Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2008

As bruxas estão soltas!

Halloween

É sim, é halloween!
Então se prepare para o festim.
As bruxas estarão soltas
e os fantasma também,
transpondo os portais ínferos
que nos acessam ao além.

Não descuide das abóboras e velas,
fartura de doces e danças.
Na força de um ritual milenar
festeje com a alegria de uma criança,
se desfazendo das energias nocivas
e abraçando as boas causas com esperança.

Américo Conte

Contador tabajara (ex)

Uma passadinha rápida só para dizer que agora eu tenho um novo contador, que é menos tabajara que o outro. Na verdade não é nem um pouco. Este oferece serviços, gratuitos, em quatro línguas diferentes, menos o português, claro. Acho que o povo do primeiro mundo pensa que ainda somos uma tribo não urbanizada.

Na home page do Histat.com eu tenho acesso a estatísticas sobre visitação, páginas vistas, número de visitantes, entre outros dados. É uma loucura para quem é blogueiro. Para finalizar, ainda oferece vários modelos de contadores, desde com uma até quatro linhas, como o que adotei.

O antigo, depois de grandes meses de serviço, foi rejeitado. Ele me boicotava direto! Por duas vezes passei de dois mil acessos e por duas vezes também ele resetou o levantamento, me deixou com um visitante por dias seguidos. Então decidi procurar outro provedor e encontrei, por meio de uma dica velada blogueiros amigos.

Agora estou com a marcação de novo e em dois dias a coisa já está bombando! Só hoje …

Série meiga!

De Ally a Maria do Bairro

Vocês têm visto muitas dicas de filmes e seriados por aqui ultimamente. Isso porque tenho tido tempo demais para pensar na vida e ainda ver tevê. Nisso, algumas coisas tem-me agrado por demais, como rever os seriados que amo. Aqueles bem antigos e que não tenho receio de rever por ser démodé, pelo contrário! Anseio por isso há tempos.
O seriado bola da vez é Ally McBeal. É uma série de televisão estadunidense, produzido pelo canal FOX e por David E. Kelley, que narra as aventuras de uma advogada (Ally McBeal) e seu desejo de encontrar um parceiro ideal para se casar e de se dar bem na vida, emocionalmente e profissionalmente. Toda a trama se desenrola num escritorio de advogacia, em Boston, onde Ally e o resto de seus colegas excêntricos trabalham e vivem situações bastante irreais. Um destaque do seriado é sua trilha sonora composta de músicas de Vonda Shepard, principalmente, com participações de vários grandes nomes, como Barry White, Sting, Elton John, Al Green, Mariah Carey, Whitn…

Sou pop!

Adoro ser colunista. Isso nunca me cansa. Principalmente quando tenho um tema de "in loco". Daqueles que atinge a população, que reflete a opinião da maioria, que instiga, que comove ou faz rir, mas, especificamente, que relata o cotidiano algaz ou difícil das pessoas. Essa vida de escritora me atrai e me prende. Me mantém viva e feliz no cotidiano da profissão de jornalista. Essa semana eu falei sobre um problema que várias pessoas de Videira, região e de fora passam por aqui. Os buracos nas rodovias estaduais que cruzam o município. Claro, que tudo isso foi motivado por um case, que por um acaso é meu amigo aqui em Videira. Ele relatou o acontecido com ele em um e-mail, enviado aos órgãos responsáveis e movido pela indignação de um acidente com danos materiais - menos mal! Como é uma problemática antiga, pensei que seria um serviço fazer uma pressão social por meio da coluna que escrevo para ver se agiliza a operação tapa-buracos na estradas. Afinal, é caso de segurança públ…

Meme

meme pimenta repassado pela - Degustação Íntima!

