Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Tem contra dor de cotovelo?

A lua é de prata já faz algumas noites. Cheia ou Nova, não sei. Mas está linda. Perfeita para os enamorados e instigantes para aqueles que aspiram romances. Eu, mesmo me incluo nesse esquema de escola-cinema, mas não estou adiantando nada. E olha que não é por falta de tentativas [e nisso só vou queimando meu filme, que já é escuro naturalmente]. E, possivelmente, daqui a 75 dias eu passe o dia de São Valentim brasileiro ainda “avulsa”, como diria meu bom e velho pai.

Hoje, fui fazer uma matéria sobre o desenvolvimento da campanha de vacinação contra o vírus H1N1, aqui na cidade. A única do dia, para encerrar um mês adverso em muitos quesitos para minha opinião insignificante. Entre gestantes, crianças e doentes crônicos, lá estava eu, fazendo perguntas e tirando fotos, além de ter garantido minha dose. Estou dentro do perfil. Sou obesa.

Doeu! Não tanto quanto dor de amor. Aliás, nem de longe. Também não foi tanto quanto um domingo de sol ou uma tarde de sábado chuvosa, sem o amor do la…

Eu quero mesmo é renascer

Estamos na Semana Santa e daqui a poucos dias chega a data que marca o renascimento da humanidade. Chega a Páscoa. Queria eu renascer em casa este ano. Abrir-me para novos sentimentos, emoções, situações, oportunidades, atividades profissionais e pessoais ao lado do amor físico da minha família. São momentos como este que lamento não ter capacidade de gerar minhas despesas, a ponto de voltar ao berço sempre que aperta o peito.

Mas, na verdade, eu quero mesmo é renascer. É óbvio que tenho plena consciência que o processo de mudanças não acontece só porque termina o ano, se troca a idade ou se é Páscoa. Mas a data simboliza isso e meus sentimentos absorvem essa associação ao meu cognitivo de forma avassaladora. Às vezes, ser e ter um comportamento forte, batalhador, lutador é tão desgastante... É preciso muito mais que razões para sufocar emoções ao ponto de não querer ser um gatinho, que dorme quando se está cansado.

Não quero eu, agora, trocar de vida ou dificultar a minha atual. Apenas…

Eu amo Porto Alegre!

Porto-alegrense de fé vai no Baile da Redenção desde que a atividade foi implantada. Quem diria que um dia, centenas de pessoas passariam à noite no Parque Farroupilha, se divertindo, e em segurança. Só pela cidade histórica que é Porto Alegre. Afinal, o baile é pra ela, pra marcar cada ano, cada avanço, progresso, melhoria, benfeitoria que a infra-estrutura e a cultura do município ganha.
Ontem, minha cidade do peito completou 238 anos de existência. Mas, como sempre, ao longo dessa última semana, a população da cidade deve ter usufruído de várias delícias culturais e esportivas em homenagem a todos que a têm no coração. Hoje à noite, quem foi até o parque assistiu ao Benito Di Paula, mas já teve Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Milton Nascimento e tantos outros artistas de renome, saudando a capital dos gaúchos.
Porto Alegre assusta e encanta. Quem não conhece, de cara fica receoso. O gaúcho não é bicho fácil, o portenho muito menos, mas, mesmo assim tudo e todos encantam. Dá paixão …

Amigos

Tenho amigos que vão embora.
E outros que deixam a escora do meu peito...

Ai, nem eu sei...

Outono! Chove, faz sol, calor e frio. Putz, que merda esse lance de meia-estação. Quero-as inteiras. De novo! Mas sei, vou ter que esperar pelo menos uns 80 dias. Até, vamos vivendo a vida cotidianamente.
Nada de novo nessa semana de TPM, a não ser que continuo me envolvendo em coisas demais que, sei, não tenho condições físicas, financeiras e equilíbrio psicológico para agrupar tudo a minha vivência. Mas insisto. Agora, além da pós aos sábados à tarde e com monitoria durante a semana, eu faço Italiano.
Todas as terças eu caminho, muito, confesso, até uma escola do bairro Dois Pinheiros, aqui na cidade, para ter duas horas de conhecimentos sobre a cultura e a língua. Semana passada foi a primeira aula e, 15 minutos atrasada, me perguntei: “Por que tu faz isso contigo Nêga?”
Não preciso nem dizer que a única preta da sala de aula sou eu. Claro. Mas isso é uma observação sem sentido que faço, por que, afinal, nunca me importei em ser a única “diferente” a minha vida toda. Ao contrário. Par…

Cê cridita em Deus?

