Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2009

amo histórias de vampiros [e de gente]

É incrivelmente relaxante ficar na varanda de casa. Ela e o wirelles do flat me deixam feliz nos finais de tarde dessa primavera calorenta. Fico aqui me distraindo com a movimentação urbana do centro, enquanto o canto dos passarinhos, fervorosos, se une ao cantar de algum músico preferido.

Tento ficar aqui fora quando estou sem vontade para descer e fazer alguma coisa entre as pessoas, embora adore o mar de gente. Tento ficar aqui, enquanto me desvencilho do romance que envolve a vida fictícia de Bella Swan - a filha do chefe Swan da cidade nebulosa de Forks. A série de livros da escritora Stephenie Meyer não é sobre vampiros e lobos. É sobre a adolescente humana. E é incrível como essa história tem me prendido tanto.

As tramas de Crepúsculo e Lua Nova são tão juvenis que nem mereceria maior atenção, mas algo prende nesse enredo todo e me faz partir para o livro seguinte, no mesmo instante em que termino o anterior. É o tipo de história que se faz imaginar porque não somos escritores. P…

amor

hoje, com os sentidos e sentimentos solitariamente tristes, e no meio de um ciclo menstrual, em pense mais nisso:



E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia

Ho Ho Ho

Então é Natal, e o que você fez?O ano termina, e nasce outra vez.Então é Natal, a festa Cristã.Do velho e do novo, do amor como um todo.Então bom Natal, e um ano novo também.Que seja feliz quem, souber o que é o bem.


As luzes de Natal foram acesas nesta sexta-feira em Videira, assim como foi aberta a casa do Papai Noel para visitação, terminada a decoração da árvore de Natal com 21 metros, entre outras belezinhas mais. Desci para ver, mas desisti de assistir. Fui tomar um café e acabei vendo o show de fogos da claribóia do shopping. Feliz de estar apenas vendo as luzes e de forma protegida. Tenho medo deles.

Como a intenção era ver a decoração e as pessoas felizes por terem um lugar seguro e ao ar livre, decorado, para passear com a família; tive sucesso. Já mais calmo sai para a rua e fiz minha visitação. Lembrei que todos os anos eu embarco no ônbibus da Unesul que faz a Linha Caçador - Porto Alegre e fico acordada até boa parte da viagem, vendo as luzes das cidades por onde passo. Em…

As mocinhas da cidade...

Encontro da Samuvi - Maio 2009

A foto é antiga e está ruim. Mas dá para ver que os meus velhinhos cantam e encantam, mensalmente, no encontro festivo.

Ontem, a festança foi na cidade vizinha de Iomerê. Era noite de encerramento das atividades e eleição da nova diretoria. O grupo, sempre animado, fez a maior festa e ainda cantou parabéns para a Rita, a vice-presidente da Sociedade dos Amigos do Museu do Vinho, que levou um bolo para comemorar seu aniversário conosco.

Com esse povo não há tristeza. Pelo contrário. Fico imaginando o dia em que o baile irá começar e não parará mais. Talvez, ontem, livres do horário de partida da van, eles tenham esticado a noite e saído com a bailanta. Quem duvida é louco! Eu, que sou mocinha da cidade, moreninha linda; não arrisco, só petisco.






As mocinhas da cidade
By Belarmindo e Gabriela

As mocinhas da cidade, são bonitas e dançam bem As mocinhas da cidade, são bonitas e dançam bem
Dancei uma vez com uma moreninha, já fiquei querendo bem Dancei uma vez com uma …

poeminha

hoje não!

Estou na varanda. Troquei o chimarrão pela cerveja gelada, depois de comer dois cachorros-quentes bem recheadinhos. Claro que fiquei pançuda... Mesmo assim, estou entornando uma ceva. O calor está intenso até aqui fora, no frescor da lajota sobre as almofadas.

