamente nessa ordem – descobri que para ressaca o bom mesmo é não beber. Mas se isso acontecer, que depois haja um óculos escuros de qualidade para usar. Os de R$ 9,90, comprados de cabra trabalhador em beirola de praia, tem pouca eficácia.
* * *
Blog de Ouro
Estava tão extasiada com o mimo que esqueci de repassar o selo. Pois então, visito tantos blogs que não estão nos meus links, mas é impossível para mim não valorizar meus amores. Mas, desta vez serei modesta. Indicarei apenas um:
O espaço é lindo e emotivo demais. E sua dona se chama Inês, que espero que esteja de férias por algum lugar paradisíaco com o maridão. Mas que essas férias acabem logo, porque não aguento mais de saudades.

Comentários

o casalqseama* disse…
que diversão deliciosa! parabéns pelo sucesso da festa e pelos amigos presentes!



um bj grande, fê =D
Este comentário foi removido pelo autor.
bem, se vc gosta de ser convidada,apareça a hora que voce quiser. Não precisa nem bater na porta, vai entrando. Como dito no comentario....É provocação.
VEM....
janaína disse…
nunca somos velhos demais para a gandaia....
coração continua apertado e os olhos inchados....
obrigado pelas palavras de ontem...
bj
caurosa disse…
Olá cor de rosa e carvão, o melhor momento de nossas vidas são as confraternizações com amigos queridos. Tudo vale, em por da diversão. Paz e harmonia para você.

Forte abraço

caurosa.wordpress.com
Rosana disse…
Ai, e eu perdi a festa!!!! E não se preocupe com quantidade não....o que importa é que quem foi fez a festa!!!!
Obrigada pelos posts no meu recém nascido blog.
Bjus
Silvia disse…
hahauhauhauahuahauhauah....acho que ví uma estrela cadente..heheh ou era eu quem estava caindo??hehe

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe