Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2010

Ego: massagear ou insultar

Massagear o ego é bem simples. Basta um elogio, um flerte, uma homenagem, um presente sincero. Minha vaidade adora isso tudo. O que ela não gosta é de comentários inoportunos e sem sentidos.

Nesse sábado, estava eu aninhada ao meu grupo de acompanhantes. Os três: bem vestidos, comportados e socialmente corretos. Não queriam chamar a atenção. Eu: levei apito, estava de amarelo e batom vermelho. Mesmo que não quisesse, cerimônias de colação de grau precisam de exageros. Afinal, estávamos ali para massagear o ego de alguém.

Só quem não entendeu isso foram duas pessoa. O nono eu perdôo. Ele me parece gente boa. Vaidoso, sabichão pelo que conta a neta. Não gosta de preto, mas de preta eu nunca soube nada... Eu, na santa inocência e pensando que longe de Videira, gritar por um sobrenome comum não atrairia atenção para mim, além da intenção de lembrar a formanda de que estávamos presentes e por ela.

Mas o nono me assustou ao se virar e me inquirir. Tive medo. Mas longe da roça não havia de onde…

27 dias para a Hora do Planeta

No sábado, 27 de março, entre 20h30 e 21h30 (hora de Brasília), o Brasil participa oficialmente da Hora do Planeta. Das moradias mais simples aos maiores monumentos, as luzes serão apagadas por uma hora, para mostrar aos líderes mundiais nossa preocupação com o aquecimento global.

A Hora do Planeta começou em 2007, apenas em Sidney, na Austrália. Em 2008, 371 cidades participaram. No ano passado, quando o Brasil participou pela primeira vez, o movimento superou todas as expectativas. Centenas de milhões de pessoas em mais de 4 mil cidades de 88 países apagaram as luzes. Monumentos e locais simbólicos, como a Torre Eiffel, o Coliseu e a Times Square, além do Cristo Redentor, o Congresso Nacional e outros ficaram uma hora no escuro. Além disso, artistas, atletas e apresentadores famosos ajudaram voluntariamente na campanha de mobilização.Em 2010, com a sua participação, vamos fazer uma Hora do Planeta ainda mais fantástica!

Como Participar

Existem diversas formas de participação. A primeir…

Quer descansar? Peça as suas ferias, então!

Hoje eu acordei com vontade de já estar de férias. Olhei para o relógio e depois para o gato. 6h05. Filho da puta! Levantei e pus o bichano pra fora, mais uma vez. De repente, um pensamento mal me veio à mente. “Domingo, tu vai miar para abrirem a porta pra ti e ninguém vai aparecer...” Coitadinho! Na verdade, melhor nem pensar nessa hipótese.

Se eu pudesse, entregava o Shazan só no domingo na pet shop, final da tarde ainda por cima. Para que ele pudesse curtir um pouco mais do ar livre, do espaço que há aqui no quintal. Mas o que são 15 dias pra ele, preso, que vive diariamente na vida boa? Sim, eu sei... Deve ser o inferno. Mas, aos poucos vou embutindo em sua mente que quem vai tirar férias é ele. Ficar só no come, bebe e dorme, sem apanhar dos gatos de rua e muito menos ouvir minha conversa mole...

É... Cá estou eu já com uma dor no peito de abandonar, mesmo que temporariamente, o meu gatinho. Mas eu preciso de férias. Se não fosse eu ir correndo para sob o chuveiro, talvez não tive…

Já é hoje...

Nem acredito! Demorou, mas chegou. Primeiro a sexta-feira e com ela o fim do período de trabalho. Não somente da semana, mas da quinzena. É, assim que enviar a última matéria para a edição de amanhã estarei de férias. Serão 15 maravilhosos dias, que nem me importaria de passá-los em casa, em frente a tevê.

Pelo visto isso não será difícil, considerando que o tempo deu uma reviravolta geral. Uma matéria no Jornal da Globo agora a pouco informou que a temperatura baixou 12⁰ em São Paulo! Estava um calor du caraiô no Rio de Janeiro e agora faz frio para os cariocas e no “Sul”, entenda-se, Rio Grande do Sul - chuva. Putz grilo!

É bem isso... Alegria de pobre dura quase nada. Minha esperança é de que pelo menos, até eu chegar a Porto Alegre, haja uma reviravolta no tempo e o sol volte a brilhar para que eu possa salgar o corpo e retocar o bronzeado. Depois de várias estratagemas tenho que aproveitar o máximo minhas férias.