Queria ter uma câmera para poder mostrar-lhes as nuvens que se formam hoje. Uma parece o tigre, o Diego, da Era do Gelo, em seus momentos de mau humor. O resto é um grande algodão doce num tom azul escuro. O bom é que mesmo pesada, ela está em movimento. É chuva. Mas hoje não!

BLOGAGEM COLETIVA: Meu Infinito Particular

Tudo começou em 2004. Era tudo muito novo ainda. A blogosfera não era conhecida por todos e havia poucas ferramentas disponíveis. O Cor de Rosa e Carvão nasceu pelo BrTurbo. Fazia parte do pacote ter um blog e na época eu aprendia a escrever contos numa oficina literária do escritor Charles Kiefer. Ele incentivou seus alunos a criar um espaço virtual para publicar os nossos textos, já que só os melhores iam para o site da revista literária.

Daí eu fiz. A produção era pequena. Um texto ao mês mais ou menos. Mas para o primeiro blog, apenas os que eu considerava os melhores eram publicados.

Logo, o servidor se tornou limitado para mim, que buscava novas idéias visuais. Uma identidade mesmo. Então sai em busca de novos sites que ofertassem uma carta de serviço mais ampla. Encontrei, mas antes do blogger ser comprado pelo Google. Migrei para cá com alguns poucos inscritos, em 2005, quando já estava mais popular os diários eletrônicos.

Nessa época eu já não cursava mais a oficina literária de…

2010. Quase lá!

O dia foi longo até, mesmo não tendo feito nada pela manhã, além de por roupas na Maria para lavar, dado aquela espiadinha na internet [e me informado que o Celso Pitta tinha cantado pra subir] e colorido os cabelos. Cobri todos os dois fios brancos que tinha bem na fronte. Em seguida cozinhei um delicioso guisado com legumes [eu realmente gosto da minha comida], tomei banho e fui para a aula.

Ao contrário do que sempre acontece, consegui conectar a wirelles da escola rapidamente. Entrei no ambiente virtual e baixei as duas aulas de Planejamento do Produto Editorial. E pasmem gente: o professor é muito bom [nos dois sentidos]. Mas não sei o que aconteceu. Nas aulas chatas eu fico lá, atenta. Hoje, que o conteúdo é legal e tem tudo a ver com jornalismo digital, além de ter rolado uma dinâmica bacana, cochilei nos últimos 40 minutos. Quando o pescoço doía de um lado, eu tomava jeito, me atualizava do assunto e pronto, tendia o cabeção de novo, mas desta vez em outra posição.

Fui para casa…

Dia da Consciência Negra

Por MSN, há vários dias, minha prima, que reside em Curitiba há um tempão pediu minha opinião sobre o 20 de novembro. O Movimento Negro Unificado ressalta a data como a mais importante para a raça, para a cultura negra, afinal, a data é representativa a Zumbi dos Palmares. Para mim, atualmente, datas são indiferentes. Mas no Brasil tem um dia para se referenciar tudo. Até o orgulho negro...
Porém, o importante mesmo é o cotidiano. É vencer batalhas do pré-conceito e da discriminação que ronda pessoas de todas as idades e em vários lugares do país. De todas as classes sociais. E ainda hoje, tudo que tem de ruim, de negativo, sem valor, desnecessário é do negro, é do escuro, é nosso. Mudar isso é um trabalho de todos os dias, como Zumbi fez.
Em algumas partes do Brasil, como Rio de Janeiro e São Paulo, hoje é ferido em honra o Rei dos Palmares e sua luta. Hoje, nesses lugares, todo mundo adora o negro de certo - "brancos, amarelos e os próprios pretos", citando cores. Feriado…

As flores do meu jardim

Eu adoro flores. As minhas preferidas são as do campo. A simplicidade e diversidade das cores me encantam como nada mais. Mas também não há como resistir a beleza das mini rosas. Essa semana me rendi a três lindas cores: vermelha [clássica], rosa [naturalmente] e amarela, minha cor preferida para rosas, assim como a champagne e a salmão e a branca e essas outras primeiras citadas... Hum, bem, gosto de todas as rosas. Gosto de flores, repito.

