Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009

Crepúsculo

Entrei para a onda dos "vampiros" e tomei emprestado o livro Crepúsculo, da escritora Stephenie Meyer. A ideia é ler este e Lua Nova até o dia 20 [e ainda assistir ao DVD do primeiro livro] data do lançamento nacional do segundo filme da série. Vamos ver se rola de verdade! .

Doces ou travessuras?

Tem origem na Europa, provavelmente na região da Bretanha, lado oeste da França, há mais de dois mil anos.

Era uma festa popular, típica do povo Celta que lá habitava, que marcava o final das colheitas e o retorno do gado e das outras criações aos pastos. Com o passar dos tempos tal festa foi sendo lentamente transferida e absorvida pelas Ilhas Britânicas.

Era uma festa noturna celebrada com muitas fogueiras e archotes. Crianças com os olhos vendados tentavam pegar pedaços de maçãs que segundo elas serviam para prever o futuro. Quando a noite caía, os espíritos dos que já haviam morrido durante o transcorrer do ano, voltavam para se aquecer juntos às fogueiras, pois tinham medo de sentir o frio do inverno que se aproximava.

Deixava-se então o fogo acesso nas lareiras das casas e preparava-se para tais mortos tigelas de sopa bem quente. Nas estradas dispunha-se de tochas feitas de nabos para marcar os caminhos, para que os mortos não se perdessem. Em muitos casos, os gnomos e os duendes d…

Minha "Brastemp Club"

Ela não é a materialização do meu sonho, mas gela minha cerveja muito bem. Agora tenho uma geladeira. Na verdade não minha, mas do Flat. A vizinha se mudou. Conseguiu um emprego na terra dela [Hunter City] e fez sua mudança nesse sábado. Uma lástima, porque a Mari era gente boa pacas. Falava pelos cotovelos, como eu. A conversa de porta nunca era menos do que 30 minutos.

Com ela eu dividia a Maria, a máquina de lavar que comprei este ano. E comigo ela dividia a “Brastemp Club em Inox” que tinha no Flat dela. Quando soube que iria voltar para Caçador pedi a geladeira para o nosso locador. E ela também. Foi a maior pressão em cima do homi. Tudo para que eu não precisasse despender com R$ 700 numa nova [com o lance do IPI reduzido eu queria mobiliar toda a casa].

Hoje, o locador veio atender nosso desejo. A bicha não é nenhuma Brastemp, mas como ressaltei no início, funciona como se fosse nova, moderna e a própria Club. Diliça! Estou tão feliz que vou até no mercadinho hoje, encher a bicha…

Final de semana na Terra do Nunca

Estamos já no final da noite de sexta feira e no início de um final de semana estendido com o feriado de finados. Estranho ter um feriado para louvar os mortos. Mais estranho ainda é que as pessoas façam movimentos, investimentos e tenham cuidados com eles apenas uma vez ao ano. Não entendo isso. Aliás, não entendo muitas outras coisas também, mas isso é estranho. Quem amamos e morre, merece apenas um dia do ano nas nossas vidas... E, às vezes, nem isso. Estranho!

Aliás, esse post deveria ter esse nome hoje. Estranha. É assim que me sinto desde que acordei. Hoje mais do que ontem e assim por diante. Senti coisas estranhas, desejos e vontades ainda mais. Chorei num filme de animação no cinema no início da noite. Falei sério brincando com o chefe, mas ele se fez de desentendido. Almocei às 14h30 na praça de alimentação do shopping, vazia, e achei estranho, mesmo que isso, nesse horário, seja bem comum aqui no centro comercial da Terra do Nunca.

Tudo muito estranho mesmo. No meio da tarde …

O mapa do lar, doce lar

Chalé da Praça XV

Ontem, durante o encontro mensal com os amigos associados do Museu do Vinho em Iomerê, rolou um papo sobre cidades, vínculo e lar. Breve, mas rolou. Eu não me manifestei. Pensei na hora que meu lar é onde estão meus sapatos, como canta a dupla Sá e Guarabyra. E os meus sapatos estão calçados em Porto Alegre. É na capital dos gaúchos que estão minhas referências.

