Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Sou daqui, logo, falo portoalegrês

Esse lance de bairrismo é pura realidade. Sou gaúcha de Porto Alegre e tenho orgulho disso. Nada mais natural do que, eu, uma guria que não curte teatro, ir prestigiar Coisas Que Porto Alegre Fala. Sair desse lance de ver apenas na plataforma de criação – a internet. Na verdade fui ver se os caras são divertidos, também, na real.

Foi por isso que nessa sexta-feira eu atravessei a cidade para assistir a peça com Lucas Sampaio, Cristiano Godinho, Ricardo Macchi, Gisela Sparremberger e Juliana Thomaz. E vos digo, eu tenho certo ranço com o ator do cigano Igor. Na verdade, ele ainda não convence como um bom ator. Mas, os outros quatro compensam super bem. Ou seja, valeu a pena o investimento cultural, pois dei umas boas risadas.

De quebra, sai na foto, linda, e virei capa do perfil do #cqpf no Facebook. Se liga ali no cotovelo do Macchi. =)

Nem com beijo de príncipe eu deixo de ser sapo

Falo outra língua agora. Não, claro que não. Meu inglês continua sendo do país do Caco Antibes. Bem ruim. No entanto, agora eu coaxo bem. Depois de quatro dias de chuva intensa e intermitente, nem com beijo de príncipe eu deixo de ser sapo.
Dizem os meteorologistas que na quarta-feira, São Pedro pára de chorar. Estou na torcida. Com a sua tristeza, nós, aqui de algumas localidades do Rio Grande do Sul, estamos chorando também. É muita gente desabrigada, desalojada, cidades em estado de calamidade pública, rios transbordando, literalmente. Milhares de pessoas de comunidades ribeirinhas em risco.
Eu tento ficar a parte dessa situação. Tanta desgraça com pessoas que já vivem situações delicadas, marginalizadas, desprivilegiadas que faço de conta que nada acontece. Mas não dá. Chegou a hora de arregaçar as mangas e ajudar do jeito que está ao meu alcance. É hora de abrir o guarda-roupas. E doar.

Depois, esperar que em setembro, quando a primavera chegar, os 18 dias de chuva não se confirmem.…

Quase brincadeira de criança

Não. Não me canso de agradecer o emprego que recebi. Que fui presenteada. Não ter que acordar às 6 horas, faça chuva ou faça sol, e sair às ruas até chegar ao local de trabalhoémuito mais que um presente. É uma benção!

Meu trabalho vem num pacote iluminado de coisas boas: novo aprendizado, colegas com temperamentos diferentes e até iguais para melhorar meu convívio social, oportunidades, salário digno, horário de acordo com a atividade, assumir responsabilidades... Tudo que pedi a Deus.

Agora que o homem decidiu me testar, ou não,tenho que honrar minhas afirmações, minha palavra, e por as armas na trincheira. Em tempo de chuva intensa, como o que vivemos agora, fazer isso num turno de cinco horas, à tarde, é quase que trabalhar num parque de diversões. Bora, então, se arriscar na roda gigante ou na montanha russa, com um pirulito na mão e um sorriso no rosto?

Cadê meu chinelo?

Estou pronta. Pronta pra amar, me apaixonar. Deve ser isso que me faz curtir tanta pagodeira sentimental que ando escutando...

Daí a pessoa passa a olhar pros lados com mais atenção, pra ver se sobra um chinelo velho pra esse pé torto. E gordo... Mas nada! O artigo, mesmo que usado, está raro.
Enfim, sigamos idealizando o príncipe encantado, em forma de gente, de sapo, besouro, seja a forma que for, desde que seja “amor” – e macho, claro!

A linguagem dos olhos

Quando eu vejo você
A minha boca seca, a mão congela
O sangue ferve
De onde vem tanto poder? E quando você me vê
O teu sorriso brilha tudo muda
Me deseja como eu desejo você E quando eu vejo você
A minha voz embarga
A mente voa, sonho mil loucuras pra te satisfazer E quando você me vê
O corpo não me avança
O clima esquenta
O nosso dialeto é pra quem sabe entender A linguagem dos olhos
O corpo sabe decifrar
A linguagem dos olhos
Quem faz o coração falar Tudo rola sem um toque
Sem trocar uma palavra
É telepatia, é paixão desenfreada
#VemQueVemQueVemComTudo #Romântico #PuroSentimento #Péricles #Show #OiAraujoVianna #EuVou

Eu chorei, na avenida eu chorei...

Foram muitas emoções na noite de sábado. Estava ali, vendo a diva do samba entoando canções românticas que muito refletem meus sentimentos. Linda. De vestido esvoaçante. E falante.

Alcione Dias Nazareth é completa. Aparenta ser uma mulher de postura. Firmeza. Decidida. Divertida. E de quebra, cantora primorosa.

Lembrei de tantas coisas durante o show... Dos momentos de amor vividos, felizes e doídos. Da alegria com os amigos... e do meu pai. À beira do Dia dos Pais, de sentimentos aflorados, senti que ele estaria junto comigo se estivesse vivo. Ou não. Nunca vou saber.

A certeza de agora é que foi um dos melhores shows da minha vida. Não, o melhor até então, definitivamente. No instante em que ela pisou no palco, não teve frio, umidade, cansaço, distância do palco, nada que atrapalhasse curtir o showzaço da Marrom. Melhor do que ver e cantar com ela, só com foto e DVD autografado.

 #Diva #Samba #AlcioneNazareth #Linda #Espetáculo #AraújoVianna #POA