Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2006

Pastel de Rodoviária

Morgana saiu de casa já com seu destino traçado para os próximos meses. Emprego novo, em outra cidade e estado, gente estranha, desafios. Era isso que a esperava. Havia se preparado durante duas semanas para as aventuras, que com certeza iria acontecer. Afinal, cidade pequena, na serra e em pleno verão, eram os indícios de futuras peripécias.

Mas antes de tudo estava a sua passagem por várias estações rodoviárias. Eram mais de dez paradas em municípios desconhecidos ou apenas ouvidos por nome. Porém, isso não era problema, iria sair às 21 horas de sua cidade querida e para Morgana basta entrar no ônibus, inclinar a cabecinha para o lado e sentir o deslizar do veículo para entrar em um sono profundo. E foi o que aconteceu.

Durante o domingo de partida, preparou sua mochila conforme sua mãe lhe ensinara, enrolando as roupas para caber tudinho e não amassar nada. Seu pai a havia brindado com um suculento churrasco às 14 horas, horário de almoço dominical da casa, e bem contente se empantu…

Meu Lar É Onde Estão Meus Sapatos

Composição: Sá e Guarabira

Desde que me conheço
Desde que me conheço
Que sou assim
Mas não, não, não ria de mim,
Amigo de novidades sem ambição ou raiz
Mas isso não me faz infeliz

A gente tem que saber
Ser dono do seu destino
Partir se tem que partir
Ficar se tem que ficar

Meu lar é onde estão meus sapatos
Meu lar é onde estão meus sapatos
Um pouco em cada pedaço e lugar

Mas basta que você diga
Basta que você diga
Uma só palavra pra mim
Que sim, sim, sim.
E logo você vai ver
Que eu cheguei pra não mais sair
E vim, vim, vim.

A gente tem que saber
Ser dono do seu destino
Partir se tem que partir
Ficar se tem que ficar

Meu lar é onde estão meus sapatos
Meu lar é onde estão meus sapatos
Um pouco em cada pedaço e lugar
________________
Sim, eu gosto de Sá e Guarabira. Sim, este blog está com uma tendência musical, o que também não deixa de ser poesia, não deixa de ser literatura. Por fim, sim, meu lar é onde estão meus sapatos. Um pouco em cada pedaço e lugar.

A Deriva

Encontro às cegas. Coisa do Yuri, seu amigo de anos, desde os tempos da escola primária. Nisso lá se vão uns 20 e poucos anos. Sofia não faz nada sem antes consultar Yuri, mas o que realmente deveria deixar de fazer era seguir suas tramóias amorosas para ela. Afinal, Yuri não conseguia coordenar seus romances, quem diria fazer isso para os outros. Enfim, ele é uma ótima pessoa. Do bem mesmo, mas com uma tendência terrível de só conseguir casinhos de “última” para si - e para os outros também.

Hoje Sofia passou o dia sentindo arrepios. A cada cinco minutos, um arrepio. Creio que são avisos. Devo cancelar o encontro. Sabia que não devia contar com as armações do Yuri, afinal, nenhuma deram certo até agora. Também sabia que iria ir e é por isso que sempre fica nervosa, como se fosse a primeira vez. Yuri insistiu e ela aceitou, porque afinal, um cara alto, espadaúdo - como dizia sua mãe -, mão grande, perspicaz e olhar sedutor... Quem resistiria? Aiaiai! Pode ser um trote de final de ano d…

Folia de Reis

"Era meia noite em ponto / Bateu asa e cantou o galo / Bateu asa e cantou o galo..."
"Bateu asa e cantou o galo / Quando o Salvador nasceu / Quando o Salvador nasceu..."
"Com a ordem dos três Reis / Vou parar meus instrumentos / Vou parar meus instrumentos..." "Desejamos vida e saúde / Para todos da cidade / Para todos da cidade..." ____________________ Consegui resistir à tentação de publicar as simpatias... Ufa! * * * Adoro dia de Reis. Tem sabor e lembranças da "infância querida da minha vida..."

O Pequeno Príncipe

Seis horas. Sofia levanta agitada na manhã cinzenta daquela quarta-feira, que estava predestinada para marcar sua vida. Naquele dia teria o encontro que tanto havia esperado. Já estava tudo organizado. O jantar seria servido às 20 horas. Vitela será o prato principal, acompanhado do seu cabernet favorito. O pessoal do restaurante garantira que tudo estaria tranqüilamente perfeito. Seu único problema no momento era o dia, que mal havia iniciado.
Lavar o rosto e escovar os dentes são os últimos passos antes de por o batom. Quando está nervosa Sofia faz tudo ao contrário. Esquece objetos importantes em casa, enquanto perde outros que está de porte. Pega a garrafa de água deixada em cima do criado mudo durante a noite e toma o líquido sem respirar e quase em um só gole. A passos preguiçosos caminha até a vitrola onde seleciona seu disco favorito para os dias cinzas. Astor Piazzolla & Gerry Mulligan. Años de soledad ou reunion cumbre? Que bobagem, vou ouvir do disco inteiro mesmo. Pron…