1. morar na França por até dois anos2. estar em aperfeiçoamento profissional constante
3. ser uma assessora de comunicação empresarial de sucesso4. ter outro amor que não seja imortal, posto que é chama5. ser amada por um homem, infinitamente, enquanto o sentimento durar6. casar por amor
7. ter filhos
8. ter uma casa com jardim de inverno9. ser reconhecida pelo meu trabalho, internacionalmente10. fazer novos amigos, sinceros e fiéis11. transar num cinema pornô12. ter um jeep, da própria Jeep13. voltar a ocupar apenas dois dígitos na balança14. viajar pela América Latina num motor home ou de jeep15. voar de asadelta ou saltar de paraquedas16. fazer um cruzeiro17. fazer uma d.p. (dupla penetração)
18. ser uma velhinha saudável, lúcida e de vanguarda19. ter um lugar aonde eu possa chamar de lar, além da casa dos meus pais20. falar de sexo sem ser censurada por isso21. que a sociedade seja menos machista e preconceituosa22. que reduza a misér…

Coluna Cor de Rosa

Foto ilustrativa Os buracos do caminho
Não é de hoje que ouvimos os condutores reclamarem das condições das rodovias estaduais que circundam nossa cidade. E o motivo é sempre o mesmo: os buracos que encontram pelo caminho. As vias estaduais, que dão acesso a cidade e municípios vizinhos, comportam grande circulação de veículos de passeio e principalmente os pesados, que levam a produção de uma local a outro. Mas seja qual for o motivo pelo qual se deslocam, os buracos são os grandes empecilhos a integridade física das pessoas e o aumento na preocupação de quem tem como obrigação o zelo do bem material, ou a conservação do seu patrimônio.
Mas o mais preocupante é com a possibilidade de ocorrer algum acidente e isso é bem possível de acontecer. Na última semana, o jovem Andrei Grassi passou por uma situação de risco, onde, felizmente, a única avaria foi no automóvel que conduzia. Porém, passado o susto de que algo pior pudesse ter acontecido, ele ficou com o ônus do conserto de um pneu fur…

Curtas!

Meme Eu ganhei um Meme da Fê, do blog Degustação Íntima, bem interessante. Eu tenho que listar 25 coisas que eu quero para mim nessa vida. Mas confesso que tenho pensado nele há dias e estou achando complicado fazer essa listinha... Estou tentando Fê. Aguarde, que em breve entra aqui.
Apatia Nesses últimos 10 dias ando apática. A Silvitcha me disse que é chique, embora triste. Eu penso que é a definição ideal para o meu estado de espírito ultimamente.

A Seta e o Alvo Eu corro todos os riscos, Você diz que não tem mais vontade. Eu me ofereço inteiro E você se satisfaz com metade. É a meta de uma seta no alvo, Mas o alvo, na certa não te espera! (Paulinho Moska)
Definição Faz tempo que penso nisso. Mas agora eu sei, de verdade. É uma definição para min: Eu quero casar! Quero formar uma família. Mas uma amiga fez uma constatação para mim, por MSN. "Não vai ser em Videira que minha vida amorosa e profissional vai prosperar." Não pense que é demérito ou contradição, visto o post abaixo. É uma…

Agora eu sei!

Por-do-sol do Guaiba: quem vê nunca esquece! Não havia entendido antes, até ler e ouvir alguns depoimentos. Estou falando do por que as pessoas voltam à Videira depois de morar fora, seja para estudar ou devido a uma oportunidade de trabalho. É simples! Pelo mesmo motivo ao qual mantenho minha raiz portenha. Aqui é o lar delas.

Não há o que valha mais do que o lar da gente. Se pode ir morar no “Mundo”, numa metrópole como São Paulo ou num paraíso tropical como uma das ilhas de Florianópolis ou no litoral nordestino. Se não formar um novo lar aonde levar seus sapatos, sua casa vai ser sempre aonde nasceu. Eu não trouxe meus sapatos, adquiri outros, mas meu lar é a cidade aonde nasci, com toda a sua violência urbana, as diferenças sociais, o desemprego, as distâncias geográficas e coisa e tal.

Agora eu sei por que os videirenses que residem fora da cidade – e até mesmo os que moram aqui e nunca saíram e nem tem essa pretensão – querem voltar. E os admiro por isso. Acredito agora que todos …
... "O amor é feito de paixões E quando perde a razão Não sabe quem vai machucar Quem ama nunca sente medo De contar o seu segredo Sinônino de amor é amar" ...