Interior de Minas Gerais... a mulher grávida de oito meses na porta da cozinha, olhava o tempo e procurava um jeito de começar uma prosa com o marido, que descansava numa rede: - Ô bem... cê cridita em Deus? - Ora se criditu.... claro! - Intão, si fosse da vontade de Deus, nesse crima seco danado e Ele queresse fazê chuvê dirrepente, chuvia? - Uai, muié, si fô da vontade de Deus, chuvia na mema hora.... - Si fosse da vontade de Deus, o dia pudia virá noiti num minutim? - Ora, si fô da vontade de Deus, virava sim.... purque não? - Si é da vontade de Deus, se nóis dois branquelo azedo desse jeito, e nosso fio pudia nascê pritim, pritim ...quasi azuzim? - Uai, sô.... Si fosse da vontade de Deus de nosso fio nascê pritim, nascia... mais qui ocê ia tomá uma surra de virá os zóio e arriá no chão.....ia, aaah! si ia! * * * Estou quase de volta. Mais um pouquinho e a vontade de escrever também. E Cruela; roubei essa do e-mail de uma amiga. Creio que tá valendo...

Sem criatividade

Imagem: Leonardo Pessoa

Estou me sentindo assim:
Sem criatividade, com a mente vazia.
Melhor não me pedirem nada essa semana...

Insight

Estou viva há dez anos, se pensar como pensava aos 12 anos de idade. Se acreditar no que acreditava há 23 anos. Naquela época, imaginava que era só fazer 18 anos para ser independente financeiramente e ir morar sozinha. Ledo engano... . Depois, a segunda crença era que o Mundo ia acabar no ano 2000. Tudo bem... Eu não acreditava no fim do fundo, afinal, mas na tecnologia sim. Eu teria o Astor, cão dos Jetsons, e andaria num carro [ônibus] espacial; como eles. Era minha imaginação antes do Minority Report.

Agora, aos 35 anos, lavando a louça, eu tive outras crenças, desejos, vontades, sonhos, insights: Vou ter um filho e cobrir a Copa ou uma Olimpíadas. Pronto! Assim, viajandona, limpando a casa, define meu futuro próspero.

Meio assim, meio assado

Eu já estou com o pé na estrada Qualquer dia a gente se vê Sei que nada será como antes, amanhã
De repente, a nostalgia entrou em mim. Fiquei retrô, saudosista, triste e com a amiga solidão a amar sozinha o incompreensível de muitos.

Sei bem de onde vem tudo isso. Muita pressão emocional pelo o que vi e entendi calada. Sobre o que já sei há tempos, sem precisar de observação de terceiros. Depois; toda uma conversa, pesada demais, do que chamo de egoísmo humano sobre as pessoas que amamos; enfraqueceu-me também. Aí a incompreensão de novo...

E essa linha divisória entre o ser forte e fraco que vive em nós é tão frágil em algumas situações... A gente só quer ser feliz, sem travar nenhuma batalha emocional ou física. Só queremos ficar com a pessoa amada. Mais nada! Mas são tantos palpites, disse-me-disse, opiniões infundadas [outras bem baseadas], mas o que vai no peito e nos pensamentos, incondicionalmente, é pesado demais para ser dito ou explicado aos amigos.

Por isso, às vezes é preciso p…

Preferiria a Bella Donna, mas a Maria é minha

Quando cheguei aqui, no último sábado, quem me recepcionou foi o locatário de um espaço, usado para guardar a moto dos riscos da rua, pois do mal tempo não faz diferença. Ele, que é um gato e ainda não sei o nome, perguntou se era eu que havia me mudado. Disse-lhe, sonolentamente às 6h30 da manhã, que não. E logo deduzi que estava sozinha novamente, no condomínio dos flats.

