Pular para o conteúdo principal

Pêra, Maça ou Salada de Frutas?

No Sábado (22), antes de sairmos para nossa aventura noturna, fizemos um esquente aqui em casa. Um churras pocket com bebidinhas para nos por no pique da gravação do DVD da Banda Capitão Mamão (melhor seria se o nome fosse Mamão Papaia). Os caras tocam pop rock, mas eu só sei disso porque no depois do almoço no interior, de Domingo (23), li no adesivo do carro do vizinho mais arrogante que já tive em toda a minha vida, que esse era o estilo musical dos caras. E mais, que eles eram uma banda de universitários em Sampa.
Ora! Desde que me conheço por gente que já sei que banda universitária nunca fez sucesso nacional, sem antes já ser consagrados na própria cidade e estado, além de ter uns bons álbuns gravados e no trabalho nacional há anos. Ta, sem enrolar, a tal de banda foi o maior engodo. Pra começar eu deveria ter sacado já quando não tinha ouvido nenhum comentário pela cidade sobre a tal gravação do DVD, depois, quando a SIlvitcha me falou que a gente ia porque havíamos combinados no Sábado da Festa da Imprensa, fiquei ainda pensando: “Eu sou tapada, mas lembro bem do que me gustas”. Disso eu não lembrava, há há há. Por fim, na compra dos ingressos, que foram os 15 reais pior investidos na minha vida, ainda ganhamos um CD. Sentiram do drama mais um pouco né?
Bom, ao chegarmos no I Am Bier Club (não errei a grafia da danceteria da cidade não. É cerveja em alemão e pára de fazer pergunta difícil e vai lá pesquisar o porque da misturança toda: http://www.iambierclub.com.br/) a decepção. Já havia passado da meia-noite e aqui a coisa bomba tarde mesmo, mas parecia que naquele dia nada disso aconteceria. Os salões estariam vazios se não fossem os adolescentes, com menos de 15 anos, que as mães não conseguem manter em casa no final de semana. Meia hora daquilo, duas cervejas depois e nós – Iaran, Taciana, Rosana, Silvitcha e eu – decidimos ir embora. Sim, pasmem: topei na hora ir para um bailão no interior. Até o Iaran topou ir num bailão e ele realmente não curte o babado.

Chegamos em Rio Tigre e as janelas e portas do salão da comunidade estavam abarrotados de tanta gente. Pelo gramado, capela, “estacionamento”, mais gente paquerando, conversando, namorando, se comendo, brigando, vomitando e etc e tal. Lá dentro, a grupo San Francisco, o melhor do Estado pelo que disseram, agitava todas. Era gente rodopiando, gente brincando, gente caçando, gente fazendo de tudo. Foi o meu quarto bailão, depois de uma parada de dois anos. E sim, me diverti muito!!! E agora eu quero mais.
Nunca me diverti tanto nos últimos tempos como este Sábado. Trocamos a banda com nome de fruta para fazer a tradicional escolha: Pêra, Maça ou Salada de Frutas? Quer saber a minha escolha? Então pesquisa nos blogs alheios e tire as próprias conclusões. Afinal, eu conto tudo pra vocês, sempre... Chega de mamão com açúcar agora :)