Insônia

Há umas duas semanas, talvez um pouco mais, tenho tido indícios de um processo de retomada de insônia. Noite sim, noite não eu acordo de madrugada e fico com os olhinhos fechados, em vão! Às vezes fico das 3 até as 6 horas assim... Tentando conter os pensamentos, as constatações, as idéias, ilusões, ou seja, qualquer tipo de função que mantenha o cérebro desperto. Tento fazer com que ele volte a dormir, mas não tenho tido êxito.
Minha primeira experiência com a insônia foi em 2006 e num ritmo tão intenso que não quero repetir. Então tenho ficado na cama, rolando de um lado para outro até que o corpo cansa, o cérebro cansa e durmo, mas isso lá se foi muito tempo, lá se foi uma noite inteira. Fico impressionada como o tempo passa de forma improdutiva quando se está nesse estágio. Fico na dúvida entre levantar e fazer algo como arrumar o quarto ou escrever e acabo permanecendo no mesmo lugar com medo de que se por os pés para fora da cama, até meu desejo de voltar a dormir vá embora. É ne…
se eu tiver que morrer de amor, que seja em ti, entre teu corpo nú, entre as pernas que me prendem em pecado.
Doce pecado que o amor permite. No segredo louco que nos enleva, nosso segredo. Loucura só nossa.
Sem repressões, sem ressalvas, sem companhias, só nós.
Só nossos murmúrios, nossos devaneios em delírio. Sem tempo para nos termos, nós somos.
Nossa vontade, nossos momentos. Nossos minutos que levam horas para passar. Nossas horas que parecem minutos, quando estamos.
by roberto mauro

Um show burocrático

- Tu pegaria o Zé Ramalho?
- Eu não! Ele é muito feio, enrugado, velho demais.
- Ah, mas ele é cheiroso demais. Eu já fui num show dele.
- Ah não. Bem capaz!

- Pior é a Paloma Duarte que casou com aquele...
- Ah não!!! Veio o coro do banco de trás do carro, que discutia antes quem pegaria ou não o Zé Ramalho.
- Oswaldo Montenegro é bonitão – Isso era consenso entre nós, que achamos que a Paloma pegou bem, embora o maravilhoso cantor Metade de Mim sofra de DDA (distúrbio de déficit de atenção) ou algo parecido.
- Ta, ta! Entendi.

Assim transcorreu a conversa enquanto íamos ao show do Zé Ramalho ontem. O casal mais meigo da cidade nos deu carona e para variar falamos de tudo; desde política até putaria. É claro que desse quesito eu sou um anjo negro, puro, casto e virginal (RS), que de forma alguma pegaria o músico em questão... até ele entrar no palco, cantando muito bem, mas de forma burocrática.

- Diz que não pegaria ele agora? Disse minha parceira de pista, que se reclinou no balcão do bar e…

Série meiga (3)

Cor de Rosa

O impacto do "verde" nos negócios


Mais uma vez abro espaço para referenciar o meio ambiente. Desta vez, o tema é o impacto do “verde” nos negócios. O tema foi abordado em pesquisa divulgada na revista Carta Capital da última semana. O estudo é da TNS InterScience sobre o impacto do "verde" no mundo corporativo e ouviu 100 executivos de empresas dos setores de alimentos e bebidas, têxtil, automotivo, de informática, de telecomunicações, de autopeças, de serviços, eletroeletrônico, farmacêutico, químico, metalúrgico, siderúrgico e petroquímico.
A grande maioria dos entrevistados, 80%, afirma que sua empresa mantém alguma iniciativa em favor do meio ambiente, mas a pesquisa não traz exemplos concretos, já que “alguma iniciativa” é um conceito bastante amplo e vago. Os resultados ficam mais interessantes, porém, quando mostram a forma como os executivos percebem a incidência da preocupação ambiental sobre os negócios.
Mais da metade, 52%, acredita que o comportamento verd…

