Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

Pulo do Gato

Foi de passagem pela Cidade Baixa que vi essa revista numa banca da José do Patrocínio. Estava na vitrine. Linda. Chamativa e cheia de coisas interessantes sobre felinos. A Pulo do Gato tem edições bimestrais e um site onde se constrói matérias interativas [veja aqui].

Na primeira edição do ano, pude conferir os 10 Mandamentos do Bem-estar Felino e vi que não estou longe do bom trato dos meus bichanos. Ao contrário. Também vi que não sou a única mãe boba de gatos. Têm muitas outras que falam com seus bichos, de uma forma que os dois entendem o que está sendo tratado. Além de dicas de como manter a saúde dos miaus mantendo a alimentação ideal para cada espécie.

Mas não é só de informação, dicas e curiosidades que o leitor da Pulo do Gato pode ter acesso. Tem os classificados, onde muitas novidades fashion e, pasmem, úteis, podem ser conhecidas. Ah, e pôsteres lindos, com gatos de raças diversas, foi o presente de quem adquiriu a revista de janeiro e fevereiro. Consegui até ver um felin…

Uma eterna sonhadora...

Eu sonho. Muito! Um deles é ter um programa no GNT, canal de tevê paga que adoro. Também gosto muito do Multishow e bem que poderia ter um programetes lá também. E adoro os programas musicais e antropológicos do Canal Brasil. Gosto até da Globo News. Ta, tudo bem, confessarei: adoraria ter um programa em qualquer um desses canais da Globo. Ou, o velho sonho de aspirante de jornalista: correspondente internacional... Ai, ai!

[26 de março de 2011 – 18:39]

Quase um estranho

by Ruy Carlos Ostermann

O aniversário de Porto Alegre passou por mim docemente, não fiz um gesto especial nem me atrevi a uma fala demasiada sobre essa nossa jovem cidade. Passou por entre as minhas mãos, alojou-se num pé, correu pela perna e, vez por outra, me trouxe um calafrio que não era de susto, nem de ansiedade, mas simplesmente de estar ali, na esquina, diante do prédio, as pessoas ao redor e mais à frente, todo mundo com muitas tarefas numa semana tão especial. Mas que passou pelas pessoas como passou por mim como um episódio demasiadamente pessoal e por isso intransferível, uma experiência para dentro, que são as únicas que têm profundidade e não voltam se não sob outra forma, dissolvidas, numa nuvem imperceptível. São as emoções, os acontecimentos pessoais, o silêncio da experiência, qualquer que seja, não importa o rumo, só tem importância o fato em si mesmo, sem correspondências. Foi como fiquei na Rua da Praia num dia desses das comemorações. E fui para o Mercado Público,…

Roda gigante

Tá. Nâo foi a primeira e, creio, infelizmente, não será a última vez que levarei um toco. Ou um quase toco. Então, chega desse luto bobo. Tenho uns 500 inscritos para postar para vocês. Tudo bobagem, claro, mas tenho. Então se liguem bicos de luz, que a partir de amanhã eu tô na área de novo.
A vida é tipo roda gigante, então pra que esculacho. Se hoje está em cima, amanhã está em baixo. E o meu Deus que me guia E ele é a melhor saída Porque a humildade é a essência da vida.
MC Andrezinho Shock

Uma semente de ilusão

Eu sou assim. Iludo-me fácil, fácil. Deve ser por que a porta está sempre aberta e quando encosto, basta um sopro para escancarar. Fica difícil depois não me magoar, me decepcionar. E o pior de tudo: não aprendo...

Hoje, diria que me sinto como uma ostra entre um mar e o rochedo. Então, esperem um pouquinho que vou ali juntar os grãos de areia. Já volto!

[post programado]

Sorria, você está na Bahia

Lenine, e outros tantos músicos espetaculares, cantam ou cantaram sobre algum lugar da Bahia. E não é por menos. A terra é um encanto. É a terra da alegria. A terra da magia... E não falo somente de São Salvador. As cidades e praias adjacentes também possuem o mesmo ar místico, o mesmo povo hospitaleiro, a beleza natural e outros atrativos mais.

Eu estou apaixonada. Diria mais: estou amando aquele estado de cor escura, bronzeado, rosáceo, marfim, café com leite. Em setembro eu já havia me encantado pela cidade que tem nome santo, do bem. Talvez seja por seu significado, que Salvador ofereça turismo religioso, que tenha 365 igrejas [embora muitas sob reforças infindas e caríssimas], casas de candomblés e o presente do baiano: uma fitinha do senhor do Bom Fim para que se façam pedidos.