Usina do Gasometro

Hoje, quando me perguntam se estou adaptada a Videira, e sempre me questionam sobre isso, eu digo que sim, pois estou mesmo. Já tenho outro ritmo, outros costumes, rotina, vivências, mas, ainda nada que supere ao berço [esplêndido para mim]. Reconheço pessoas por aqui, conheço outras pessoas aqui, tenho amigos, ganho o pão de todo dia e tenho a oportunidade de dar sequência a planos traçados há tempos. Mas meu coração bate é no Porto dos Casais.
Rua da Praia [ou dos Andradas ou, ainda, Calçadão]
Não dá para descrever em palavras o que sinto. Melhor, dá sim. Dá para tomar emprestado O Mapa, de …

Da TPM só a comilança

Mulher é bicho estranho mesmo. Parei de tentar imaginar quantos dias meu ciclo menstrual devia estar atrasado. Logo eu, que sou um relógio. Deu 28 dias [ou 30, não sei contar direito] e pronto: lá está ela. Não que estivesse preocupada também, afinal, desse mato não sai coelho, cachorro, gato, galo, guaxinim e muito menos nenês.

Com a preguiça de pegar o calendário com as marcações, decidi ficar esperando o tradicional sinal - que não veio. Melhor [ou pior], veio em forma de gula. Passei dias devorando bolos, chocolates, doces diversos, um frango inteiro, pães e coisa e tal, muito além do normal. Sim eu como bastante...

Essa é minha TPM: comer de tudo na tentativa de evitar o chocolate. Ainda não sei por que faço isso, se, afinal, eu amo chocolate.

Enfim, de repente, não mais que de repente; plim! Chegou... E nem fiquei mal humorada. Ainda! Do jeito que comi, o temperamento irá mudar assim que subir na balança. E tem gente que ainda gosta de mulheres... Não consigo entender. Eu gosto é d…

Quem quer ser quando crescer?

Putz, porque parei de fumar e tenho gatos, nunca poderei ser a Mulher Maravilha. Nem na terceira idade! Também não dá para vibrar pelo fato dos corpitchos estarem quase iguais, porque, afinal, ela continua sendo da Liga da Justiça e andando de avião invisível.
Ai, gorda e pobre tudo bem, mas sem poderes na velhice é o "fim" mesmo. Oh vida!

Mas, pensando bem... Antes ser uma quase Mulher Maravilha do que uma patricinha de fim de carreira... Ufa! Nessa me dei bem [acho!] .

Não passe calor nesse verão...

Quem foi que disse que piscina é um luxo das minorias privilegiadas??? Só que existem piscinas e... PISCINAS.

Sugestões:
Modelo individual

Acessórios:copo de alumínio para a cerveja e "raibã" para dar aquele charme...


Modelo compacto com escada

Para aqueles que não ligam para o que os vizinhos falam.


Modelo móvel

Para os aventureiros. Pode ser usada no campo ou cidade.


Modelo coletivo

Para famílias e grupos de amigos, que não ligam para um eventual pé na boca.


A-G-O-R-A se você é: alérgico a cunhados(as), sogras, familiares em geral e "amigos" de plantão....

Modelo Espaçoso


Modelo "QUE LOUCURA!"

Sem comentários!!!! Maior piscina do mundo no Chile.

Resort San Alfonso del Mar - Chile (maior piscina do mundo)

1 km de extensão,80mil m2 e 250mil m3 de água.
Escolha a que melhor se adapta !!!

antes que me perguntem, meu preferido é o Modelo Compacto com escada. super original. hehehe. mas, obviamente, se pudesse ficaria com o Modelo Espaçoso. como não dá para sonhar sempre, pus…

Com os bichos soltos

Noite de calor intenso em Videira. Já era um prenúncio disso ao longo do dia, onde aqui embaixo no vale, o asfalto emanava o calor absorvido pelos raios de sol que dominou o dia. Será que posso chamar isso de uma das conseqüências do efeito estufa? O super aquecimento do solo urbano?

Enfim, era um calor dos diabos aqui na terra. No início da noite, de banho tomado e cheirosa, tive que descer para destrocar a confusão que fiz com as fitas da locadora. Daí percebi que chuva forte se aproxima. Estava muito abafado.

