Pular para o conteúdo principal

S.O.S - SC


Mais de 58 mil desabrigados e desalojados no Estado - Foto DC

Ainda estou horrorizada com os estragos materiais, físicos, emocionais que as chuvas dos últimos dias vêm causando a população barriga verde. Já são mais de 70 pessoas mortas no Litoral Norte e Vale do Itajaí. O Ministério da Defesa Civil está no Estado para ajudar no procedimento de recuperação da chuvarada, auxiliar nos resgates e ainda orientar a população e a sociedade civil organizada.

Ontem à noite, enquanto me preparava para descansar os olhinhos minha mãe ligou, preocupada. Disse-me que ao menor sinal de perigo era para eu deixar a cidade e ir para o lugar mais seguro possível. E para não esquecer de levar a "pochete" junto. Mas a despreocupamos, afinal, estamos melhor agora, que as chuvas pelo Meio-oeste catarinense deu trégua.

Já não poderia dizer o mesmo para a região mais afetada do Estado: Blumenau, Itajaí e região Metropolitana. Está tudo muito triste e destruído! As autoridades estão, inclusive, pedindo doação de água potável. Uma lástima essa situação... Só me resta desejar sorte ao povo de lá de Santa.

Comentários

janaína disse…
"Nega desgraçada" entrei no msn e vc saíu...
Pp não esta alagado, ele não conseguiu chegar em casa.
Ele iria embora no domingo, o ônibus não parou em balneario, foi direto para curitiba.
Ele passou o dia todo lá e ganhou uma cortesia para retornar a POA ontem as 21h. Chegou hj as 9 da manhã. Não sabe qdo vai conseguir voltar para casa.
Ele te manda um beijo (eu não)
he he he
caurosa disse…
Olá, que lamentável, a natureza às vezes é meio nossa inimiga. Mas tudo se normalizará longo, se Deus quiser! Muita paz, harmonia para você.

Forte abraço

caurosa.wordpress.com
Rosana disse…
A Epagri, em conjunto com o Comitê de Entidades no Combate à Fome e pela Vida (Coep/SC) e várias outras instituições, está mobilizada e recebendo doações para auxiliar os mais de 50 mil desabrigados em Santa Catarina. A Defesa Civil solicita principalmente alimentos, material de limpeza e higiene, fraldas e brinquedos para as crianças.
Interessados, é só procurar um escritório local!!
Nanda Assis disse…
amiga, eu to passado com tamanha tragédia. que que isso??

bjosss...

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Escrita Criativa e Afetiva? Temos!

Sim! Temos novidade Rosa Carvão. E se você é de Porto Alegre, ou região metropolitana, e quer aperfeiçoar a tua comunicação escrita, este post é para ti.

Devido a acontecimentos tristes nos últimos tempos, percebemos que a humanidade anda carente de bons sentimentos. Então, decidimos espalhar amor por meio do que sabemos fazer de melhor: nossas profissões! Por que não distribuir energia positiva nas nossas relações de trabalho e pessoais, por meio das palavras (sem precisar ser um escritor profissional)? E sim. É possível!

Então organizamos o curso Escrita Criativa e Afetiva, que desenvolve a sua habilidade de escrever com afetuosidade, agregando valor à sua comunicação, estabelecendo empatia e, até, gerando engajamento das pessoas no seu projeto de vida ou profissional.

Venha aprimorar seu texto por meio de exercícios que estimulam sua criatividade, dos conhecimentos fundamentais da escrita e da produção. E prepare-se para ser introduzido a uma gama de formatos e possibilidades de l…

Eu choro

Sou temporã. Nasci dez anos depois da primogênita. E nove, depois do filho do meio. Vim quando ninguém esperava, e cá estou. A filha caçula da Maria e do José. Meu pai torcia para que nascesse no seu aniversário – 11 de setembro. Mas sou temporã nos dois sentidos da palavra. Na minha família sou a única que não veio ao mundo pelas mãos de uma parteira. Ufa! A moderninha. Confesso: gosto da ideia de romper paradigmas, mesmo que de pequeno porte. Também fui a única a participar de atividades do movimento estudantil durante o ensino médio e a cursar uma faculdade. Ah, mas o meu orgulho em casa foi ter sido a precursora em verbalizar o Eu Te Amo. Demorou, mas saiu. E depois do primeiro, banalizei. Espraiei. 

Mas de volta ao meu nascimento... Rompi à vida em silêncio. De madrugada. Meu Paiaço adorava contar este momento: “Tu não queria chorar, então, o médico deu um tapinha na tua bunda para que chorasse, para ver se estava tudo bem. E tu abriu o berreiro”.  Crendice ou ciência da época, eu n…