Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

Meu pé de laranja [lima]

Hoje colhia laranjas da árvore que tem no quintal do vizinho. Com tristeza percebi que, do meu lado do quintal, os galhos já estavam magros... Sim. Em pouco mais de 30 dias no flat e consegui consumir todas as frutas alaranjadas ao alcance das mãos.

Com mais pesar ainda olhava da varanda de casa para o pé da fruta e vi que no topo e dos ¾ da árvore que pertence e está do lado do vizinho, os galhos estão carregados. No chão vêem as bolas, antes bonitas, agora bichadas, mofadas, apodrecidas. Com sorte, elas irão brotar e dar outras mudas. Quem sabe então, eu amplio o vício e passo a cultivar árvores frutíferas, além de plantas e flores?

Esgueirando-me por entre galhos espinhentos, menos que os de um limoeiro, consegui colher o suficiente para uma semana de suco natural. Esse é um dos meus crimes. Tomo suco de laranja integral. Quando a culpa consome meu corpo já bem mais arredondado do que o habitual [porque a minha mente não sofre disso], diluo o sumo em um pouco de água e adoço com adoç…

Dia da Avó

Poema Divertido by Ana Canéo

Chega de tanta injustiçade castigo e confusão! Vou pra casa da vovó, não tem outra solução!
Estou mesmo decidido e pra sempre eu me mudo. Aqui eu não posso nada e por lá eu posso tudo!
Posso comer chocolate, posso até me empanturrar. Posso comer sobremesa até antes do jantar.
Mesmo que eu faça bagunça, vovó não briga comigo. Se eu beliscar o irmãozinho, vovó não me põe de castigo!
Vou fazer a minha mala, meu carrinho eu vou levar. Vou levar o meu cachorro e o meu jogo de armar.
Vou levar meu travesseiro, levo também meu pião, pego os meus livros de história e o meu time de botão.
Levo as coisas que eu gosto, pra ter tudo sempre a mão: levo também o papai, a mamãe e o meu irmão!

* Quero eu ter a sorte de ser tratada, como trato os velhinhos hoje em dia: com atenção. E viva os avós!

Lavar roupas todo dia, que agonia

Na quebrada da soleira, que choviaAté sonhar de madrugada Uma moça sem mancada Uma mulher não deve vacilar (Juventude Transviada)



Eu não vacilei! Na hora H eu optei em comprar uma máquina de lavar roupas completamente automática. Sim, em meio a dívidas e mais dívidas, acabei de adquirir mais um carnezinho. Mas o bom de tudo isso é que meus dias não serão mais de esfriar a barriga no tanque. Ainda mais aqui, no meio-oeste catarinense, onde faz frio, muito frio, e chove.
A vida de uma mulher moderna e com home office não pode ser atravancada por causa de lidas domésticas. Então parei com a bobagem de querer economizar o dinheiro que não tenho e gastar meu tempo, que custa muito mais que as suaves parcelas que pagarei pela minha Electrolux com capacidade para lavar 6kg de roupas. Depois, como diz meu amigo e incentivador de acúmulo de despesas: se aceita cartão (dos outros, claro), então tá bom! Depois a gente se vira pra pagar.
Nessas, eu ando parecendo uma minhoca atorada pelo machado de alg…
Umbeijo nocoração devocês. FELIZ DIA DO AMIGO

Na lida da casa

É o segundo final de semana que enfrento o tanque. Aliás, faxino a casa também. Sim, depois de 30 dias na casa nova, por duas vezes nos últimos dez me dediquei a limpar, organizar e lavar roupas... Antes, até tinha limpado o Flat, mas não com “fúria e folia” das duas últimas, afinal, quando entrei aqui fiz a geral em vidros, paredes e chão, que manter foi a coisa mais fácil pelos próximos 15 dias. Ainda me ausentei por quase uma semana e o que os olhos não vêem, o nariz e o tato não sentem...

Mas nos dois últimos sábados tenho encorporado a Amélia. Lavo, cozinho no microondas e limpo. Depois dessas tarefas todas concluídas ainda vou até o mercado mais próximo e garanto a janta de sábado e o almoço de domingo, comprando uma “deliciosa” lasanha da Perdigão. Iguaria facilmente de se preparar no micro. É só apertar o número 16 [na potência média-alta] e depois em iniciar, colocar o prato, talheres e copo com a bebida a mesa [fazer xixi se quiser e lavar as mãos em seguida] e esperar o apit…

Sutilmente (Skank)

by Samuel Rosa / Nando Reis


E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste


Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe
E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste


E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti


Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti




Eu tenho muitas coisas para contar aqui no Cor de Rosa e Carvão, mas o cansaço impera nesse corpo de formas arredondadas. Há mais de uma hora estou em frente ao Lacraia, ouvindo e vendo DVDs de música [alternativos], aquecida pelo meu aquecedor super ultra potente [para regiões localizadas]. O Shazan já dormiu, fiz meu sanduíche de atum e penso que deveria ter me aquecido com um banho quente, além de ter me colocado embaixo das cobertas no mesmo tempo que estou aqui sentadinha tentando ordenar as idéias pra galera.

