Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

Luto por SM

Depois que se perde alguém, qualquer situação similar, mesmo que seja com estranhos, é motivo para dar aquele aperto no peito. Imagina quando se é uma tragédia? Sim, muito pior...
Muito pior quando se sabe que na cidade há amigos e colegas queridos e que essas pessoas têm outros amigos e familiares. E que, ainda que não haja relação entre eles, a tragédia envolvendo mais de 230 pessoas, a maioria jovens, estudantes, começando a realizar sonhos, é pra acabar com a gente.
A gente fica rezando para que não haja nenhum conhecido, do conhecido, do conhecido. Depois rezamos para que haja muita luz para as vítimas, num plano elevado. #LutoSM #LutoRS


Pesquisa?

Nessa segunda-feira, às 7h15 da manhã, subo no ônibus da linha 255 – Caldre Fião (empresa Presidente Vargas|Consórcio Unibus) e tem, provavelmente, um estagiário distribuindo um ticket. Ele vestia um colete que o identificava: EPTC. Logo abri o sorriso e pensei. Alguém da Empresa Pública de Transporte e Circulação, mesmo que um estagiário [deduzi pela jovialidade do rapaz], para ver as barbáries que os passageiros desta linha e empresa passam pela manhã, ao ir ao trabalho.
Mas não. O tal papel dado era um aviso. Sim, pra mim um aviso de que a empresa estaria fazendo uma pesquisa sobre o embarque e desembarque. Uma pesquisa de qualidade. Eu com essa minha mania de pensar, imaginei que outra pessoa aplicaria um questionário, breve, ou entregaria um para que o preenchêssemos. Achei um pouco inviável considerando que, com o horário de verão no transporte público, os horários estão reduzidos e por consequência os veículos mais cheios do que o normal. Lotados mesmo. O que impossibilitaria …

Nos Phones: Trainspotting no transporte

A pessoa [humana] acorda e começa a rotina diária de ir trabalhar. No ônibus, e no horário certo - felizmente -, ela põe os phones num arremedo do jovem ao lado. Não querem ouvir a trilha sonora do cobrador, que contrariando as regras, pensa que anima os passageiros com seu gosto musical, às 7h15 da manhã.
Procura no celular o ícone do rádio e vê, de primeira, o de músicas. Só por curiosidade,clica, para ver o que vem de fábrica, como teste que nunca fez. E descobre que o seu cartão de memória, trocado após problemas com o original, é justamente aquele com músicas perdidas.
First song. Vem também a primeira batida. O mix e o remix. Logo, começa a pipocar na cozinha do ônibus por causa dos buracos nas ruas. Mas nem se importa. Está entretida demais revendo imagens de um dos seus filmes preferidos da adolescência. Está ocupada demais tentando lembrar por que gosta tanto assim de Trainspotting, sem que tenha sido uma guria junkie...

Nem tudo que reluz, é ouro

Quinta-feira. Ela sai de casa toda trabalhada no ouro. Bijuterias, mas ela gosta de se enganar. Cabelos naturalmente revoltados. Traje casual e batom vermelho. Elas a olham com desprezo, mas sorriem quando vêem os pés.

Na curtição

Quem é daqui sabe. Quem não é, põe nos phones aí pra curtir o rock roots das bandas gaúchas. ;)

Agora fiquei do-do-do-doce doce

Aos poucos vou me acostumando com 2013. Começo a reinventar a vida, para ter a sensação de que tudo está novinho em folha. Vou adicionando ingredientes diferentes para modificar o sabor. Crio outra aparência para não enjoar o make up natural. Essa é a malandragem.
Mas tem coisas que acontecem que é inerente a minha vontade. Há 38 anos. E ainda não me acostumo com isso. O bom de tudo isso é que não me surpreendo mais quando algo não dá certo [é da vida]. Creio que agora eu fiquei doce.

Feliz 2013!

Meu amor está aqui, no aconchego materno. Com ela que aprendi a ter forçar e a lutar. É com ela que agora eu aprendo a ter benevolência e paciência. Aos poucos vou entendendo e assimilando no meu cotidiano, na minha vida. É por ali que que aqui estou e não me arrependo disso.
Meu amor de mãe que está sempre ao meu lado e que me apóia e me protege e me ama incondicionalmente. Nada mais natural do que estar ao seu lado na troca de ano, para que permaneçamos juntas por mais 365 dias.
A felicidade também está em mesa farta, comida saborosa. Talvez, nem sempre saudável, mas agradável ao paladar. Na minha casa gostamos disso e também fazemos questão de que quem amamos esteja conosco nesse momento de puro deleite.
Por isso não foi difícil reunir amigos e parentes em torna de nossa mesa. Nem para brindar o ano novo. E pedir que ele seja de prosperidade, saúde, amor, tranquilidade, compreensão e amizade. De união entre as pessoas.
Assim foi meu revéillon: de uma felicidade divertida e harmô…