Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2009

Wolverine

Não me importa a sua origem.
Eu quero é ser o seu destino!

Eu não bebo, só caio dentro da garrafa!

Foi mais ou menos assim que fiquei na sexta-feira (24), depois de seis litros de chope, consumidos em três pessoas. Então, na média, eu tomei dois litros de chope. Agora, se o cálculo for por peso ou estrutura física, nem quero saber quanto eu consumi...

Depois de sei lá quanto tempo no banheiro, fui dormir. Só acordei noutro dia, porque tocaram insistentemente no interfone. E, claro, que estava de ressaca. Tomei um remedinho que a Rou me deu no almoço. Eu perguntei se demoraria para fazer efeito e ela ia me dar o segundo, mas achei que, para quem não toma comprimidos, um, de qualquer espécie, faria efeito logo. Amargo engano...
Por fim, voltei da aula de inglês ouvindo todos os sons da rua, em grande escala. Cheguei em casa com uma fome e mandei pra dentro um belo pão recheado e um substâncioso pedaço de cuca. Em seguida, uma canecona cheia de chá de maça com canela, bem quentinho. E fui pra frente da tevê, bem feliz! Mas como sou corajosa, ainda fui num aniversário de uma balzaquian…

A Casa de Vidro

Hoje estava assistindo A Casa de Vidro num dos canais da Sky quando a cena em que o casal está comemorando os 20 anos de matrimônio me chamou a atenção. Quem comemora duas décadas de casamento hoje em dia? Aliás, quem fica casado com a mesma pessoa por tanto tempo assim nos tempos de hoje?

Fiquei tentando achar um casal de amigos que tenham vividos juntos por dez anos e não consegui chegar a ninguém. Ontem, sai da aula de inglês e fui conversar com o cabeleireiro e colunista social do outro jornal, em seu estabelecimento. Cliente sai, cliente chega e vários risos depois, uma delas comentou que iria na Festa dos Quati aquela noite. Falei da minha saga por um convite (que veio tarde demais), mas o tema da conversa, na verdade, eram as “pegadas”. Ela então comentou de um conhecido em comum dos três.

- O fulano fica disputando homem comigo. Vê se pode?
- Olha, toma cuidado que ele pode ganhar... (risos do trio)
- Pior, ele fala pro meus pretendentes que cuidou de mim no meu casamento. Que hom…

O maridão

O marido acorda,
vira para a mulher,
dá um beliscão na bunda dela e diz:
- Se você fizesse exercício
para firmar essa bundinha,
poderíamos nos
livrar dessa calcinha!

A mulher se controlou e
achou que o silêncio
seria a melhor resposta.

No outro dia,
o marido acorda,
dá um beliscão
nos seios da mulher e diz:
- Se você conseguisse firmar
essas tetinhas
poderíamos nos livrar desse
sutiã!

Aquilo foi o limite,
e o silêncio definitivamente
não seria uma resposta.

Então ela se virou,
agarrou no pênis do marido e disse:

- Se você conseguisse firmar esse pauzinho,
poderíamos nos livrar do
carteiro,
do jardineiro,
do personal trainner,
do meu chefe e até do seu
irmão!

* * *

Só para dar uma animada pelo caminho...

ÊEEEE, saudade que dói tchê

Típico domingo de outono. Aquele que começa com friozinho pela manhã, mas com o tempo seco que faz por aqui há semanas, o sol que aos poucos começa a aquecer a cidade. Foi inevitável olhar para a sacada e ver aquela luz toda resplandecendo e não querer ir ao Brique da Redenção, tomar chimas no parque com os amigos. De repente, procurar aquele acessório ou presente que se quer dar e depois, quem sabe, almoçar em algum restaurante alternativo do Bomfim...

Mas tudo bem. Também foi legal ir a Pinheiro Preto almoçar no Restaurante Três Colinas e comer aquelas deliciosas chuletas feitas na chapa. E aquele queijo e polenta, também fritos na mesma. A conversa abusada de sempre com as gurias, a comilança exagerada e a bolsa esquecida no encosto da cadeira com o celular. O que tanta tê-lo ou não, já que ninguém me liga mesmo e só a TIM e o Consórcio Colombo me mandam mensagens de texto.

O único problema é que não estou em casa, com a minha família, com meus amigos nos meus lugares favoritos. Não …

A praça é de todos! Viram?

No último final de semana retomei um hábito que adorava ter: ler em praças. Quem tem acesso a parques e praças arborizadas sabe o quanto é gostoso ficar lá, lagarteando ao sol, e concentrada na leitura. Em Porto Alegre, o Parcão ou a Redenção são os preferidos dos gaúchos.

Aqui em Videira eu trouxe o costume comigo. No inicio eu freqüentava a Praça Nereu Ramos e ficava entretida na leitura até que fortes olhares, uns curiosos, outros recriminadores, me faziam interromper a leitura para ver o que estava acontecendo em volta. Eram os nativos que não deviam estar acostumados com uma pessoa lendo e tomando chimas ao ar livre.