As minhas não são essas. São ainda mais belas do que estas e as mudas estão todas floridas os botões já abertos e os novos crescendo. Quem dera poder retratá-las para revelar beleza tão singular...

As pus numa floreira de janela que tinha na sacada do latifúndio. Com tempo compro ainda as pedras brancas para adornar o recipiente cheio de terra preta. E o vaso está na minha varanda. Embelezando a parte do flat mais fresco e com paisagem.

É daqui da varanda que escrevo este post. A internet wirelles voa pelo quintal é melhor do que meu sinal a rádio [c…

Sorte!

Dizem que todas as vezes em que se recebe este Buda, e o repassa, vem um dinheiro extra ou uma notícia boa! Vamos lá, gente!





O Buda do dinheiro!
Este é o buda do dinheiroEnvie-o a 6 amigos ou familiaresUm dinheiro aparecerá em 4 dias. Se enviá-lo a 12 amigos ou familiaresUm dinheiro aparecerá em 2 dias.Não é jogo. Terás uma sorte financeira inesperada.Se não o fizeres, nunca saberás.

New make up

É sempre assim. Quando estou insatisfeita, mudo. Como não posso fazer grandes alterações no contexto geral, faço um corte de cabelo e os tonalizo, quando se trata de mim. No meu ambiente preferido, como o quarto, altero a disposição dos móveis. E, se mesmo assim, a coisa ainda está “preta”, radicalizo de vez e faço algo mais drástico, como pedir demissão, evitar pessoas e alguns ambientes. Geralmente não preciso chegar a tanto.

Nos últimos tempos tenho tido vontade de mudar o blog. Queria um template novo e até cheguei em pensar para um colega do inglês, que é tipo um nerd, para criar um para mim. Mas nunca tive tanta cara de pau assim. Então, utilizei - pela terceira vez - mais uma das opções prontas do Blogger e cá estamos, com uma nova composição visual para o Cor de Rosa e Carvão.

Tem gente que estranhou e não gostou. Tem gente que entrou, pensou ter digitado errado, mas ficou, gostando. E tem gente que odiou de cara, outros que amaram de primeira. Como eu. Afinal, mudanças é isso, …

De vestido e perigosa... Será?!

Na última sexta-feira (13) tive um pensamento maldoso. Mais um... Estava eu na danceteria da cidade, que promovia um showzinho no estilo Clube de Mulheres. No local estavam várias gurias, que se tivessem ao lado dos colegas da Geise [estudante da Universidade Bandeiras de São Bernardo dos Campos], seriam todas expulsas da balada. A muguerada tava toda ao estilo Loira da Uniban.

Aliás, a Universidade Taliban está dando o que falar. E não é a primeira vez que está na mídia. Pelo que me lembro, já houve uma polêmica com alunos antes. É... A propaganda gratuita na tevê e jornais. Os caras não se dão conta que nem sempre é bom estar na mídia, só porque é de graça. No madrugadão de domingo, até a Maria Paula, do Caceta e Planeta se rendeu. "Só se fala nisso, gente", disse ela no Altas Horas, em relação ao comportamento agressivo sofrido por estudantes universitários da Bandeirantes.
Eu não iria tocar no assunto, que já está bem batido. Para mim, nem valeria manifesto dos acadêmicos…

Foodscape

Está com fome? Então se delicie com essas imagens, naturalmente saudável... [e sem chocolate].





Fonte: Carl Warner

A orphan solteirona

Adoro filmes de terror, mas fazia muito tempo que não assistia um no cinema. As produções são muito aquém a expectativa dos fãs do gênero. Aliás, lembro de poucos filmes que tenham sido muito bons, além do clássico Bebê de Rosemary - que me assusta até hoje -, do Exorcista e daquele maravilhoso filme de Alfred Hitchcock, Psicose, igualmente. Claro que não descarto outras maravilhas, como Um Corpo que Cai e Os Pássaros, do mesmo diretor, além dos filmes antigos de vampiros, meus preferidos.