Logo, ao chegar em casa me pus a cozer um bolo de aipim, suflê de cenoura com chuchu [adoro] e carré de porco na frigideira. Tudo isso às dez da noite. E como toda mulher que cozinha como forma de reflexão, salguei a comida. Tanto, que estou tomando água até agora, de tanta catarse que fiz com o saleiro.

De porta aberta para aliviar o calor - e mesmo assim não adiantou - nem uma brisa entrava por ela. Só os bichos. Era uma infinidade realmente infinita deles, que passei mais temp…

Noite de ventania e chuva

Efeito Borboleta [1] Talvez esse filme não tenha sido a melhor escolha para hoje, né Shazan?
Shazan?!
Não brinca assim com a mamãe gatinho...

Tony Bennett: Queria ele cantando só pra mim...

Com certeza, longe dos 83 anos de hoje. Mas igualmente bonito

Dinheiro não é problema, é solução! So queria saber quem tem um pouco desse recurso para eu resolver alguns inconvenientes. Entre eles, a perda de mais uma oportunidade de ver um dos shows do lendário Tony Bennett, no Teatro do Sesi, em Porto Alegre hoje. Como sei que ninguém tem essa solução para mim, estou com esse problemaço.

Pra variar, ele será mais um dos meus ídolos musicais que morrerá sem com que eu possa entoar canções, em sincronia, a poucos metros de distância. Depois que o Frank e o Tom morreram; aliás, depois que Cazuza, Cássia, Chico [Science], Tim e Mercedes foram se apresentar em outros palcos, comecei a dar mais importância a esses luxos. A falta desse meu luxo...

Menos mal que pude, ao menos, vê-lo no Programa do Jô ontem à noite. Claro que tive que assisti-lo com chuviscos, pois a antena coletiva era zapeada pelos vizinhos desde o horário do Casseta e Planeta. E pasmem: para quê? Para ver umas pegadinhas er…

Balada do Louco

“...Eu juro que é melhor, Não ser o normal...”



Acabei de assistir ao Profissão Repórter. Adoro o Caco Barcellos, meu conterrâneo, meu xará de sobre nome. Mas aquela expressão dele de “se tu não és eu louco, eu é que sou então?” ao entrevistar dos doentes mentais, me deixou um pouco descrente do seu profissionalismo. Mesmo assim, gostei do programa que retratou, de certo, uma partícula da realidade de quem sofre de alguma deficiência mental ou psíquica.

Eu sou de Porto Alegre e sei bem como era o tratamento aplicado no Hospital Psiquiátrico São Pedro, mesmo vivendo do lado de fora dos muros e grades do manicômio - e nunca quis entrar lá. Até hoje, depois do hospício ter sido desativado e com o espaço adaptado às artes cênicas, não consigo ir. Parte disso se dá, de repente, a um medo desenvolvido ainda criança, quando ouvia história sobre choques, camisas de força e o efeito dos barbitúricos.

Só que ali na Avenida Bento Gonçalves, tão perto de casa, não havia somente o hospital psiquiátric…

Hello?! Helllllooooo?!!!!

Três anos! Três longos anos com o mesmo aparelho celular. Sim, tudo bem, nos últimos dois eu quis trocar. Primeiro por um V3 e por último por um Sony Ericsson. Agora não é mais um desejo e sim uma necessidade. O coitado do meu Nokia - modelo 1110 -, é um guerreiro, mas, não a cada tombo [he he he], fica mais difícil teclar os números ou escrever torpedos.
Tudo bem, confesso que ele é um guerreiro. Resiste até hoje há várias quedas. Diria que o dito Duro Na Queda é perfeito pra ele. Mas tenho que dizer adeus. E veja qual o celular dos meus sonhos agora. Hehehehe. Claro que sonhar é permitido. Ainda mais para mim, que depois de dois anos nem um V3 usado comprei. Mas comigo é 8 ou 80. Ou novo ou nada.
Bom, nem vou consultar o preço de um Nokia Aeon, mas sei que o meu 13 salário não dará conta de um bicho desses; nem a pau juvenal... Melhor manter a opção das férias no litoral.

Adoro tecnologia de ponta [de estoque]

Horário de verão - amo!