Isso, porém, não me desmotivou. Pelo contrário, me instigou na provocação. Li dois livros na Praça Nereu Ramos, até que um público específico começou a ter interesse na minha pessoa, de forma mais agressiva. Cada vez que chegava perto do meu banco preferido (sim, eu tinha um banco que adotei como o ideal), logo, logo, chegavam outras pessoas para dividi-lo comigo. Os …

Nêga - Sem Fronteiras!

Quando eu menos posso pensar em consumir é o que mais faço. Nos últimos dias, mesmo sem dinheiro, penso em comprar, comprar, comprar e comer chocolate, claro. É a minha ansiedade em relação a minha crise financeira sem fim que me faz querer gastar ainda mais e ainda comer delícias a base de cacau.

Pois então, meu primeiro ato de consumo é em relação aos vícios. E tenho vários deles. Como sabem o cacau é um deles e depois de um surto no supermercado onde comprei um 1 kg de chocolate Garoto em moedas, cheguei em casa e quando as compras chegaram eu fui direto no pacote, saborear minha última aquisição. Chocolate hidrogenado, erc! Depois de uma semana, voltei ao mesmo supermercado para e comprei mais 1 kg de chocolate Garoto, mas desta vez ao leite, para misturar o ruim.

Nem pensar em jogar fora o outro só porque comprei enganado. Uma misturinha cairia muito bem e foi o que aconteceu com o Bolo Ovo de Páscoa. Se tivesse desenformado corretamente tinha sido 100% delícia.

Com chocolate em cas…

Marley (Shazan) & Eu

“Seria possível que um cachorro – qualquer cachorro, mas principalemnte um absolutamente incontrolável e maluco como o nosso – pudesse mostrar aos seres humanos o que realmente importava na vida? Eu acreditava que sim. Lealdade. Coragem. Devoção. Simplicidade. Alegria. E também as coisas que não tinham importância.

Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas de grife. Símbolos de status não significam nada para ele. Um pedaço de madeira encontrado na praia serve. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Um cão não se importa se você é rico ou pobre, educado ou analfabeto, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele.

É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não.” Página 292, Marley & Eu, de John Grogan.

Besteira? Eu não acho. Me sinto exatamente assim em relação ao Shazan, meu gato lin…

Não aguento mais!

1. pagar contas
2. me preocupar em pagar contas
3. buscar idéias e oportunidades que aumente minha renda para pagar as contas
4. deitar para dormir e não ter ninguém ao lado
5. lembrar que o inverno está chegando e que vou continuar sem ninguém para me esquentear
6. fazer compras no supermercado
7. cavar pautas diárias para o jornal
8. cozinhar
9. ser boazinha, educada, boboca e paciente
10. idéias feministas, feministas, independência e outras coisas do gênero.


Será que posso voltar no tempo e optar pela vida "simples" de uma dona de casa sustentada pelo marido, com três filhos, clube e televisão?

Xico Stockinger is dead!

Morreu neste domingo, aos 89 anos, em sua casa na zona sul de Porto Alegre, o escultor Xico Stockinger. Austríaco naturalizado brasileiro, ele dormia quando familiares perceberam, por volta das 21h30min, que ele falecera. O velório deverá ser realizado nesta segunda-feira no Museu de Artes do Rio Grande do Sul (Margs), na manhã desta segunda. Nascido em Traun, na Áustria, em 1919, Francisco Alexandre Stockinger criou-se em São Paulo e iniciou-se na escultura no Rio de Janeiro. Conviveu ali com personagens fundamentais na fixação da arte moderna no Brasil: Di Cavalcanti, Milton Dacosta, Maria Leontina, Iberê Camargo. Transferiu-se para Porto Alegre nos anos 1950.Estava entre os fundadores do Atelier Livre da prefeitura da capital gaúcha e foi um dos primeiros diretores do Margs. Depois de ter construído obra importante em xilogravura, ganhou projeção nacional com seus guerreiros em ferro e madeira, que costumam ser associados com a resistência à ditadura militar.

Xico foi aviador, meteo…

Dia Internacional do Beijo

"O Beijo" de Gustav Klimt

Não há coisa melhor do que beijar?


Independente do dia ou de motivos?


Então, não vamos nos escamotear logo hoje né...

Adoro testes!

Putz, não posso ler a palavra teste ou aquela frasezinha: "Saiba qual ... fazendo um teste rápido..." Pronto, lá estou eu respondendo perguntinhas ridículas on line ou então pegando papela e caneta, somando pontos, para saber que tipo disso ou daquilo eu sou. É inevitável!!!
Por isso que hoje pela manhã eu não resisti e respondi mais um. Mas esse é diferente dos da revista Claúdia e Nova (chatos demais). Esse é ainda melhor do que saber qual das quatro personagens do Sex And The City você se parece mais. Que também deu super certo, mesmo eu tentando boicotar. Então, como eu não costumo por vcs em muitas furadas, hehehe, respondam aí.
QUEMÚSICADOSLOS HERMANOSVOCÊÉ?