Mais uma vez recebi várias dessas fitas. O que não seria necessário caso levasse a sério o mimo. Todo baiano que se vira com artesanato, bijuterias e artigos de rua tem a mesma estratégia. Aborda o turista,…

Eu vim de lá

VOLTEI !!! Praia de Ponta de Areia Quer passar um dia agradável na Bahia? Então tem que experimentar a Ilha de Itaparica. Ela oferece várias praias para banho, outras nem tanto. Mas, confesso, que todas são um encanto, como essa aí. Um piscinão natural para usufruir e se deliciar.
Pelas vielas do Pelourinho Uma, duas, três vezes. O Pelourinho é assim. Quem vai, volta e em cada visita um novo momento. Eu, desta vez, sou guria do pelô, que não sabe tocar tambor, mas também, quem precisaria saber disso na Casa do Olodum?

A vista do Ferry Boat

Tem duas formas de chegar a Ilha de Itaparica. Uma delas é pela lancha, que em mar alto nem pensar... E a outra é pelo Ferry Boat, uma balsa que transporta veículos e pessoas. É mais seguro e balança muito menos. Claro, seria bem melhor se fosse na versão Ivete Sangalo, que é essa balsa aí. Além de rápido também é muito mais bonito. Isso que dá dar uma de apressadinha: se come crú e se anda de Maria Bethânia [velhinha...]

Até daqui uns dias

18:54. Foi nesse horário que comecei a escrever esse post, ontem. E, um dia depois, post ele [programado]. Nesse instante estou de volta a Bahia. Salvador. Êta cidade maravilhosa essa. Bem mais que o Rio de Janeiro. Explico: de um jeitinho bem diferente - bem baiano... E dessa vez está sendo melhor ainda, pois estou no paraíso. Loveando!

Você tem medo de dizer Eu Te Amo?

Quanto tempo… E dizer que em época não muito distante eu postava a cada duas horas, quase. Pois então, não é por falta de assunto, pois isso eu sempre tenho o que dizer ou escrever. Mas ando um pouco criteriosa e questionadora. Do tipo: “Será que isso não é bobo demais? Infantil demais? Fútil demais? Sem sentido demais?” Daí logo chego a conclusão de que... Nãoooo!

Nem bobo [talvez às vezes], nem infantil [talvez um pouquinho], nem fútil [isso definitivamente não, só muito feminina, vaidosa, convencida] e muito menos sem sentido. Tudo para mim tem lógica e senso. É racional. Mas também é muito emocional, sentimental. Nesse quesito, esse blog chega a ser ao extremo…

A prova disso é um vídeo meigo, mas muito meigo que vi no blog da Elenita Rodrigues e, depois, no Os Conselheiros. Aliás, uma boa dica de leitura. Só coisas do bem pelo que pude ler hoje. E é por causa dessa declaração de amor - surpreendente para ele – e linda para mim, que garanto [aqui e para meus amores também]: Amo! E nã…

Sobre esse tal de mulherismo

“Tenho em mim dualidades eternas:
A criança e o adulto;
a mulher e o homem;
o sol e a lua;
o mar e a terra;
o anjo e a fera.”

Hothon Nemawashy

Estou tremendo até agora. Que agonia... Com coragem – e depois de evitar por muito tempo – eu vi o vídeo da escrivã que foi mais do que constrangida. Que teve mais que seus direitos desrespeitados, por colegas homens. Uma vergonha que, ainda no Mundo, as mulheres ainda sejam discriminadas, humilhadas, envergonhadas, rotuladas, minimizadas e mais milhares de “adas” que possam existir.

Não ia fazer nenhum post sobre o Dia Internacional da Mulher. Mas, depois do que vi, não tem como não fazer. Meus braços doem da tensão que sofri ao assistir tudo isso. E digito. Não consigo imaginar o que essa mulher passou. Assim como não dá para voltar séculos atrás e reparar milhares de situações similares, menores ou maiores do que viveu a escrivã.

Pensem: não estou defendendo uma infratora, pelo fato de ser mulher. Não! A irregularidade existiu e ela deve ser responsa…

O carnaval foi assim:

Na segunda de carvanal fui ao cinema. Bruna Surfistinha! Sim, fui ver a guria de programa mais famosa do Brasil. E achei bem legal o filme. Tudo bem, confesso que também gostei do livro... E fique atento: não estou dizendo que o filme ganhará o leão de Cannes ou a estatueta do Oscar, nas próximas edições. E sim que o filminho cumpre bem seu enredo.