Não há coisa melhor que os dias [e noites] durante o horário de verão. As pessoas parecem mais dispostas com um amanhecer fresco e luminoso. Geralmente pulam da cama cedo e começam suas atividades já a mil por hora.
Hoje foi assim. Abri os olhinhos por volta das 6h30 e já pensei em entrar no novo ritmo. O problema foi que às 8h30 o Shazan voltou pra casa da sua caminhada matinal e me convidou para dormir. Daí não resisti a um pedido tão meigamente felino e cedi...

E os finais de tarde então? Tão belos quanto o amanhecer. Parece que o dia da gente dura 30 horas com a luz extra. Dá vontade de fazer tudo de uma só vez. Pra começar a semana, seria delicioso um happy hour, como aqueles que vivi com amigos tão queridos da minha terrinha. Ai, que vontade que dá...

Pronto. Como diz a Jana, tava com saudades disso, mas já passou. Fim pra sessão nostalgia. A todos uma boníssima semana, cheia de luz e energia. Eu comecei com a corda toda. Aleluia!


Quem bebe, os males espantam!

Tudo bem que quem canta os males espantam, mas quem bebe também. Afinal, naquela hora do bate-papo com o WC, se todos os males, exageros, possíveis pecados, os resquícios da comilança e beberagem das últimas horas não saírem de ti, é porque não bebeu o suficiente. Ou então tu é ruim pacas! Eu posso assegurar que quando bebo, mas bebo mesmo, espanto os males e sou gente boa pra caraiô...

Mas não dá para encher a cara só para fazer a limpeza no organismo e do espírito. Tem ser algo natural e ter motivos. Ontem, por exemplo, o motivo foi o aniversário de 56 anos do clube da cidade, onde todos os anos ocorrem o maior e mais divertido carnaval de salão aqui da região. E claro que fui dar o ar da minha graça lá na animada festividade.

Não tinha muita gente, mas, mesmo assim, foi bem bom. A Banda Seven, que já tocou em outros carnavais e formaturas, botou pra quebrar e animar a galera. Dancei, rodopiei, valsei [sim, dancei até valsas], rebolei e fui - quase - até o chão. Sabe cumé né gente, 35…

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Lanche da tarde

Sabe aquela chuvinha fina, fria e que dá vontade de se enfiar embaixo das cobertas para ver filminhos com uma tigela de pipocas nas mãos? Então, era esse o clima do meio da tarde em Videira. Depois da boa do dia cair por terra, não me restou mais nada do que fazer exatamente isso.

Só dei uma incrementada no lanche da tarde. Antes de clicar o play do DVD no lap top, desembrulhei o abacate que estava madurando há duas semanas [fui pacienciosa e valeu a pena] e esmaguei com açúcar e limão. Logo, lá estava eu, alegremente, vendo Spirit; enquanto lá fora o clima era ao estilo de Londres. p.s.: para mim, Eva mordeu foi o caroço do abacate e não a maça...

A Pollyanna está em festa. Aliás, agora, todos os dias serão uma festa quando chegar em casa. Também, com um gato daqueles a esperá-la, bye bye tristeza.

Hoje o tiozinho aqui da oficina ligou a parabólica cá para o Flat. Óbvio que só terei acesso a Globo com o sinal, mas com a qualidade da imagem, quem pensaria em ver outra coisa na TV Aberta?…

Corôa? Só esse...

Ah, quem me conhece sabe que os bolas cansadas me dão asco. Porém, o Zé Mayer é diferente... Desde que ele (Fernando) contracenou com a Malú Mader (Cláudia) na novela Fera Radical, há quase 21 anos, eu nutro essa paixão por ele. De repente foi isso. Ele era novo ainda, fisicamente. Mas seu perfil, seu jeito de atuar é o mesmo. Como minha paixão por ele.

Um bom motivo para comprar uma tevê, que hoje, com minha perseverança, captou o sinal da Globo. Iupi! Eu agora verei Viver a Vida sem ser da pastelaria da esquina.

Meditação

Há dois meses venho pensando em retomar os exercícios de yoga. Pratiquei a meditação por dois meses e percebi, instantaneamente, os benefícios que a atividade teve sobre meu corpo e mente. Meu organismo funcionava melhor, tinha mais disposição e ativei a consciência a respeito do meu auto conhecimento. Recomendo!