Maior barbada e super rápido. Então, se tu é fã dos caras e conhece as canções, clica aí. Se não for, clica igual e depois vai escutar a música no Youtube, que é tri legal.
TESTE
Essa música aí sou eu... Putz! Bem certinho...



Mudos...

Gente, dois blogues que o Cor de Rosa e Carvão costumava visitar estão mudos. Para sempre! Um porque o Sphinx excluiu seu espaço, onde a emoção tomava conta em post’s sensíveis e cheios de belos sentimentos. Não sei o motivo, mas também não serei egoísta de querer que ele o mantivesse na rede, já não se sentindo a vontade para o mesmo.

O Crônicas da Esfinge já era, mas o laço ficou. Muitos podem achar estranho a gente criar laços e sentimentos por pessoas que nunca vimos e nem sequer temos noção de como sejam fisicamente. Mas se a internet pode apresentar maridos e esposas um aos outros, também pode trazer amigos, com igual intensidade.

Ali era um lugar que me sentia a vontade, e chegava até a imaginar como seria o Sphinx. O misterioso Sphinx... O que me consola é que ele manteve seu perfil. Assim, como um voyeur ele se mantém por aqui. Então, um abraço querido. Entre e fique a vontade sempre que quiser.

Poderia aqui listar uma vários nomes de pessoas a qual mantenho um grande carinho, s…

De falso aqui, nem os cílios

Os pais dos noivos no brinde com o casal Por falar em casamento, eu fui num no final do mês passado. Há exatos 15 dias. Minha prima Izandra casava-se com o Alexandre, um gaúcho de Teotônia, que, ao que me disseram, conheceu pela internet. Tai a tecnologia facilitando tanto a nossa vida ao ponto de conhecermos nossos maridos e eles, suas esposas, pela rede mundial de computadores...

Então, o casamento foi na capital paranaense, onde moram meus tios, João e Jussara, além de mais duas primas. Tudo foi muito bonito, bem organizado, elegante e a noiva, como podem ver, estava belíssima. Mas, para ser sincera, o mais bacana de tudo isso foi rever meus tios Adão e Vilma, além da minha prima Karina. Gente, a distância e o tempo parece que não existiu entre nós desde que pus os pés na rodoviária de Curitiba, às 8 horas da manhã de sábado 28 de março.

Entrei no carro possante do tio, que, como meu irmão diria, na “nave” e fomos deslizando suavemente rumo ao Boqueirão. Eles tinham vindo direto do cl…

Sinal?

Não porque o impedimento. Mas o casamento não tava dando certo. Eu ali, linda, de vestido de noiva na porta da igreja, da Catedral da cidade lotada com amigos e parentes. Tudo como havia planejado...

Eu não estava atrasada, mas o noivo estava... Então veio aquela correria e pediram para eu dar uma volta de carro pela quadra até que o noivo, completamente sem expressão, chegasse. Sim, sonhei que estava casando de véu e grinalda, mas com um homem que era apenas figuração na minha vida. Até agora não sei se agradeço por não ter casado ou se fico triste, mas ainda bem que acordei.

Resumindo: primeiro foi culpa do noivo, depois da minha bexiga, que me fez procurar um banheiro correndo para urinar. E pasmem, o “mictório” ficava a milhares de metros da igreja, num seminário. Lá fui eu fazer xixi. Demorei tanto para ir e voltar que o noivo chegou e já estava no altar a me esperar. Ao descer do carro precisei ir ao banheiro de novo. Dessa vez para conter um ataque do meu ciclo menstrual. Primeir…

Dia do Jornalista

Parafraseando uma colega e amiga (...uíssima do peito):
Aos colegas desta incauta, insana e maravilhosamente avassaladora profissão; meus cumprimentos!

A culpa é da sua mãe!

É o que diz Freud no comercial de tevê do HSBC Direct, sobre a psicanálise. O garoto propaganda, muito bonito por sinal, exclama: “Não seria muito bom se tudo fosse direto ao ponto assim?” Verdade! Então é isso: “A culpa é da sua mãe!” e o Instituto Butantã é aqui.
Nem posso reclamar que estou cercada de serpentes, pois já haviam me avisado. Mas sou brasileira e a esperança é a última que morre, mesmo que seja no ser humano. Como diz outro garoto propaganda, o Zeca Pagodinho, um brahmeiro nunca desiste de seu sonho e também nunca esquece de onde veio. Pois eu me formei jornalista e desempenho a função, um sonho de infância que ainda não acabou, mas já ultrapassou uma grande etapa do planejado: a formação. Como disse a minha prima, Karina, nesse final de semana em Curitiba, eu “sempre quis ser jornalista. Desde pequena. Tai, agora tenho que enfrentar os agouros da profissão, infinitamente em maior quantidade do que os louros...
Bom, voltando a esperança brasileira, é por ela que continuo…