Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2013

Nos phones: Ojos de Brujos

Para não esquecer minha versatibilidade musical e, também, para melhorar este dia, bem sem graça de segunda-feira...

#OjosDeBrujos #MúsicasDoMundo #Espanha #Delícia

Nunca é igual

Já sentia sua falta. Aquela fala mansa e cantada faz meu coração sorrir. Sempre cortez, me oferece algo que julga bonito. Ontem mesmo eram lenços coloridos, hoje são perfumes, que quase aceitei... 

#comércioinformal #vendedorhermano #simpatia #versátil #galante

Sorrindo menos, há 3 anos

Tenho uma amiga, a Jana, que tem a mania de chegar gritando em frente da minha casa, sempre que marcamos pra sair. Coisa de maloqueira. Bem isso que meu pai dizia quando ela agia assim. 

Ela gritava e ele falava, pausadamente: "O que é isso... Falta de educação ficar gritando na frente da casa dos outros. Não gosto dessa menina." E não sorria quando ela entrava... Era só um Boa Noite seco. Eu ria da bagaça, pois a Jana é assim mesmo, maloqueira [e sim, mal educada às vezes]. 

Hoje, faz três anos que não ouço mais esse comentário se repetir. A Jana continua chegando aos gritos, mas sorrio um pouco menos, desde então.

#saudade #meupaiaço #fino #bagaça #avidasegue

Nos phones: o bom e velho Chico, em todos os sentidos

Antes que meus amigos venham me lembrar do que sempre dizia em relação ao Chico, vou esclarecer que continuo pensando a mesma coisa. Não gosto do Chico cantando suas músicas. Me desculpem os amantes do cara, mas ele canta mal e desafina. Porém, suas canções, composições, parcerias, sempre predominam sobre esse aspecto. E acabo sendo mais uma apaixonada pelo cara. 

Por isso, hoje, e por adorar Cotidiano, hoje é dia do bom [e gostoso] e velho [literalmente] Chico Buarque de Holanda. Solta o som!

A vida é feita de escolhas

A gente precisa criar tempo para nós mesmos. Porei isso nos meus planos de agora em diante. Tenho buscado gerir melhor a vida útil do meu dia para construir e desenvolver processos e planos de vida. Mas, para mim, nada...

Mas chega. Cansei de ser gente grande. Agora farei tudo, e cada coisa, ao seu tempo. E voltarei a viver, sem, claro, perder o foco. Afinal, “é preciso fazer escolhas e, às vezes, arriscar”.