Está tudo bem! Não ficarei triste de ver o final de Alma Gêmea no Vale…

the flashe's

* ando tão a flor da pele, que até concurso de miss da Vindima me fez chorar *

* os mosquitos aqui de casa estão gordos do meu sangue *

* peloamordedeus! os gringos do lado brigam dia sim e outro também *

* Tô de exame na pós. Pode?! Prova hoje e sábado... O fim da várzea *

* Definitivamente: Ir pra escola é bom, o ruim é estudar *

* ganhei uma viagem de 15 dias para o Rio de Janeiro *

* perdi a viagem de férias, mas o prêmio de consolação já está na conta... *

* por que as pessoas gostam de atrapalhar a soneca dos outros? *

* é muito legal quando as pessoas curtem o que a gente escreve sobre elas :)

* me sinto cada dia mais arredondada, cansada e sem vontade *

* depois de 24 horas numa fazenda na Zagolândia, tenho absoluta certeza de que gosto da lida entre concretos *

* consequência do surto consumista do início do ano: falência total até 2011! *

* uma noite na folia de Momo, supermercado, aluguel, pós, consórcio, duas formaturas, um aniversário e já acabou o salário do mês *

* preciso me lembra…

Exibida que come casca de ferida

Sou guria vaidosa e exibida. Ponho laços nos cabelos, bem coloridos, e saio no vento para sacudi-los, naturalmente. Então, porque não iria dizer aqui, que também estou aqui?

Vou explicar. Recebi um convite do Enfil para escrever um texto colaborativo ao Sexo Verbal. Depois de uns dias e da vontade de falar sobre a paixão, nasceu a cria. Embora toda a insegurança a respeito da qualidade dos escritos, a arte final que o editor deu as minhas palavras tortas resultou num trabalho encantador.

Mas não vou falar mais. Entre no blogue - que sou fã de carteirinha - e confira Feniletilamina. Um texto sobre a Paixão e, quem sabe, sua possível origem. Claro, com uma boa pitada de opinião. Senão, não seria eu - essa guria exibida que come casca de ferida!

Sem amor eu nada seria...

Há dias venho pensando no amor. Mas não naquele de pai, mãe e irmão. Não naquele de filho ou filha; de amigos. E sim naquele amor de paixão. Aquele sentimento que é puro fogo. Sinto falta disso nos meus dias, depois que entendi que "falar de amor me transformou para sempre". Mas senti-lo? Ainda muito mais!

Eu acredito em príncipe encantado. Mesmo sem nem sequer ter ouvido, visto ou que alguém tenha referenciado ele pra mim. Não sei como ele é. Não o conheço. A única certeza é que ao contrário daqueles homens nas lendas infantis, meu príncipe não está a galope. Vem troteando, lentamente, absorvendo a paisagem.

Minha única certeza de hoje e sempre é que eu, sem amor, nada seria. Por isso, que, quando ele chegar a minha frente darei meu coração a ele. Destemidamente, como já fiz em outro momento, para viver intensamente, o mais sublime dos sentimentos.

No pós carnaval, as férias...

O carnaval terminou e hoje o Brasil curte a ressaca dos quatro dias e cinco noites da folia de Momo. Eu, que estava mais pra cá do que pra lá, estiquei a faxina ao longo desse período. Era uma preguiça tão grande, que só fui ao supermercado no sábado por que não tinha mais comida e bebidas em casa.

No domingo, a ressaca que a súdita ficou da noite anterior teve que sumir rapidinho. Um almoço de noivado estava agendado para as 11h30. Engraçado, que esse foi o mesmo horário em que eu abri os olhinhos. Isso significa que, obviamente eu perdi o pedido do noivo. Por outro lado, eu ganhei o amadrinhamento da noiva.

O legal foi que em pleno domingo de carnaval aqui no Brasil, caiu o dia de Valentine’s Day, comemorado em muitos países da Europa e nos EUA. Aqui, a data em louvor a São Valentim não tem um apelo grandioso. Mas sempre tem algum comerciante espertinho que se alerta e dá uma aquecida nas vendas de seu estabelecimento. Eu não esqueci e nem tinha como, pois havia sido convidada para o …

Eu peco pela boca, sempre!