Sim, os gringos de Iomerê foram embora. E com eles, as discussões, a música ruim do Djavú, os choros da guria durante à tarde, as farras noturnas de adolescentes todo santo dia, as manias dele, as manias dela e as manhas de casal. Com eles, também se foi a instalação e o bom funcionamento da Maria. Sim, minha máquina de lavar, que é personalizada, não faz mais os ciclos completos, mesmo depois que o locador comprou o cabo de abastecimento de água, para repor o que estava rompido e com marcas de cola bonder.

Agora, eu lavo roupas em duas etapas, no nível baixo de água e na lavagem normal ou rápida. Gringos FDP! Eles s…

Gorda invejosa

Fonte: http://www.insanus.org/chiqsland/2006/09/

Post programado. Essa hora devo estar abrindo os olhinhos...

Dois dias com câncer

Nunca, mas nunca abram exames médicos se não tiverem noção da linguagem científica. Afinal, eles estudam dez anos para saber traduzir aquela língua, para a nossa. E falo isso por experiência própria. Para que não fiquem pensando que vão morrer, sem nem ao menos estarem doentes.

Como sabem, meu recesso durou duas semanas, mas só na primeira me diverti. Nas demais, fui a médicos e laboratórios fazer exames de rotina. A tia aqui, tem apenas 35 anos, mas há dois faz mamografia. Quando a minha ginecologista solicitou o exame na época, já fiquei assustada. Olhei pra ela e perguntei: Tu está desconfiada de algo? O toque apontou caroço? Não, apenas rotina. Mas aos 33 anos quem vai acreditar nisso? Não eu, certo!

Mas não deu nada. Este ano a mesma coisa. Mamografia, Transvaginal, Papanicolau e, tcharam... uma Ecografia Mamária. Putz, estou com câncer de mama. Não bastou ela me dizer no exame de toque que estava tudo bem, se eu não confiei nela. Ainda mais quando pediu mais este exame. E olha que…

Acabou

Tudo que é bom, dura pouco. É fato! As férias de 15 dias chegaram ao fim. Na verdade, nem dá para dizer que essas duas semanas foram férias. Chamaria de recesso.

Pois bem, hoje, a partir das 9 horas, já estarei de volta ao batente. Novas pautas, mais entrevistas, redações, fotos, alegrias, tristezas, desafios e coisa e tal. Tudo cerca um trabalho profissional fará parte do meu cotidiano novamente, por mais 300 dias, aproximadamente.

Que bom! Na verdade estava sentindo falta dessa correria toda. Mas, confesso, que bom mesmo seriam 21 dias. Esse é o prazo ideal para o descanso do corpo e da mente, por completo. Dá para visitar a família e rever os amigos, cumprir compromissos pessoais como consultas e exames de rotinas e ajustes administrativos e, claro, o turismo. Vou ter que deixar isso para o próximo ano.

Mesmo sendo pouco, foi bom. Fechei o período com chave de ouro: ceva, no meio da tarde, com os amigos de Videira e região. Êta coisa boa... Porém, agora é arregaçar as mangas e trab…

Meia idade

Sou uma mulher de meia idade. Talvez esteja exagerando, mas 35 anos já não dá para dizer que se é jovem. Sou nova, contemporânea, arrojada, mas jovem não. Essa característica não me pertence mais. Tanto, que metade das minhas férias foi usada para consultas e exames médicos de rotinas, mas mais específicos do que os realizados antes dos 30.

Hoje pela manhã tomei meu primeiro diurético. Um comprimido por dia para que meu corpo elimine os líquidos excessivos, desinchando-o e reduzindo a pressão arterial que hoje tem uma média de 150 por 90. Meu cardiologista [há uma semana que possuo um, que quer me ver uma vez ao ano pelo menos] exigiu que realizasse o Mapa - Monitoração Ambulatorial da Pressão Arterial. Por 24 horas fiquei com um medidor eletrônico preso no meu braço esquerdo, que fez de 70 a 90 medições, inclusive à noite.

O resultado é este: um Diupress de 25mg + 5mg ao dia, ingerido pela manhã, preferencialmente. Eu, que sou a maior mijona da família, agora não poderei dar muitos pas…

Namoradinho?

by Leandro Dóro

Parece a Nêga, desesperada por um namorado em 2010... Minha cara esse cartoom. Hehehe. De resto, vale a pena visitar o blog do Dóro. O cara é fera!