Democratização dos meios de comunicação

Em ato, organizações sociais criticam concentração dos meios de comunicação

A ação faz parte da 6ª Semana Nacional pela Democratização da Comunicação, que acontece em diversas regiões do país
por Patrícia Benvenuti


Movimentos sociais, sindicatos, estudantes e outras organizações populares realizaram na terça-feira (14), no centro de São Paulo, um ato político contra a concentração dos meios de comunicação e a falta de diálogo dos empresários da mídia com a população. A ação faz parte da 6ª Semana Nacional pela Democratização da Comunicação, que acontece em diversas regiões do país.

Segundo João Brant, da coordenação-executiva do Coletivo de Comunicação Intervozes, as atividades na rua são fundamentais para o objetivo principal da Semana, que é levar o debate sobre a democratização da comunicação junto ao povo. "Não há como fazer uma defesa da democratização sem democratizar também a palavra, trazer o microfone para a praça pública e ampliar o número de pessoas e entidades que possam …

Volta por cima

Como dizem as bibas: Força na peruca! Eu já digo, bola pra frente que atrás vem gente. Confesso que o momento é de abalo sentimental e tentar me concentrar é algo que venho fazendo há uma semana, mas, como comentou a Jana no post debaixo, o foco das minhas idéias fica no chimarrão, na cerveja e no vinho; em cigarros; chocolates e afins. Ah, os afins...

É por causa dos "afins" que precisa haver uma revolução em minha vida. Momento de me centrar em algo mais promissor, progressor. De atender aqueles que merecem atenção e dedicação. Hora de olhar para os lados, levantar a cabeça e seguir em frente. Mesmo que a cada dia, a cada amanhecer, meu psicológico tenha revelado em sonhos, mais uma situação de carência afetiva e de lembranças bandidas. Mesmo que em cada anoitecer, a ausência do que não tive aperte o coração e traga ilusões.

Tenho muito coisa a fazer e planejar. Novas metas para traçar e alcançar para ficar como pássaro negro em cima da carniça. Não tenho perfil de urubu e …
estou tentando... juro que estou!

Mais uma vez...

...a rotina recomeça toda segunda-feira para quem trabalha num jornal semanal como eu. Depois de fechar a edição na quinta (de ficar psicografando o dita todo), a busca de idéias e notícias para a próxima edição está de volta. E, como sempre, estamos na luta pela elaboraçao de um trabalho interessante para o leitor. Modestamente, estou satisfeita com as últimas semanas. Depois de um período onde até aniversário de cachorro era notícia, as duas ou três últimas semanas foram de "bom tom", digamos assim. Na comparação com os concorrente, creio que estamos bem colocados. O difícil vai ser manter o nível, he he he. Em conversa com um amigo e colega de profissão, hoje no início da noite, concluímos que essa vida não é para nós termos para sempre. Não a profissão de jornalista, mas a atividade de repórter diário ou, no meu caso, semanal. A um esforço mental muito grande e um comprometimento maior ainda para quem atua em veículos de comunicação em cidades pequenas. Tá, tudo bem, Santa…

Série meiga... (3)

O Mané de Aparecida

Não sei ainda porque, ou esqueci, mas meu pai é devoto de Nossa Senhora Aparecida. Sempre foi. Lá em casa, religiosidade é algo muito peculiar. Cada um tem um santo a quem é devoto e ponto. Minha mãe sempre que pode não perde uma procissão a ela, em sua cidade natal: Cruz Alta. Por sinal, este ano ela foi, está lá a velhinha, pronta para engordurar os bigodes no churrasco da padroeira do Brasil, tendo como sobremesa uma bela fatia de melancia. Odete é a única lá de casa que tem admiração por igual, a mais de um santo. Sabe a data de comemoração de vários, mas, acho que tem um preferido. Nossa Senhora dos Navegantes... Mas não posso afirmar. Eu? Eu torço para Santo Antônio continuar torcendo por mim, sempre.