Carnaval de 2009 - Vale Samba

Minha amiga Jana diz que tenho que manter meus sonhos, desejos, projetos para mim. Sem ficar espalhando aos quatro cantos, muito menos pelo mundo virtual. O problema é que eu peco pela boca, sempre! Sou gulosa e sou faladeira. Não faço fofoca, mas sou faladeira. Adoro uma boa conversa e segredo pra mim tem que ser partilhado, pelo menos com os amigos do peito.

Estava agora vendo o desfile da Imperatriz Leopoldinense, acompanhada de um big sanduíche e uma ceva bem gelada. Pronto. Lá se foi o primeiro pecado, considerando que sai de casa, depois do Big Brother, só para comer um petit gateau. Acho que era conseqüência da ressaca de sábado. Na verdade, é gula mesmo, já que comi meia barra de chocolate com castanhas e uvas passas. Não precisava de mais cacau por conta da ressaca não.

O outro pecado que cometo, diariamente também, é o de falar demais. Passei anos da minha vida não entendendo e renegando o samba. Passava os carnavais na praia, com amigos, ao som de…

Um Baile Carnavalesco

No entrevero do salão
a doce batalha entre Eros e Vênus
me golpeia em nocautes vitoriosos,
onde a premissa da razão
cede aos apelos da emoção.
E as armas que apresento ou empunho
se perdem e se confundem
entre as que enfrento e me rendo,
na renhida arenga do prazer.

Ilustração e Texto: Américo Conte
Ainda vou participar de dois carnavais regionais: no Recife e outro em Salvador. Ah, se vou... Enquanto isso, aproveito o carnaval por aqui, do Sul do Brasil. Um beijo em todos e boa folia

Sábado de carnaval com saudades de casa

Eu acordei às 6h45 para o gato sair. Depois, às 9 horas para o gato entrar. Por fim, ainda sonolenta, pensei: “Elaine, sai da cama e te arruma para receber o “mensalão”. Mas o cansaço foi mais forte e relaxei os pensamentos sobre o travesseiro, até que os Titãs começassem a tocar “Família” no celular.

Minha mãe não tem se fragol mesmo. Depois de uma sexta-feira de carnaval, qualquer pessoa de bom senso não ligaria para outra antes das 10 horas. Mesma que ela tenha ficado em casa, dormindo. Só a Odete mesmo... Ainda mais depois de um histórico traumático nesse período. Durante dois carnavais consecutivos, ligações no sábado pela manhã me assombraram com a possibilidade de perder meu pai. Hoje, depois de um intervalo de dois anos, voltei a tremer.

Mas não era nada não. Apenas um chamado para saber minha localização. Enquanto todos na capital dos gaúchos reclamam de terem ficado em “Forno” Alegre, eu, aqui em Videira, morro de inveja dos conterrâneos. Mal completa 60 dias de volta do lar e…

Diário Dietético: Esfomeada

Se dos 13 dias de convivência marital com o homem de Neandy (na opinião dele), degustando comida ovolactovegetariana, numa eu emagreci 1,5kg; em 15 dias longe de uma comida mais leve, eu engordei o dobro. Sem academia, sem controle, dando vazão a gula e aos carboidratos, estou de volta a velha forma arredondada e sem resistência.

Não que os 3 kg perdidos antes do Natal e mais a metade disso com a visita tenha me deixado a rainha da bateria de qualquer escola de samba. Não! Na verdade, bem longe disso. Mas, agora, no auge do verão, eu canso para subir a rua de casa. Canso só em pensar nas escadarias da cidade. Canso até de respirar. O único ato que não me canso de fazer é comer.

Nos últimos dias tenho voltado pançuda do restaurante bastantão da cidade. Tomado um copo de suco junto com as refeições e ainda repetindo, duas vezes, a sobremesa. Quando não vou para o café do shopping fazer a digestão com um pretinho básico, acompanhado de alguma fatia de torta... Além de encarecer a continha …

Bronzeado da cidade

Um calor do caraiô faz em Videira nas últimas duas semanas. Mas não dá para reclamar muito. Antes o mormaço do que as duas semanas de chuva intensa que caiu por aqui, em janeiro. Mas confesso que estou cansada de voltar para casa, cada dia com um bronzeado diferente.