Comigo é na base do beijo

Sabe como definir a paixão? Tem dois cientistas que afirmam descobrir a origem desse sentimento. Donald F. Klein e Michael Lebowitz, do Instituto Psiquiátrico Estadual de Nova Iorque, dizem que tudo é culpa da Feniletilamina.

Entre aqui no Blog Sexo verbal e saiba a minha opinião sobre a descoberta deles, além de uma porção de outros temas tri legais. Tá esperando o quê? Vai logo, tchê! E não esquece do comentário.

"Comigo é na base do beijo. Comigo é na base do amor. Comigo não tem disse-me-disse. Não tem chove e não molha. É desse jeito que sou!"

Nós temos que puxar a coberta

Fazia frio em Videira hoje cedo. Dentro do ônibus, há tempos já havia pedido ao motorista para reduzir o freezer em que estávamos. Ele foi brincalhão e atendeu de imediato o pedido da viajante que sempre leva um casaco e meias de lã para a viagem de ida, mas esquece as peças na volta. Às 6h30 o calor da calefação fazia bem aos meus pés e sonhos. Acordei na Estação Rodoviária WaldemarKleinubing, tranquila e contente por perceber que havia sol na cidade. Mas era só isso. Ele não aquecia. Quando me aproximei da porta para o desembarque já tremia de frio com o ar cortante da manhã, que passava pela leg e a bata. No Meio-oeste catarinense é assim: No verão faz frio à noite e ao amanhecer. Depois, por volta das 10 horas, não há quem aguente tanto calor... Sem esquecer, claro, o tal casaquinho no anoitecer para não passar frio depois das 20 horas. Pra quem odeia meia estação - como eu -, esse clima "fresco" é insuportável no verão. Peguei as malas, chamei o táxi e vim para casa. Mas …

Cotidiano portoalegrense

É do cotidiano de uma cidade grande, creio. Há mendigos demais, crianças e jovens de rua, vilas e favelas, uma camada maior de miseráveis do que qualquer outra cidade de pequeno porte. Por isso, depois de alguns dias em Porto Alegre, perceber que se passou por várias pessoas em situação de risco, às vezes pode ser tarde.

Não que tenha pisado em alguém ou em seus membros, mas ignorar um ser humano, desviando dele como se fosse um obstáculo, automaticamente, é muito mais do que minha distração pode permitir, do que minha consciência admite. É estar ciente do flagelo humano e não fazer nada [ou não poder fazer] para minimizar a situação. Principalmente quando se está dirigindo para um local onde a diversão lhe espera, comida farta [e cara], bebidas...

Mas tudo bem. Isso também é Porto Alegre. Também faz parte deste cotidiano. A questão é: Ou ajudo a minimizar essa situação ou a ignoro por completo, como quase todos...

Encontros e Desencontros

O bom de estar de férias em casa é a oportunidade de ver muitos amigos da antiga. Já perdi as contas do tempo em que não vejo muitas delas e que, desta vez, isso será diferente. Como a Fefa e a Clá. Duas amigas que fiz quando tive meu primeiro emprego como bacharel em Comunicação Social – habilitação em Jornalismo.

A companhia dessas duas gurias será desfrutada prazerosamente num almoço [mais um de vários] no El Fuego [acho que é isso, pois desisti da faculdade de Espanhol], restaurante do Shopping Moinhos. Muitas novidades, dúvidas, atualizações, mercado de trabalho e sentimentos e coisa e tal devem ser o mote da conversa. E sim, apenas duas horas durante o almoço é muito pouco pra nós. Mas antes isso do que nada.

Logo que fui morar em Videira, quando tinha tempo ou vinha para a pós, usufruía da divertida presença da Clarissa ao sambalanço do Bongô. Foi ela que me apresentou o Clericó – bebida mista de vinho cabernet sauvignon, suco de laranja, frutas e espumante. Foram diversas noites…