O engraçado de tudo isso é que não somos católicos praticantes. Não vamos a igreja com freqüência (a velha até faz novena, trezena e mais outras “enas” quando está disposta), aliás, quase nunca vamos. Portanto, não assistimos a missas, não comungamos aos domingos e coisa e tal. Mas …

Cor de Rosa (33)

Prefeito,
que tal um Centro de Zoonose?

Sim, a eleição mal terminou e já estou pedindo. O prefeito eleito nem foi diplomado e já começo a sugestionar idéias. Mas é que sou uma defensora dos animais e, mesmo não constando no plano de governo de Wilmar Carelli e Dr. Jorge, bem que nos próximos quatro anos poderia ser construído um Centro de Controle de Zoonoses.
Como sempre, conversas com amigos agitam minhas idéias. Pois um colega me disse que não percebe muitos animais abandonados pelas ruas. Mas eu sim, porque, para quem tem um bicho retirado do risco de rua (sim, animais também sofrem isso), é que tem olhos aguçados para a fragilidade deles e nossa também. Afinal, um Centro de Zoonose não serve apenas para achar um lar para bichos abandonados. Ter um estabelecimento desses é uma ação preventiva e de promoção da saúde pública animal e humana.
A verdadeira finalidade dos Centros de Controle de Zoonoses, através de campanhas educativas, é evitar a procriação descontrolada de animais, dese…

Série Meiga (2)

Eu, consumista!

Minha versão deprimida me impulsiona ao comércio. Minha versão falida me impulsiona ao comércio. Minha versão de amante me impulsiona ao comércio. Minha versão feliz ou triste me impulsiona ao comércio. Porra! Eu sou uma consumista compulsiva e sem dinheiro no bolso e contas pra pagar. Pronto, admito.

Não consigo ficar longe de uma vitrine e de um vendedor. Adoro ofertas e compro qualquer coisa que ache bonito, goste ou seja confortável, mesmo que não precise. Com dinheiro na bolsa, vivo numa padaria degustando petiscos ou bolos de chocolate. E, para encerrar, adoro reunir os amigos para uma pândega. Então eu me pergunto: Porque meus pais não são ricos, se gosto tanto de gastar?

Na semana passada vi o quanto gasto dinheiro a toa quando arrumei a prateleira dos calçados no guarda-roupa. Tem sandália lá que usei no máximo cinco vezes e há menos de um mês comprei um tamanco, lindo e confortável por sinal. Tenho sapatos e esse ano comprei mais dois. Tenho sandalinhas rasteiras, essas merece…

Série meiga...

Recebi da minha amiga Lili, do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, por e-mail. Achei divertido e meigos. Ela achou bonitinhos... Também são! Bjo querida e saudades.

Ilusões

Na última quinta-feira (2) passei o dia trabalhando com pensamentos pecaminosos. Hora e meia estava eu com um sorriso iludido no rosto ou explicitando um "Elaine, pára com isso". Frequentemente... Tinha que fazer isso se quisesse me concentrar e trabalhar em paz. Foi difícil. E não consegui.
No sábado eu sonhei. Sonhei que o amor da minha vida (pelo menos por enquanto) estava ao meu lado, feliz comigo e eu com ele. Sonhei que tínhamos um cotidiano como todo casal perfeito, na minha opinião, tem: simples, com problemas, mas juntos, sempre juntos, dialogando em prol do amor e da boa convivência (na prática ele não é adepto a falas, tá, tá, a maioria dos homens não gostam de discutir a relação). Era como se meus desejos de uma vida normal, com família e planos conjugais, tivesse se materializado.
Hoje, pela manhã - é sempre no "segundo sono", aquele que temos quando insistimos em dormir além do horário - sonhei com o Papai Noel. Que eu estava na praça da igreja central …

Um amor de paixão!