A sala do Cinesystem que freqüento fica perto da minha casa, num centro comercial, que depois de anos começaram a chamar de shopping. Lembro-me que na hora do intervalo escolar – há mais de 20 anos -, era no Super que ficava no João Pessoa que comprava o pacotinho de pastelina ou a bolacha recheada sabor doce de leite. De segunda a sexta... Talvez seja por isso que até hoje não suporto recheio de bolachinhas e nem como mais pastelina. Eca!

Deixando os rodeios de lado, fui ao Shopping João Pessoa ver Bruna Surfistinha, em plena segunda de carnaval. E como tudo muda, o cinema também mudou. Foi reformado e agora, de duas pequenas salas desconfor…

Batom para os cabelos

Creio que é inevitável para as mulheres. Passou em frente a um espelho, tem que dar uma olhadinha. É assim que faço sempre que vou ao banheiro. Estou lavando as mãos e ao mesmo tempo fazendo a vistoria no rosto e cabelos.

É quando levo aquele susto. Acontece sempre e várias vezes ao dia. Olho no espelho e vejo aquela mecha de cabelos brancos. Sim. Eu tenho cabelos brancos. Tudojuntoereunido... Um horror ver aqueles três fios destoando bem na frente. Fazendo parte do make up, praticamente.

Minha mãe ri de mim e, garanto-lhe, não tem nada de engraçado em ter um tufo de cabelos descoloridos aos 36 anos de idade. É cedo demais! E sim. Eu sei que tem gente com cabelos brancos desde pequeno. Mas eu não faço parte dessa realidade. Nananinanão!

A cor natural dos meus cabelos é castanho escuro. De tão escuro quase parece preto. Imagina 3 fios, grandes demais na minha opinião, brancos nesse contexto? Destaque. Claro! Por isso tomei coragem e pintei-os na semana passada. Aproveitei para tonalizar t…

14 anos sem Chico Science

Não lembro em que dia da semana caiu 2 de fevereiro de 1997. Mas também não faria diferença. Pois só soube da morte do meu ídolo dias depois.

Chico Science e Nação Zumbi estavam bombando no cenário musical brasileiro. E não era pra menos. Os caras arrasavam com a sonoridade diversificada e 100% tupiniquim. Era dançante, envolvente, socialmente correta e apontava um novo estilo sonoro. O da miscigenação musical.

Há 14 anos eu estava no auge da minha juventude. Vinte e dois anos de puro suingue. Trabalhava a semana toda e nos finais de semana me acaba na pista do Cabaret Voltaire, um bar [ex] alternativo de Porto Alegre. Lá, quando o DJ Kafú tocava Science, eu enlouquecia.

Embalada pela Nação Zumbi e a Polar, eu me transformava em carangueijo e dava voltas pelo salão. Beijei muito [e coisa e tal] também ao som dos caras.

Engraçado como a morte tem suas façanhas do bem. Na ocasião da morte de Chico, eu tava curtindo o carnaval de Laguna. Era, creio, terça ou quarta-feira de cinzas. Estava…

O último Carnaval com Chico Science

Publicado em 05/03/11 - 20:03

*Por Xico Sá

E hoje na psicodelia da manhã do carnaval recifense, veio a cena completa dos carnavais da era Chico Science…

Cascos, caos, cascos, caos… o cientista do som desce o elevador do edifício Capibaribe, sétimo andar, de frente para o rio, rua da Aurora, onde habitava, na companhia do jovem expressionista Doctor Mabuse, o mesmo apartamento. Science tira um som dos cascos de cerveja que trocaria, ali na barraca de dona Edna, por garrafas cheias da espuma flutuantes dos mares nunca dantes, cascos, caos, cascos caos… Porque assim como não se banha duas vezes no mesmo rio, como no preceito hindu, um homem de talento nunca bebe a mesma cerveja, em cada uma tem um novo segredo, uma nova espoleta de idéia na espingarda soca-soca do juízo.

Multicoloridos, cérebros, multicoloridos… Cascos, caos, cascos, caos… Lá vem Science descendo do seu castelo alto com um coco dub ralado no pensamento, vai comer aqui ou quer que embrulhe para você comer pelas beiradas dos o…

Caia na FOLIA!

Nada faz mal no Carnaval.



Brincar, beber, se divertir

e o essencial.

Aquilo que todo mundo procura,

deseja e tem como visceral.


É isso mesmo!


Prazer e sexo

com quem se sonha,

e que nos faz esquecer

de toda agrura existencial.



Américo Conte


E como disse meu amigo e astrólogo Mauro José:
Use camisinha SempreSempre Sempre!

#naofoiacidente

Eu tenho vergonha... Já o motorista que atropelou ciclistas do Massa Crítica na noite de 25 de fevereiro, no bairro Cidade Baixa, não teve vergonha na cara ao dizer que não teve outra opção...