Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

Um ótimo Natal e agora um próspero 2011

O Rio de Janeiro continua lindo! Sim, estou na cidade maravilhosa desde o dia 22. Vim passar o Natal e o Réveillon com a família toda. Ótima pedida. Principalmente por que não houve nada desse lance de overbook, de inconveniências, de tristezas, de surpresas desagradáveis.

Uma reunião simples na casa da minha irmã e da minha prima, com amigos e familiares. Todos gozando de boa saúde e bem dispostos. Uma boa maneira de comemorar o aniversário de Jesus e de terminar o ano. Quem dera que todas as famílias possam ter tido uma noite feliz e tranqüila como a minha.

Enfim, meus queridos, desejo-lhes, sempre, muita paz e muito amor. Não somente no dia e na madrugada de 25 de dezembro, mas em todos os momentos da vida de cada um. Parcimônia, Perseverança e Saúde. Beijo no coração de vocês e Feliz 2011!

In Rio...

Ainda não achei o mapa da mina, mas até ir embora, eu encontro. O problema é que o tesouro está muito bem guardado. Só vejo as peças na hora em que minha irmã volta do trabalho.

Sim, ela deve ter, no mínimo, umas 30 bolsas. E troca todo dia. A guria sai combinadinha... Eu só consegui sair com uma verde, mas meu desejo real é levar para casa uma grandona, cor de gelo com detalhes verde. Linda! Mas, de cara, já recebi uma negativa.

Tem também uma de nobuck. Bem básica. Mas bonita. Essa eu dispensa. Ta com jeito de manchar a roupa com o suor e de estragar se molhar. Tipo camurça. Agora só preciso saber onde estão as outras. Parece que estão espalhadas pelos 5oo guarda roupas que a casa tem, estantes e coisa e tal.

Porém, isso tudo é detalhe perto dos dias de tranqüila alegria que estamos vivendo aqui no Rio de Janeiro. Isso por que as Barcellos e as Araújo estão reunidas com um único propósito: passar as festas bem. Muito bem! Bem do espírito, da saúde, da consciência, das idéias, da mente…

E o Rio de Janeiro continua lindo!

O Rio de Janeiro
Continua sendo
O Rio de Janeiro
Fevereiro e março
Alô, alô, Realengo
Aquele Abraço!
Alô torcida do Flamengo
Aquele abraço
[Gilberto Gil]

Não adianta tentarem tirar o charme, a boniteza, a paz, o cotidiano, a agitação, a praia, a segurança, a malandragem do Rio de Janeiro. Ele continua do mesmo jeito. Lindo!

Diário Dietético: Cura do Limão ou milagre!

Finalmente descobri como me pesar:

Não consigo acreditar que estava fazendo errado todos esses anos...

Não consigo sozinha. Preciso de artifícios para fazer e cumprir uma dieta restritiva. Um deles é não ficar em casa. Portanto, regime somente no próximo ano, quando estiver trabalhando. Agora eu só quero comer e beber com amigos e familiares durante confraternizações. Sem culpa, mas também sem perder o controle.
Já sei como irei começar a perder kg/cal. Começarei com esteira nos dois primeiros dois meses de 2011, numa academia. Intensificarei a dose do floral contra ansiedade e me inscreverei na hidroginástica, para a prática bissemanal. Controlarei a gula para não me perder nas guloseimas e nem no chocolate e restringirei os carboidratos, frituras e outras delícias da culinária brasileira [e aquela comidinha de boteco].
Voltarei a beber vinho. Alimenta e faz bem à saúde. E emagrece. Está cientificamente comprovado que a bebida de Baco faz milagres sobre o organismo. Também está comprovad…

Acarajete love!

Um pedacinho da Bahia. Esse é o slogan da baiana de acarajé, que expõe suas delícias no Brique da Redenção, todos os domingos. E foi com o intuito de matar a saudade sotelopolitana que caminhei em direção contrária ao ponto de ônibus, ao sair de mais um concurso público, hoje pela manhã.

Sim, eu fiz mais uma tentativa [inútil]. Tudo estava contra mim. Não estudei. Dormi tarde no sábado. Acordei com o despertador, mas levantei 40 minutos depois. Quase perdi o ônibus. Sai sem tomar café e beber água. E, por pouco, não levei mijada do cobrador por não ter troco, às 8 horas de um domingo...

Mesmo assim fui. Encarei a prova numa boa. Vá que eu chute certo e gabarite... [sorte!] Para compensar toda a correria da manhã, ao invés de pegar o ônibus no mesmo ponto em que desci, me dirigi ao sentido contrário. Seis meses em Porto Alegre e não havia ido ao Parque Farroupilha. Uma vergonha!

Então, hoje, uni o útil ao agradável: vi as banquinhas de artesanato, conversei com um artesão Hermano sobre po…

Ai, que vergonha...