Estou que nem essa mulher aí do cartoon: se saio de vestido decotado, na volta, lá está o V marcado no peito. Se de camiseta, o braço de caminhoneiro ressalta. Sem falar a bunda suada que deixa a calcinha encharcada ao final da manhã. Às vezes, só colocar aquele vestidinho batido, surrado, mas fresco - e ligar o ventilador - não basta. Tem que rolar um banho.
.
Nesse clima de verão escaldante entre concretos, só consigo lembrar do mar. Ah, eu numa praia com esse calor do capeta, não iria ter pra peixe, sereia, nem baleia. Só eu, como estrela do mar...

Pois bem, longe dele, o negócio é pensar no final da tarde, refrescando o corpo com o chimarrão bem gauchesco, após o banho bom com sabonete Phebo. Não tem sensação mais gostosa…

Recordar é chorar emoções

Já passam das seis e meia da tarde e o calor continua agonizante. Depois de alguns minutos de chuva intensa em Videira, voltei a ligar o ventilador, pois o sol voltou a brilhar, vigorosamente. Há uns dez anos atrás, aproximadamente, eu costumava gostar desse clima incerto de Santa Catarina. Dentro de uma barraca, num camping de Garopaba, tudo era festa e alegria. Uma hora de maiô e na hora de pijama. Na cidade, e bem mais velha, isso não tem nada de divertido...

Enfim, tento me habituar a mais essa condição na Terra do Nunca. Confesso que não é nada fácil, principalmente num domingo. Num solitário final de domingo. Principalmente, num solitário final de domingo e 24 horas depois de momentos de saudosismo, de emoção, de lembranças difíceis, mas doces.

Há essa hora, ontem, eu estava sentada em uma poltrona no auditório da Universidade do Oeste de Santa Catarina da cidade. Era a cerimônia de outorga de bacharelado da Taciana Denise Tomasi. Hoje enfermeira graduada. Ao meu lado estava a com…

A Rainha do Poker

Demorou, mas todos os presentes conseguiram jogar e até blefar no mini cassino que montei aqui em casa na sexta. A idéia era inaugurar a mesa que havia comprado, mas além disso, as cadeiras também foram brindadas. Uma até abriu as perninhas, mediante tanta pressão corpórea e por tantas horas. Arribou a coitada. Duas, na avaliação final da noite.

Pôquer foi o jogo escolhido. Há muito tempo queria aprender esse tipo de carteado e depois de horas saquei a estratégia básica de pelo menos uma forma de se jogar. Ganhei. Ganhei várias vezes na verdade. Ao contrário da Gringa da Rondinha, que perdeu quase todas. Saiu do clube do pôquer devendo pra banca. O que a perdoou foi seu bom humor e fato de ter levado confeitos de chocolate para enfeitar o bolo do aniversariante; ah, claro, e por ter tido a idéia brilhante de ter levado chocolate me barra também. Só por esse último e majestoso detalhe, ela tem crédito para a próxima jogatina.

Tudo certo: quitutes, nicotina, drinks e cartas. Não faltou ne…

Tudo ia muito bem...

Até que surgiu um afogado para atrapalhar a minha dinâmica de writer e por fim ao meu final de tarde tranquilo. É. Não é nada fácil essa vida de jornalismo diário. Se o cara morreu no meio da tarde, tem que entrar para a edição do dia seguinte.

O único problema é que as informações nunca chegam em tempo hábil. Lá se vai minha agenda e lá vem as ligações do chefe, impaciente, pela matéria que não fica pronta nunca. Mas, o pior de tudo, é quando a internet da lan house mais próxima é pior do que se tem em casa... Daí sim, é o fim da várzea.

Não adianta correr mais. A coisa já escapou das nossas mãos. Só resta rezar e trocar de computador até que dê certo. E se não funcionar, delete as fotos. Pronto! Depois é só pegar a bolsinha e ir fazer as compras no super. Aquelas para repor a dispensa depois que a visita vai embora. Tentar achar hora na depiladora, comprar o presente de formatura da namorada do amigo e, com sorte, encontrar um vestido para a festa.

Tá, tudo bem. "Sonha Margarida, …

Às vezes, uma imagem diz tudo

Então, imagine várias imagens. Visualizou? Vou dar uma ajudinha... e ainda legendar. E depois é só dizer o que é mais fácil: a vida ou o vestibular? Ah, desculpe não poder esperar pela resposta, mas tenho que cumprir todas as etapas do meu dia...