Mas todos esses estão na história do cinema. As últimas produções não têm encantado muito. Fazem-nos prever algumas cenas, como no filme A Órfã, que fui assistir ontem à noite. Obviamente que as cenas de suspense me dão esperanças. Por isso, nesses momentos, sempre assisto ao filme com o rosto coberto pelas mãos, cujos dedos ficam entreabertos [isso afasta o medo e reduz o susto]. Mas, quando a Kate, mãe adotiva da “orphan”, luta contra a “guriazinha de 9 anos” no lago congelado, eu já sabia que ela …

Até eu ganhei com a queda do muro

Me lembro como se fosse ontem. Estava eu aguardando a aula do professor Sebastião começar. Era a mais fácil de todas para mim, mas, mesmo assim, nunca aprendi geografia em toda a minha vida. Talvez porque era a queridinha do professor.

- Cadê a minha negrinha? Ah, taí!

Morria de vergonha todas às vezes que ele dizia isso, logo depois do velho entrar na sala de aula. Diziam as mais experientes, que ele era um tarado. Adorava as ninfetinhas. E as gurias negras e roliças também...

Naquele dia, há 20 anos atrás, eu ganhei nota por participação. Talvez a única que não fosse por adoração. A pergunta eu não lembro, mas, lembro de ter levantado a mão e começado o debate sobre a queda do muro de Berlim, ocorrido no dia anterior, 9 de novembro de 1989.

Eu mal sabia o que era socialismo alemão, mesmo já com 15 anos completos e no primeiro ano do ensino médio. Era uma alienada na época, pelo menos até mudar de turno no colégio, no ano seguinte, e ter que amadurecer rapidamente para acompanhar o pensa…

Prá começar

Começa o fim de mais um início de semana. Desse lado de cá do mundinho, nada mais a calhar do que uma faxina geral no pequeno lar que acolhe no momento. Tava precisando. Mais um pouco e sairia cobras e lagartos daqui.

Depois de tudo limpinho e cheirosinho [inclusive eu] armei o pinheiro de Natal? O espírito já está em mim desde o final de outubro mesmo. Então, juntar as peças dos galhos ao tronco e pendurar os enfeites foi um ato feito com prazer. Agora, aos poucos, irei enfeitando os quatro cantos de casa. De certo, nem irei precisar de muitos deles, já que tudo é quase miniatura no Flat, com poucas exceções: Eu e o Shazan.

Como todo o ano me prepara para o presente do Papai Noel dos Correios. Nunca estou na cidade no dia da entrega. Queria ver a expressão da criança ao abrir o pacote com a minha doação. Não resisti em 2008 e coloquei um cartão e bombons para a família, junto com a boneca que a guria pediu. Quem não quer um pouco de doçura e palavras de boa ventura para suas vidas? Num…

Assim caminha a humanidade

Uma porção de Carpa Capim com polentas, acompanhadas de Bohemia [eu queria era boemia] trouxe vários assuntos a mesa. Um deles, no entanto, norteia meus pensamentos nos últimos dias. A efemeridade do tempo... Hoje é sexta-feira, mas em poucos minutos já será sábado e no dia seguinte, o domingo; para em seguida estarmos novamente na luta diária de nossas vidas individualizadas.

Semana passada era dia primeiro. Hoje já é dia 6, quase dia 7. E logo será Natal e os votos de que 2010 seja um ano bom. Estamos na velocidade de luz, como disse um dos participantes da hora feliz. Mas, pra que correr tanto se estamos sempre no mesmo lugar? Foi o que perguntei.