Dificilmente venho aqui para falar de futebol. Não é um esporte que goste. A não ser pelas pernas [lindas pernas] que correm pelo gramado, exibindo aquela musculatura linda e sexy… Mas sempre há exceções. Como agora.

Venho trazer minha indignação ao que chamo de vergonha colorada. Logo eu, que sou uma torcedora comprada com um saco de balas do Sport Club Internacional. Por sorte ninguém quis me acompanhar até o Beira Rio, para ver na casa da torcida Saci, o que deveria ser o primeiro passo para a conquista do bicampeonato. Mas não!

Já no primeiro tempo via um temor crescer no peito. Já desde o inicio queria escalpelar [e se ver aquele nêgo, faço mesmo] o Tinga, expulsar o D’Alessandro e fazer o Sobis entender, em português claro, que eles estavam lá para jogar e não brincar de futebol de botão. Roth estava com medo também e seu nervosismo era visível…

Vergonha! Fiasco! Desapontamento! Tristeza! Muito pior do que a saída do Brasil da Copa deste ano. Afinal, me preparei para ver e torcer p…

Preguiça é pecado, ainda?

A gente passa uma semana sem ler os blogs dos amigos e pronto! Está feito o estrago. Trilhões de textos para ler e de repente vem aquela vontade de comentar em cada um deles, mas fica inviável. Depois da preguiça estabelecida, não adianta remediar. Não dá para atualizar o assunto em uma hora, aliás, em tempo algum.
Porém, ao que parece, nem tudo está perdido. Por exemplo, minha preguiça está começando a ir embora. Sei disso. Sinto! A prova é que acordei cedo, tomei chimarrão, banhinho, pus roupas para lavar, tomei o dejejum [chique isso né?] e agora estou aqui... Há alguns meses que não sabia como era produtivo acordar cedo. E no verão, diria que é até gostoso. A cama queima a pele depois das 9 horas, ou antes até.

Isso é mais do que bom, na verdade. Como preguiça é um dos pecados capitais, sinto que ele está saindo do meu corpo. Mais do que bom, por que já não são sete atos comportamentais insanos que cometo. Não que seja uma católica fervoroza e me importasse com isso. Não que eu sej…

Ding Dong Bell

O ano já vai longe e fico feliz por isso. Depois de quase seis meses de catarse completa, já vislumbro tempos em que devo voltar a mim. Mesmo assim não tenho pressa. Sigo o ritmo normal desta temporada ainda, que agora se encontra em pleno espírito natalino. E embora toda dor da saudades, é nesse clima que todos se colocam aqui em casa. Natal! Há uns bons seis anos eu fiz uma guirlanda. Os preços dos enfeites de porta estão sempre pela hora da morte [com o perdão da expressão aos mais devotos]. E pus meus dotes domésticos para produzir o acessório, que acho lindo em qualquer momento.
Porém, este ano fiz um "up grade" no negócio. Pintei uma plaquinha de Feliz Natal, costurei uma "Menina Noel", tirei as fitas velhas e emporeiradas, coloquei uma nova e dourada e deixei as flores vermelhas purpurinadas. E voilà! Ficou lindo o negócio, gente. Caseiro, claro, por que não sou uma artesã, mas bonitinho...
Não. Não tenho foto da guirlanda. Mas tenho da árvore de Natal que m…

Amigas para horas boas e ruins...

Não me chamem de onça não queridas.
Apenas quero dividir minhas aflições com vocês.
Afinal, amigas é para as horas boas e as ruins... boa semanagurias!

"Eu sou o samba"

Para o Dia Nacional do Samba, nada melhor, do que simplesmente o melhor. Êta demoniada da boa esse people aí!

Um dia eu gabarito... [2]

Bah!Bah!Bah!

Creio que da próxima vez irei abrir um livrinho antes [pelo menos um...].

Ao menos a minha técnica sobre a leitura de última hora funcionou. Ao menos isso...

Encontros e despedidas

Coisa que gosto é poder partir Sem ter planos

Melhor ainda é poder voltar
Quando quero



Parece estranho que andorinhas façam verão sobre o asfalto e pássaros de ferro. Já não duvido que esses seres voadores dêem rasantes, em revoadas perfeitas, brincadeiras e belos exercícios aéreos. Eram poucas, mas o suficiente para se fazerem destacar no amanhecer de idas e vindas. E nem as surdinas dos aviões eram suficientes para afastá-las, às 6 horas de uma manhã de sol meio tímido.

Pelo vidro fumê eu observava tudo. Incrível que um “tratorzinho” possa empurrar toneladas de alumínio numa dança em marcha ré. Aliás, incrível que mais de 100 mil quilos em metais possam se manter no ar, plainando. Levantando e descendo...

Nunca tinha observado aquele nariz empinado antes. Achava meio cafona ficar ali em cima, no observatório, vendo as pessoas seguirem seus destinos, sendo que teria outro plano para enfrentar. Mas hoje tive tempo. E por pouco não corri até o balcão para implorar à atendente por um bilhete…