Decidi postar essa música, que é meu últ…

Uma das viagens dos meus sonhos

Quem nunca pensou em dar a volta ao mundo? Eu, quando era pequena, quis muito viajar para os lugares mais remotos e diferentes possíveis. Agora eu alimento poucos sonhos turísticos. Mas rodar por diversos países, observando lindas paisagens e vivenciando o cotidiano e a cultura de diferentes povos são os objetivos que me motivam.

Aos que me conhecem ou acompanham o Cor de Rosa é redundante dizer que irei para a França, na melhor das hipóteses daqui a dois anos. Mas na verdade eu sempre disse que moraria nesse país por dois anos. Mas o que poucos sabem, por quase não comento, é que desejo muito viajar do Uruguai até o México num jipe ou veículo 4x4 [também um sonho de consumo]. Bem a exemplo do que fez um audacioso casal.

Eles realizaram a viagem do sonho deles [volta ao Mundo] a bordo de um veículo 4x4. Essa foi a aventura do casal formado pela brasileira Grace Downey e o britânico Robert Ager, que durante três anos e meio percorreram os quatro cantos do planeta. Divulgando suas experiê…

Fala aí BomBom,,,

Pura epilepsia

Bonecas engraçadas procurando pra quem se dar
Perfumes baratos espalhados no ar
Pura epilepsia
Nas ultimas semanas tudo tem sido muito corrido no meu cotidiano. Claro que sou um pouco monte, tenho que admitir, algo sempre fica para traz. Não por querer, mas sim devido a falta de logística, o profissional tem sido preterido. Porém, deve vez em ausência física. Não é crise de criatividade, falta de vontade, desentendimentos ou coisas afim, apenas pelo fato de não poder estar em dois lugares ao mesmo tempo. Não dá para ser repórter local viajando entre dois estados.

No início, a causa da correria era a mudança. Agora, depois de instalada e cheia de aluguéis para pagar, já tenho endereço novo. Mas, o que me tomou atenção e fez-meeu ficar que nem barata tonta de um lado pro outro foi um processo seletivo. Salário bom, aliás, muito bom; empresa melhor ainda, benefícios de acordo. Tudo bem de acordo com a pretensão de muita gente que gosta de comunicação empresarial, mas não deu...

Amiguinho?

Cá estou eu com saudades do meu baby. Tentei buscá-lo na pet shop hoje, mas não consegui devido a um contratempo jornalístico. Gosto tanto do felino que às 17h30 pensei em chamar um táxi, passar no hotelzinho e largar o Sha em casa e voltar. Mas trabalho é trabalho, como diria minha mãe. Não se brinca!

Então fiquei e poucos minutos depois das 18h subia para o Flat, um pouco triste em ter que imaginar ele mais uma noite sozinho e preso na gaiolinha. É tudo que mais odeia! E com razão... Quem gosta de uma vida presa, solitária, depois de saber o que é "Mundo"? Nem nós e nem ele, que é bicho, mas também pensa.

De repente ouço um choro forte, um chamado, um clamor. Cheguei até pensar que pudesse ser o baby, após uma fuga desenfreada da pet. Com esperanças cheguei mais perto da porta para ver se enxergava o bicho e era um felino preto, com manchas brancas. Ele parou em frente ao portão do corredor e chamou mais um pouco. Me viu e ficou em silêncio, como eu, que estava incrédula.

Ser…

A louca do "tupperware"

O tempo passa, mas as tradições [ou no meu caso, memórias] se mantêm. Quem com mais de 30 anos não se lembra das reuniões que as mães faziam em suas casas para ser consultora ou revendedora Avon ou dos utensílios plásticos tupperware? Sempre havia um chá, onde cada uma das participantes levava um “prato”, se tornava uma revendedora e se programava o próximo encontro.

Pois então, os produtos apenas se modernizaram, mas o processo continua o mesmo. A Avon se atualizou com a popularização e consolidação da Natura no mercado, de forma bem estruturada. Mas ainda há quem procure artigos para a casa e cozinha nas revistas promocionais de outros produtos, como a Hermes, e cosméticos e perfumaria com a Contém 1G, entre outras marcas, claro.

Calma gente... Não voltei a comprar produtos Hermes. Nem sei quem revende isso nos tempos de hoje e se pequena eu já não tinha atração por seus produtos, agora, que vivo momento casinha, nem pensar. Em compensação virei a “louca do R$ 1,99”. Hoje, entre tanta…