Eu, indo trabalhar todas as manhãs, depois de ter ficado 15 minutos [eu sei, muita água desperdiçada] embaixo do chuveiro



Eu [diria que o Shazan é muito melhor nisso do que eu], em casa, tentando organizá-la ou faxinando



Nêga tentando se concentrar durante o trabalho, às tardes



Troque a guriazinha pela Nêga. E o trabalho de escola por um do MBA, o livro por computador, ou nas aulas de sábado à tarde. Igual!



E, eu, depois do almoço, tentando recuperar as forças para guentar o "puxão" até o final do dia.

Mais uma do mestre

Hoje, eu reforcei um pensamento, lembrando de um trecho de Vinicius de Moraes:

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores... mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!

E graça aos Deuses, eu tenho sorte. Tenho amigos o su ficiente para me amparar, acariciar, festejar, consolar, criticar, orientar, ou, apenas me amar, como sou..Triste daqueles que não os têm ou precisam impor condições para ter companhia. Ponto!

Suco de uva light

Hoje, na volta de mais uma manhã de apuração, cheguei em casa com um saco cheio de uvas Isabel. Bem docinhas! Mesmo ainda faltando maturar por mais 20 dias, por exemplo. Bem esperta que sou, peguei a receita de geleia com a dona do parreiral. . O único problema é que, depois de lavar os cachos, deixar de molho por 20 minutos em vinagre de maça, esmigalhar os grãos e lavar de novo [esso processo foi ideia minha], faltou açúcar em casa para por a fruta no fogo, a fim de fazer virar suco.
Pensando em agilizar o processo, pus a panela [emprestada da vizinha] no fogo e fui na padaria da esquina comprar o açúcar. Antes, meti a mão em R$ 2 da bolsa, baixei o fogo e adicionei cerca de 150 gramas restantes que havia no açucareiro, para ferver com as uvas. Subi a rampa correndo e atravessei a rua. No estabelecimento em frente de casa não tinha. No da esquina, tinha. R$ 2,80.
Olhei. Me choquei. Fiquei estupefada. R$ 2,80... Olhei pro dono da padoca, dei meia volta e fui pra casa, terminar meu suco …

February

Estamos no final do primeiro dia de fevereiro. Isto significa que um mês inteiro se passou. O primeiro de 2010. E, pela primeira vez, acredito que tudo tenha se passado no seu tempo. Nem tão rápido e nem tão demorado. Só na medida.

Ontem mesmo fiz o que devia ter feito há duas semanas. E por 24 horas fiquei aliviada. Mas, de repente, a dúvida voltou e com ela, a preocupação. Novamente enfrento um dilema profissional, nem tão cabeludo assim. Mas um dilema e todos os meus amigos sabem que o que mais me deixa tonta é ter opção...

Fora isso, tudo continua conforme a maré. Comecei o ano me endividando, ao invés de pagar contas. Agora, uma writer prática, fashion e moderna, completamente tecnológica, mas mais pop do que em 2009. E, incrivelmente, feliz.

Também ando cansada por estar há dois anos sem uma semana sequer de folga, sem sete dias consecutivos fazendo nada. Quem diria 15 dias... Sonho com minhas férias e no estado estafante em que me encontro, nem preciso que sejam na praia. Qualquer…

Diário Dietético: Arroz e feijão

Voltei pra casa com a vontade de comer arroz e feijão hoje ao meio-dia. Falei tanto disso pela manhã, que não resisti. Cozinhei arroz com curry, por que ele branquinho não dá [fica sem sabor] e descongelei um feijão cavalo que tinha “freezer”, cheio de linguicinha defumada e bacon. Bem ao meu gosto. Mas, como disse a nutricionista que entrevistei antes do almoço; “tem que ter uma salada ou verdura da época para metabolizar a gordura”.

Segui a risca. Lavei umas folhas de rúcula, cortei meio tomate “gaúcho” [que é quase uma manga, de tão grande] e ralei meia cenoura. Temperei com sal, aceite de oliva extra virgem e limão. Como gosto de muita proteína, requentei o franguinho assado da semana passada e que também estava no freezer. Resultado: comi feito um frade e agora estou aqui, lagarteando em frente ao computador e tomando um café para digerir tudo isso.

A única certeza é que, assim que der um tempinho, vou descer até o Posto de Atendimento Médico, que fica aqui no centro da minha cidad…