Primeiramente porque, geograficamente estamos no mesmo lugar. O Planeta Terra gira em torno de si mesmo e faz a rotação em torno do astro rei e do satélite natural, se não me engano. E, socialmente, muitas pessoas mantém sua arrogância, sua prepotência em detrimento do respeito ao próximo. Esses, especificamente, com certeza nem percebem na…

Por aí

Seremos sempre assim, sempre que precisar

Seremos sempre quem teve coragem

De errar pelo caminho e de encontrar saída

No céu do labirinto que é pensar a vida

E que sempre vai passar por aí





Quem nunca sentou em torno de uma mesa e sonhou em salvar o Mundo, a humanidade, a natureza? É... Nei Lisboa tinha razão ao compor essa canção, tão bem entoada pela Marisa Rotenberg. Outra criatura que está “por aí” há anos, a procurar a saída [já encontrada e consagrada como uma das novas vozes da MPB].

Eu era e sou uma dessas pessoas que usam cabalas, balelas, crenças, nem sempre na coragem, porém errando no caminho em busca de saída. Hoje, inclusive, comentei isso com duas gurias no centro, entre temperos e verduras. O assunto breve girou em torno disso. Que a gente está sempre em outro lugar a experimentar o tempo e as coisas, mas tem hora que cansa. Cai na mesmice. E quando isso acontece é porque está na hora de inovar, de ousar, de procurar saída.
Boa Hora

Depois do sucesso de seu primeiro disco, o pr…

Lévi-Strauss is dead

Um contrato como professor no Brasil, nos anos 30, mudou para sempre a vida de Claude Lévi-Strauss. O autor de 'Tristes Trópicos' morreu em França, centenário e venerado por políticos e intelectuais de todo o mundo

O homem que lançou as bases da antropologia moderna e foi o principal teorizador do estruturalismo morreu sexta-feira, a poucas semanas de completar 101 anos. Claude Lévi-Strauss morreu na sexta-feira e o seu funeral realizou-se segunda-feira em Lignerolles (centro de França), mas a família só ontem autorizou a Academia Francesa a dar a notícia, "receando ser invadida e ultrapassada pela mediatização da morte e das exéquias".
Filósofo de formação, foi no Brasil que começou, nos anos 30, a sua acção como etnólogo, estudando a vida dos milhares de índios que ainda sobreviviam a poucos quilómetros de São Paulo.
No seu livro mais famoso, Tristes Trópicos (uma espécie de autobiografia intelectual que venceu o prémio Goncourt em 1955), Lévi-Strauss escreveu: "…

Quati

Ai, acho que estou com um desses nas costas, me tirando as forças e me deixando sem a capacidade de pensar direito... Hummm... Talvez precise voltar pra cama assim que terminar a introdução do meu trabalhinho. Melhor, da produção do conhecimento... [hihihi].

Uma prova de amor

As luzes me encantam. Sempre. Fico imaginando o que pode estar acontecendo no ambiente iluminado de alguma residência ou estabelecimento comercial. É o mar de gente me puxando pra rebentação. Despertando desejos, vontades...

Foi assim na noite deste sábado, quando olhei para uma das ruas principais do centro de Videira e percebi a grande movimentação de veículos desde o início da noite de ontem (31). Bem na noite das bruxas. Mas minha vassoura estava sem combustível. Não adiantou o pé coçar e quase ter pego o celular para fazer os contatos de um sábado à noite. Cai na real... Em tempo!

Em compensação acordei cedo neste domingo, Dia de Todos os Santos. Pesquisei na internet e li artigos interessantes sobre Jornalismo Contemporâneo. Olhei o ambiente virtual, coletei bibliografias, citações e tive idéias. Inclusive escrevi a introdução, mas na memória, para variar. Do trabalho para a especialização não produzi nada, ainda. Mas tudo bem, para a “produção do conhecimento” tenho tempo. O que …

Todos em festa

Hoje, os espíritos no firmamento e os religiosos na terra estão em festa. Principalmente a Bahia. Afinal, hoje é Dia de Todos os Santos. Salve!