Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

Carinhos

Que a semana de todos nós sejam assim: amorosa!

Paixão de passageiros

7h14. Quem não se atreveria a sentar no trem? Ninguém. Até eu que fui a última e embarcar consegui um assento privilegiado. Nem mesmo o rapaz magrelo, que depois de passar de vagão em vagão, encontrou a razão do seu afeto, estabelecida ao meu lado.

A moça, até então bem tranquila e confortável no banco coletivo, logo buscou espaço para receber o fã temporão, que guardava a mochila no bagageiro. A paquera começou emocionada, assim como as “bundadas” na lateral do meu avantajado corpo.
De minuto a minuto, recebia espiadas com desagrado e os pequenos empurrões. De certo ela pensava: “Vou empurrar a gorda, ela não sente mesmo”. Eu, que sigo a #EtiquetaUrbana, me aconcheguei no meu grosso casaco, fechei os olhos e fingi não sentir mesmo.

Cuidar de Mim

Paula Lima e Seu Jorge são meus amores musicais. Os estilos são diferentes. Mas eles estão pra mim, como estão Djavan e Marisa Monte. Ídolos.

Ou Isto ou Aquilo

Estou vivendo uma semana a la Cecília Meirelles: Ou Isto ou Aquilo. Às vezes queria que tudo na vida fosse mais simples. Como a infância. Tudo é bonito, tudo é bacana, tudo vira brincadeira... Em alguns momentos pode parecer que não, na ótica de uma criança, mas, depois, olhando pra trás, é fúria e folia infantil. E depois a gente cresce e fica assim: meio perdida...
Estou lutando para crescer nos últimos dias. Para ser um pouco mais responsável, mais fiel aos meus projetos e desejos. Mas é tão difícil ser adulta!
Tudo precisa ter envolvimento, comprometimento, empenho e dedicação. Tudo precisa ter paixão. E com ela, o prazer. Queria tanto pular direto para o final... Numa equação matemática simples: desejar + trabalhar = para nossa alegria. De novo, não.
Já que não pode ser assim, o negócio é arregaçar as mangas e seguir em frente. E que seja agora. Pra que amanhã, eu abra os olhos, consciente de que fiz de tudo para que desse certo nessa vida.

Eu sempre quero beijão

Prefiro assim. Um beijão. Aquela coisa arraigada, espraiada, com sensações que harmonizam e brigam dentro da gente. Que perpassa pelos pontos sensíveis da boca, é acariciada pela língua e é sentida garganta a dentro. Beijão pode se modificar no caminho. Ou não. Mas nunca perde a intensidade. Ele é sempre assim, arrebatador. Se chega ao coração é pura emoção. Amor. Sentimento nobre e repleto de carinho, atenão, afeto. Se desce pela espinha, me arrepia e vira tesão. Ai não tem jeito... Tem como viver sem beijo? Claro que não. Que mulher consegue ficar sem beijar? Na bochecha, nos olhos, na testa, nos lábios, de boca, no pescoço... Beijar é como coçar. É só começar que pronto, vira TOC. Eu prefiro toque.
Feliz Dia dos Namorados aos casais apaixonados!

O Mundo na Rio + 20

Sim. Vou lançar mais uma frase bairrista, bem ao estilo gaúcho. Digam, façam, plantem, implantem... Mas a rua mais bonita do mundo fica na capital do Rio Grande do Sul. A rua Gonçalo de Carvalho é bem assim mesmo: todinha arborizada do início ao fim, formando um túnel verde. Emanando um ar fresco e aromático, proporcionando uma sombra de paraíso.
Enquanto em 99% de áreas urbanas, o concreto cresce feito iço entre a resistente vegetação das cidades, aqui, a laje e o asfalto abre espaço para o iço de verdade crescer livre. Não é a toa que Porto Alegre é uma das cidades mais arborizadas do mundo por habitante. Se não a primeira. Somos 1,5 milhão de habitantes e o número, somente, de árvores já passou disso. A estimativa é que exista “um pé de que” e meio para cada um de nós.
E elas não estão espalhadas apenas em praças e parques não. Que também são centenas. Mais de 300 espaços arborizados para lazer e a prática de esportes. Mas isso é só uma partícula do que a natureza nos oferece por…

Bariátrica, 2007, 130kg

Sábado de sol. Como tem sido todos esses dias de outono. O que não significa que está mais quente ou menos frio. Não. Final de semana de temperatura baixa. Bem como turista gosta. A semana toda assim.

Minha mãe, que foge do frio como o capeta da cruz, não entende o que esse povo todo quer no meio do gelo do Sul do país. Tentei argumentar com ela que, se eu tivesse dinheiro, também faria o mesmo. Ou talvez o inverso. Ir para o Norte, procurar águas quentes. E ela sai com a mesma pérola: “Tu ia vagabundear também”. Ri. E concordei.
Foi nessa linha, que na semana passada, ao almoçar com uma colega, falamos do frio. Claro que comentamos que no inverno dá vontade de comer mais coisas gostosas. O que também significa ser mais calórico e, logo, engordante. Foi assim a refeição da gente, com o papo girando entre comidinhas para o feriado de Corpus Christi, vestibular, família e o frio. Até, claro, ela me revelar que já tinha sido gorda, no passado.
Sim. Minha colega já pesou 130 quilos. Um a…

Sou pássaro de fogo!

Eu tenho alguns vícios culturais. Por exemplo: adoro cinema. Embora esteja sem tempo e não tenho entrado numa sala há meses. Também adoro música e até tenho ido a shows. Mas escutado no MP4? Não. Mas isso vai mudar, pois comprei um tocador esta semana, que não gostei, mas vai servir para ouvir minhas músicas favoritas, meu maravilhoso Djavan e minha maravilha Marisa Monte.
No entanto, tenho curtido outras coisas no momento. Estou pondo minhas leituras em dia. Mas só no trem. São 25 minutos diários dedicados ao Som e Fúria de Tim Maia. É. Pra esse mestre do soul music, Vale Tudo mesmo. Até ler em pontos de ônibus, dentro dos coletivos e filas de espera de qualquer lugar. Estou apaixonada pelo síndico, ainda mais do que antes, e ainda mais arrependida de ter feito birra e não ido ao seu último show em solo gaúcho.
Mas agora já era. Ele está lá embaixo e eu aqui na superfície. Sim. Tim Maia não deve ter ido pro céu. Tinha passe livro pra terra do anjo negro e deve estar todo mundo suin…