Mais notas musicais no céu

Foto: Divulgação

Não precisa ser nativista para lamentar a morte do cantor campeiro Leonardo. Ele, batizado de Jader Moreci Teixeira morreu na madruga de domingo (7) no Hospital de Viamão, aos 71 anos de idade. Gostava de ouvi-lo cantar. Era um dos poucos interpretes e gaudério de respeito no mercado fonográfico tradicionalista.
Mas eu não contribuía para seu sustento. Nunca comprei um disco seu. Só prestigiava seus shows públicos ou em comícios. Não há um petista nessa cidade, ou em Viamão, que não tenha ouvido Céu, Sol, Sul, Terra e Cor na sua voz, num dos palcos políticos nos antigos showmícios. Grande espetáculo o dele.
Agora, ele está encantando lá em cima. Depois de sofrer três paradas cardíacas – em decorrência de problemas renais detectados na última semana - seu corpo carcomido pelo tempo não resistiu. Pediu passagem, e deve ter ido num cavalo bravo, xucro como dizem por aqui, para ir amansando até chegar a São Pedro. Vendo o porteiro de batina, com certeza Leonardo deve ter tir…

A esquina é democrática

Preto de Porto Alegre que se presa gosta de ir à Esquina Democrática no centrão, depois do trabalho. Lá acontecem as paqueras, os fins de namoro, os começos de outros, os encontros surpresas, os reencontros, reunião de amigos, shows de pagode e tudo de melhor de bom. Antigamente, também tinha os acontecimentos ruins; como as brigas, as rixas, os encontros de grupos rivais. Mas isso, ainda bem, é passado. E de anos!

Alguns, depois de saírem do trampo e “baterem o cartão” na Esquina Democrática, seguem para o próximo ponto. Para mim, agora, é o Mercado Público da capital. No mezanino ficam algumas choperias e a praça de alimentação. No final de tarde rola música ao vivo e todo mundo fica curtindo um som, tomando seu chope ou a ceva gelada, com algum petisco de boteco. Ali também rola paqueras ou apenas encontro de amigos.

Foi lá que eu fui nesta sexta-feira (5), no final da tarde, com a mamy e a tia. Estávamos cansadas de tanto rodar o centro atrás da melhor promoção para uma Brastemp de …

Diário dietético: Gordo é foda!

Depois de tanto entrevistar a nutricionista de Videira, decidi fazer o acompanhamento com a equipe de apoio e médico. Vi a importância que há em fazer um tratamento completo e se ela está disponível e é de qualidade, por que não realizar? Além do mais, cada vez que venho a minha ginecologista, ela insiste em me fazer subir na sua balança e ainda me dá dicas sobre nutrição [ela tem histórico de cardíacos e hipertensos na família, além de uma filha nutricionista].

Depois de dois meses de ausência da academia, voltarei com a corda toda. Também moderarei na alimentação e freqüentarei o grupo de apoio a obesos. Nada com muita pressa. Pelo contrário. Eu tenho tempo para adotar uma alimentação saudável e emagrecer. Como a Dora, minha ginecologista diz, não é uma situação de estética [beleza], mas sim de saúde e qualidade de vida.

Também vejo a necessidade de voltar para a Yoga e faz tempo. Meu espírito precisa disso; da paz e tranqüilidade de exercícios respiratórios e de mais uma etapa de aut…

Notícias chocantes do RS

Estou fora de órbita. Pelo menos do eixo Norte a Sul, Leste a Oeste do Rio Grande do Sul. No primeiro dia em que cheguei à cidade fiquei chocada com as notícias. Na área da saúde a campanha de prevenção está a respeito da Dengue. Mas em alguns locais, o Aedes Aegypti já se instalou. Há focos do mosquito no Noroeste do Estado, que faz dezenas de vítimas, inclusive crianças, até mesmo com dengue hemorrágica.

Preocupo-me com isso. Eu não uso pratos de água nos vasos das minhas flores para evitar acumulo de água. Também não deixo água acumulada. São cuidados básicos que as pessoas podem incluir nos seus hábitos – medidas preventivas na verdade. Um pouco de precaução não faz mal a ninguém, ao contrário. Mas agora, por aqui, esses casos de contágio com a dengue já é preocupa é mais uma situação a ser remediada pelos gestores da saúde pública gaúcha.