Já falei aqui desta película, por causa de uma análise textual para a licenciatura de Letras-Espanhol, que cursei durante o primeiro semestre. Mas na última quarta-feira (1), eu não queria ver os filmes da Sky e fui até a locadora aproveitar as promoções e locar os filmes que perdi de conferir no cinema este ano. Já estava com dois DVDs nas mãos, quando olho para a prateleira do lado e vejo Elsa y Fred – Um Amor de Paixão.
Irresistível! Já estava com vontade desde que fiz o trabalho para a faculdade. Troquei o filme com os maravilhosos Morgan Freeman e Jack Nicholson (Antes de Partir) pela comédia dramática latina. Obviamente não me arrependi. Elsa é a velhinha que quero ser aos 85 anos. Seu estado de espírito é pura alegria. Ela é debochada, divertida, esperançosa e sonhadora. Audaciosa. Como disse Fred em uma cena; “loca, su loca!”.
Ela, portadora de hemofilia, vive intensamente cada momento. De cara me identifiquei com ela, que é uma inconseqüente, uma adolescente, uma boa “vivant”, …

Nem de longe, um Tim Lopes...

Tim Lopes morreu no exercício da profissão. Ele era uma repórter de polícia que trabalhava sempre disfarçado nas favelas do Rio de Janeiro, pela Rede Globo. O cara pesquisava, investigava, tinha olheiros, tinha informantes, tinha contatos na polícia. Até hoje sua morte é inexplicável para mim e seu corpo nem sei se conseguiram localizar, mas, deve ter sido queimado, como suspeitava a polícia carioca.
Eu costumo usar uma frase no MSN, quando estou escrivinhando, ferozmente, minhas matérias. Nela está escrito: "Psicografando Matérias". Às vezes a criatividade falha e tenho tantas notícias para relatar ou reportagens para escrever de forma atrativa, que só psicografando algum dos magos do jornalismo para conseguir tais atos; e ainda mais, entregar em tempo do fechamento, sem que o chefe ou o paginador façam beicinhos.
Mas, na verdade, o que gostaria mesmo era de psicografar, ou seja, ter a habilidade de Tim Lopes para o jornalismo policial. Na verdade, acredito que isso tem ser u…

Cor de Rosa

Campanha de conscientização do eleitor
Na reta final! Assim estão os candidatos a prefeito dos cerca de 5500 municípios que tem o Brasil. Amanhã, Domingo 5, após às 17 horas, vai ser o momento de cuidar para não começar roer as unhas. Tanto os candidatos e candidatas, quanto as equipes e familiares de todos os aspirantes a gestores públicos dessas cidades. Mas até chegar a este ponto, este ano houve outro tipo de campanha paralela, mas afim, ao pleito eleitoral: a de conscientização ao eleitor brasileiro.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, deu o ponta pé inicial da campanha em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, no dia 31 de julho. Em um período de 15 dias, desde essa data, foram exibidos nas emissoras de TV de todo o país, dois filmes de 60 segundos cada, e dois spots de 30 segundos, nas rádios. Outro material com inserções de outros 15 VTs e 15 spots estão sendo veiculados até hoje. No conteúdo deles estão as orientações …

Um cigarro para relaxar

Ontem pela manhã o dia parecia começar calmo, sem cobranças e correrias ou preocupações por pautas para a edição do jornal. Estava eu então relaxando os pensamentos matinais, em pé na sacada, baforando “um raro prazer” quando olho para a rua de cima e vejo a figura de um guri, acenando. Era o Almir, o jovem estudante secundarista que está escrevendo um livro de auto-ajuda.

Pensei logo: “ainda bem que já terminei minha participação!” Lembrei aliviada com um sorriso no rosto e acenando em sentido positivo. Não demorou muito para o jovem adolescente apontar no sopé do prédio onde moro e perguntar sobre o texto. “Sem cobranças? Acorda Elaine, hoje é terça-feira!”

- Oi Almir, que bom te ver.
- E o texto, já terminou? Saiu perguntando ele de supetão.
- Sim, já terminei. Desculpe não ter enviado, mas eu perdi teu e-mail. Me passa novamente que eu te envio agora pela manhã ainda.

E foi o que ele fez e o que fiz também, porque havia terminado de escrever minha participação no seu livro na segunda-f…