Foram semanas de paz interior e exterior, que, preciso retomar e isso só voltando a exercer a meditação. Além de tudo, também é uma terapia. Com certeza, com a yoga, não precisarei recorrer a um analista num futuro próximo.
* * *
A parte Rezar do livro de Liz Gilbert é muito divertido. Ela não conseguiu chegar ao "nirvana" ainda. Para alguns, yoga realmente não é uma boa opção.
.

Blecaute

Eu sou catastrófica. No comportamento, nos atos e, principalmente, nos pensamentos. Hoje, na hora do blecaute, estava assistindo a alguns episódios da terceira temporada de Heroes, no lap top. Por isso não me dei conta que estávamos sem energia, sabe-se lá desde que horas.

Fiz uma pausa quando percebi que estava escurecendo e que iria chover em breve. Então desci até a locadora para buscar “O menino do pijama listrado”, que havia reservado. Daqui de casa vi que havia uma tênue luz na locadora e fui com o corpitcho. O ponto de luz era alimentado a baterias. Não havia gerador no prédio. Portanto, o sistema não estava funcionando. Logo, voltei para casa com outro filme: Spirit.

Enquanto subia a rua, íngreme, que termina bem ao lado da minha casa, ia pensando: “Está tão escuro e as pessoas já começam a ficar nervosas no trânsito, mesmo tendo os faróis para iluminar o trajeto e o interior do veículo. Até parece que estamos prestes a vivenciar uma espécie de ‘ensaio sobre a cegueira’”.

Olhei p…

Eu só quero chocolate...

. "Não quero chá, não quero café Não quero coca-cola, me liguei no chocolate Só quero chocolate"
O vício é tão grande, que hoje acordei e senti que precisa me perfumar com o aroma de chocolate. Mesmo achando desperdício até mesmo o uso de essências - do que pra mim é a oitava maravilha do Mundo - em produtos não comestíveis, fiz uso dessa colônia no pós banho. Eu, que sou naturalmente achocolatada, incrementei o corpitcho hoje... Depois, claro, tomei limonada com um pedaço de bolo de chocolate no café da manhã. E tudo está mais bonito hoje...


.

Ruído televisivo

Agora eu sei porque demorei tanto tempo para comprar um aparelho de tevê. Muito ruído! Depois de duas horas [eufórica porque havia conseguido sintonizar um canal] assistindo a TV Barriga Verde, percebi que ouvir a Transamérica Hits pode não ser o inferno radiofônico que pensava, perante tanta porcaria televisiva. Tchê, melhor mesmo era investir numa internet mais veloz para ver tudo pelo canal do Youtube.

Feliz dia 12 de outubro

Hoje, dia 12 de outubro, comemoram-se várias coisas. Tem o irmão de um colega do primário que está de aniversário. O Arlen era um capeta quando pequeno e agora está um homem dos diabos de bonito...

Além do guri, também é o Dia Nacional da Leitura. Descobri isso no Skoob, a rede social dos leitores, ao qual faço parte desde o início do ano e nem lembrava. Foi lá que fiquei sabendo da comemoração de hoje. A data foi instituída com o objetivo é tentar sensibilizar pais e educadores para criar o hábito e o prazer de ler desde a infância.

Também é Dia das Crianças. É claro que essa data me deixa alegre. Durante muitos anos da minha juventude eu ganhava presente do meu pai. Era um carinho que fazia comigo e a minha mãe durante muitos anos. Mas, depois que meu primeiro sobrinho nasceu, perdi a Páscoa e o Dia das Crianças. Mesmo assim, adoro a data, porque eu sou tão infantil às vezes, que não há outra explicação: é o erê que habita em mim.

E, claro, não poderia deixar de esquecer Nossa Senhora …

Dias de luz

Praça do Coreto
Dois dias lindos em Videira. Aliás, já começou na sexta, com um amanhecer limpo de nuvens. O céu passava do azul escuro para o claro, até o sol despontar completamente. E foi assim ontem e hoje e torço para que seja assim também nesta segunda feira, contrariando as previsões do Climatempo.
Hora do chimarrão e da leitura na praça. O difícil será escolher entre as preferidas: ou a do Coreto ou a Nereu Ramos... Com tempo [e bom], nem preciso optar. Vou nas duas!


Praça Nereu Ramos