Pular para o conteúdo principal

Passou, Passou!



Ta, tudo bem! Estou assustando os amigos... Mas não é para tanto assim. Foi somente uma crise emocional ou sou bipolar mesmo (é chique hoje em dia...), que veio e já passou, passou.
Ontem, por exemplo, depois de mandar uma mensagem para a Betty Boop, a 1 hora da manhã (se tivesse crédito eu ligava, juro!), dormi feito um anjinho de asas curtas. Como o Nelson Rodrigues, que recebeu a alcunha de Anjo Negro. Acordei quatro horas depois para abrir a porta do quarto para o safado e boêmio do meu gato encher o panção e depois às 7, quando relutei até às 7h22 e pulei da cama para que não me atrasasse para a aula de natação matinal.
Chorar faz bem gente. A tristeza eu não digo, chorar é um ato de alívio. Estranho sempre quando vejo que as pessoas não sabem lidar com lágrimas. Eu choro por vários motivos: vendo um comercial tevê, assistindo a um filme, de rir, mas rir muito mesmo, de tristeza, de alegria, de alívio e de raiva. Meu choro vem aos dardalhéus por vários motivos. Com a emoção alheia, com as minhas próprias, com pensamentos e assim vai. Acho ótimo chorar, pois me deixa 100 quilos mais leve (Ops! Uns dez quilos mais leve quem sabe).
O problema é que todos estão acostumados a me ver sempre sorrindo. Sempre falando bobagens ou sendo sarcástica com alguma questão do dia-a-dia. Os amigos e vizinhos em acham pacientes, calma, tranqüila e equilibrada. Com essa parte de mim todo mundo adora se relacionar. Mas eu também fico triste, pessoas. Minha personalidade instável me permite que eu acorde mal humorada, lanche sem paciência, almoce cômica, lanche debochada e jante feliz. Na ceia posso estar triste e na hora de dormir, feliz! Também sou brava e má, mas ruim de um jeito que sempre evito ser, porque nem eu mesma me suporto. Sei ofender e fazer intrigas; odeio discutir, bater boca, mas às vezes é inevitável. Foge do controle (acho que sou uma mutante com tripla personalidade).
Mas, o que tenho certeza é que o dia de hoje foi de uma tranqüilidade ímpar. Nadei (e isso vale um post exclusivo, novamente, talvez com uma foto ridícula de mim “sereia” do Planeta Água), trabalhei intensamente pela manhã, cozinhei, almocei, esperei meu chefe por uma hora e meia (ele me deu o bolo, com sempre) e, para alegria da minha tarde: joguei conversa fora com os guris – viu Fê, eu estou bem, posso ficar com facas perto de mim, talvez, as pessoas é que não deveriam me cerca tanto assim nesses momentos e armada, He He He – regada a Sol “gelaaaaada!”
E se tu estás com medo de virar vagabundo fazendo uma paradinha estratégica no meio do “expediente”, eu tenho medo de ter que trabalhar novamente. Mas trabalhar mesmo, daquele jeito que os escravos faziam há 1500 anos. Vá que precise cumprir oito horas, frente a um daqueles tipos que conhecemos bem como “chefes”, com metas, sendo assalariado, numa repartição, onde o ar condicionado no dá vencimento no verão... Isso sim tem me assombrado desde o dia 5 de outubro (risos).
Pensando bem, é melhor eu ir para a Praça, vender churrasquinho de gato – com carne do Frigorífico Ana Rosa - e Colônia gelada. Acima do latão de óleo cortado ao meio, fumegante, cheio de palitinhos variados, uma faixa com letras garrafais e em tons bem chamativos: CHURRAS POCKET DA NÊGA - Agora em novo local!

Comentários

o casalqseama* disse…
esses momentos são imprescindíveis para lavarmos a alma...



... e sempre passam!

bju!
Anônimo disse…
Puta que pariu!!!! Carne do Ana Rosa com cerceja Colônia é a visão do inferno. Se bem que na hora da sede e da fome, não dá pra escolher mto né.

Mas gata, saiba que estes momentos de descontração em meio a diversas marcas de cerveja..hehehe...fazem muito bem pra recarregar as baterias...e se eu virar meio vagaba por um tempo é um descanso merecido, já que este ano foi de dias infernais que nunca mais acabavam...Bjos na nuca.
Queridão! Tenho plena certeza disso sobre tua pessoa. Sobre mim tb! Tô num período onde sou a "mais vadia" e nem tive dias infernais nesse ano ainda. Pior, não sinto culpa disso, rs. Para completar, estou adorando cada segundo de Aspone.
P.S.: ando dispensando bjos desse tipo. só de pensar já fiquei com os cabelos black power, imagina os pêlos...
betty boop disse…
esse "passou passou" é fala minha
eu que digo que saudade da nane mas "passou passou"
espero que tenha voltado fumar assim posso filar um cigarro teu
relaxada te espero na próxima crise então
hua hua hua
he he he
ha ha ha

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…