Comentários

Silvia disse…
heheh eu bem que procurei a foto da banda..mas como eu sou antenada estava procurando com "São"Francisco..hehehe
he he he. tu esqueceu que eles são gringon?
Ro disse…
Hehehehehe....
só sei que eu não quero mais mamão...nem mamão papaia, nem mamão com açúcar...pois o tal capitão mamão, sem condições né!!!!
O que importa é que o "São" Francisco estava melhor, e já ganhou uma fã de carteirinha...a Silvia, q se apaixonou pelo moço da banda!!!!
Anônimo disse…
Viu, achei detestavel chama-los de gringos ,os meninos vieram aqui para videira , sao lindos , simpaticos e muito humildes pois se vcs entrarem na comunidade deles no orkut , eis q aparecera uma infinidade de videirenses provando o equivoco da sua postagem , lembrando tb q eles tocaram pela segunda vez nessa cidade , imagine no estado deles ...eles vieram de muito longe para nos prestigiar pois poderiam gravar o dvd deles em qquer outro lugar do estado de sp e vc nesse blog os tratou como se fossem lixo .. vc fez muito bem de ir na banda de baile mesmo , pois baile é oq vcs merecem ,tocadores de covers sem identidade , foi la pra paquerar musico , naum pra entender musica.... mesmo pq uma banda autoral é dificil de se entender mesmo , mas faça um favor , se por acaso eles um dia fizerem sucesso , naum venha lanber o saco deles naum , mantenha a sua opiniao ate o final , mesmo pq a banda de baile q vcs gostaram costuma tocar muitas musicas q outrora foram de bandas desconhecidas como eles e depois vieram a fazer sucesso pra vc poder decorar as musicas no radio rs... Pense nisso , mas duvido q vc entendeu alguma coisa né? afinal , baladinha é pra dançar axe ou forro ou funk né? Nada de admirar , assistir , ou entender musica srrrsr ....esquece va .... estou perdendo meu precioso tempo por tao pouca coisa rrrs ... as minorias existem rsrrs Tchau minorias rsrrr...fui
Caro Anônimo; tu estás equivocado. Primeiro, pq tu n me conhece e n sabe o estilo musical que aprecio. Segundo, pq a tua interpretação de texto é muito pior do que poxa ter achado do meu post e por último, nunca, e afirmo com certeza, nunca entrei em comunidade do Orkut da Banda Capitão Mamão para falar algo sobre eles.
Se se desse ao trabalho de reler o post da "maioria", rs, de forma analítica e coerente saberia o que quis relatar. Mas como percebi no teu comentário, quem tem pré-conceitos com certeza não sou eu e sim tu mesmo, que muito sem coragem tb não teve a fidelidade que, antecipadamente me acusa de não ter, de assumir a própria identidade. Os gringon a quem me referia não era da banda POP e sim do San Francisco. Mas, atire a primeira pedra aquele que nunca pecou, hehehehe. Ah, pode voltar. Eu respeito as opiniões, mesmo que adversas.
Boa semana
Cris disse…
É uma pena não ter curtido os meninos do Mamão, os conheço a 9 anos, são realmente sucesso aqui no interior de São Paulo e capital. A mesma insatisfação sentida por vc ai em Videira, era sentida por muitos e muitos paulistas mas ao contrario de vc, era porque não puderam ir na gravação por ser muito longe,mas que foram representados por uma pequena parte do fã clube da banda que corajosamente encarou 12 hrs de estrada para chegar na acolhedora Videira. Não te julgo por não ter gostado da banda, afinal, temos todo direito do mundo de termos gostos diferenciados,mas resolvi deixar meu post aqui,poxa nao precisa humilhar neh, por aqui fizemos a maior propaganda da cidade, adoramos a casa, a recepção que tivemos, a galera que conhecemos e quando entro na net encontro um post detonando nossos meninos que tao humildemente aceitaram o convite de gravar o DVD ai em comemoração a 10 anos de estrada. Somente lamento por nao ter gostado. Deixo o convite para visitar nao somente as dezenas de comunidades noorkut sobre eles,mas tb o site da banda e conhecer umpouquinho mais sobre a historia deles...
um abraço.
Cris
Olá Cris

Bom, primeiro agradeço a tua educação em manifestar a tua opinião sobre meu post. Segundo, por defender a quem gosta de ouvir, acompanha e torce para que tenham uma carreira promissora e por último, por chamar nossa cidade de acolhedora. Manter esse nível de respeito, coisa tão difícil ultimamente.

Esse post, como já deve ter lido, gerou alguma polêmica. Eu não natural de SC e sim da capital gaúcha. Lá, cansei de ir me shows de bandas Pop Rock ou de MPB com sotaque do gaúcho. Mto defendi meus ídolos, mto levantei suas bandeiras e fiquei lá, no gargarejo, cantando e dançando muito feliz. Por isso, por conhecer parte da trajetória de Bandas como Papas da Língua, Engenheiros do Havaí, Cascavelets, Garotos da Rua, Adriana Calcanhoto e assim por diante, que sei quanto o mercado fonográfico e antes disso, a opinião pública, é cruel com essas pessoas.

Acho legal Videira tentar quebrar um paradigma, uma cultura, para ampliar os horizontes, proporcionar alternativas de lazer e estilos. Eu, que muito sofri com a falta de outros sons qdo cheguei por aqui, por algum tempo acreditei que fosse possível mudar os costumes. Mas fazer isso com uma banda que ainda não circula na mídia comercial é mta sacanagem.

Eu ouvi o CD da Capitão Mamão no mesmo dia do show. E confesso que antes de adqurir o convite eu nem sabia o nome da banda ao certo. Mesmo assim eu gostei do som deles. Achei bacana, um trabalho honesto num estilo musical extremamente concorrido. Mas, daí, fazer eles voltarem, no mesmo dia em que havia três bailes na região (e isso sim atrai pessoas por aqui) é muita sacanagem. Até porque inaugurar uma casa em que gerou espectativas durante meses é outra coisa... Talvez os organizadores da Casa tenham se iludido ou acreditado numa mudança de comportamento da região mto rapidamente.

Espero, sinceramente, que essa noite venha a contribuir positivamente na cultura local. E que não tenha sido traumaticamente para os guris, embora eu tenha, realmente, ficado decepcionada.

Outro abraço e obrigada pelo comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…