Além desse susto, tem outros dois, mas na área da segurança pública. Três, contando com o fato de um pedestre ter achado um artefato no Túnel da…

A praticidade dos crespos [e dos lisos]

Adoro meus toin toin. Sempre digo que não há cabelo mais prático do que ele. Mas, depois de puxarem os meus cachos numa escova e encaracolá-los novamente com o baby liss, talvez não queira saber de outra coisa. Falou em festa pra mim, lá estarei eu, esticando e encolhendo os cachos no salão. Ai que maravilha.O visual fica outra coisa e no dia seguinte, ele ainda estará lá, e no outro, e no outro... Claro, no meu caso, com a boa ajuda do spray Karina... [Erc!]. E aproveitando que estou na terrinha, nada melhor do que dar um retoque nos cachos. A natureza os fez crespos, mas a indústria da beleza os aprimora. Terça-feira (9) sentarei na cadeira da minha cabeleireira favorita e mandarei ver no relaxamento dos fios, depois numa escola molecular para recuperar e selar os fios danificados.E já que tenho que ativar o tratamento com calor farei aquela escova... Para o acabamento vou solicitar o baby liss. Perfect! Adoro dar uma repaginada. Aliar isso com as batas que mamy me deu é ainda melho…

Polar de litro, só aqui

A moda agora é tomar Polar de litro, que também usa o mesmo slogan: “No Export”. Uma pena! Cerveja de gaúcho tem que ser encontrada pelos gaúchos em qualquer lugar do Mundo. Ta, tudo bem... Já me dou por contente em encontrar Polar em lata no Texacão em Videira. O único problema é que bebê-la na companhia de amigos, só mesmo no Rio Grande do Sul. Foi o que fiz. Em Videira, no meio da cerimônia de colação de grau, uma ligação. Era o PP, marcando o encontro de recepção na cidade-lar. Não poderia me furtar encontrá-lo, primeiro por que é meu amigo do peito, segundo pela oportunidade de por a conversa em dia e por último, mas não menos importante, para tomar Polar de litro. A novidade do momento e de preço. Era R$ 5, agora é R$ 6. Mas a gente pagou igual, vários litros dela. Já o trelelê de estréia ficou para outro encontro. No boteco que promove as cervejas populares – lá também tem Skol e Brahma de litro, a R$ 5, só a Polar que inflacionou -, encontramos de cara, o Arlen, esse guri gente …

Minha mãe diz tri legal

“A cerveja Dado Bier é tri legal. Bem geladinha é uma boa.” Oba! Vai ser essa que vou levar então. Respondi a conversa matinal de hoje. Para variar, minha mãe enganou com o tal café colonial. Mas me deliciei com a torta fria de atum; uma coberta e recheada de creme de cenoura e outra com pepino e azeitonas. Adoro! Não tem comidinha melhor do que a de mamãe. Mas, além da saudade física e emocional, também sentia falta do linguajar. Do sotaque. Nada melhor do que ouvir nossa “língua” natal. Tchê! Barbaridade... Tri legal. Expressões fortes do gaúcho, que dependendo da entonação utilizada tem um significado. O nosso “tri” é tão tri legal que virou marca do passe livre dos idosos no transporte coletivo.Ouvir minha mãe dizer “tri legal” é mais do que retornar as origens. É moderno. É perceber que minha velha, de 69 anos recém completos, é uma mulher antenada aos tempos atuais. Afinal, na terceira idade, o linguajar é outro. Mais modesto, conservador, moderado. Minha mãe inverteu os tempos:…

Acordei em gozo segunda

Estou de férias desde ontem e elas começaram já majestosamente bem. Acordei tarde, sem a preocupação de que estaria atrasada. Levantei apenas para a higiene matinal e tomar um Yakult. Sou viciada no leite fermentado com lactobacilos vivos. Voltei para a cama, que ainda mantinha o calor de meu corpo, pronta para ver Ana Maria Braga. E vi. Lá estava a Lena do BBB10, como havia dito no twitter na noite anterior.

Na sequência, desenho. Havia meses que não via desenhos. É um dos meus programas televisivos favoritos. Não sei o nome do programa que eles passam na Globo, mas agora sei que logo depois da Ana, tem Caverna do Dragão. Adoro! Vi logo um episódio novo, pelo menos para mim...

Depois levantei para as responsabilidades do dia. Teria que me organizar para a viagem de férias: Arrumar malas, pegar as encomendas etílicas de mamãe, as roupas do mano, as roupas que doaria para a mãe. Mas antes, lavar roupas e deixar a casa organizada. Não gosto de deixar roupas sujas e casa de “cabeça pra cim…