Pular para o conteúdo principal

Meia idade




Sou uma mulher de meia idade. Talvez esteja exagerando, mas 35 anos já não dá para dizer que se é jovem. Sou nova, contemporânea, arrojada, mas jovem não. Essa característica não me pertence mais. Tanto, que metade das minhas férias foi usada para consultas e exames médicos de rotinas, mas mais específicos do que os realizados antes dos 30.

Hoje pela manhã tomei meu primeiro diurético. Um comprimido por dia para que meu corpo elimine os líquidos excessivos, desinchando-o e reduzindo a pressão arterial que hoje tem uma média de 150 por 90. Meu cardiologista [há uma semana que possuo um, que quer me ver uma vez ao ano pelo menos] exigiu que realizasse o Mapa - Monitoração Ambulatorial da Pressão Arterial. Por 24 horas fiquei com um medidor eletrônico preso no meu braço esquerdo, que fez de 70 a 90 medições, inclusive à noite.

O resultado é este: um Diupress de 25mg + 5mg ao dia, ingerido pela manhã, preferencialmente. Eu, que sou a maior mijona da família, agora não poderei dar muitos passos ao dia sem precisar ir ao banheiro. Meu médico disse que é provisório. Assim que emagrecer 10 quilos, no mínimo, poderei parar de tomar o medicamento. O problema é justamente esse; emagrecer. É! Isso que dá ter sobrepeso na meia idade.

Por isso, todo cuidado é pouco. Afinal, já não sou nenhuma guria. O difícil mesmo será moderar a ingestão do outro diurético: a cerveja. C’est la vie!

Comentários

Rosana disse…
Mas tá que só o bico do corvo muié!!!!!
rsrsrsrs
jana disse…
kkkk,começa a usar fraldas,
pp tbm toma diurético, pressão alta é foda, meu pai não sabia que tinha e qdo descobriu era "quase" tarde demais, os rins não funcionavam mais e o resto vc ja sabe
minha pressão é muito baixa, não chega a 10. passo mal igual, fico toda mole, he he he
puta que pariu, cada vez que vc fala nos malditos 35 anos lembro que eu tbm tenho, mas ao contrário de vc me sinto jovem sim apesar dos muitos tratamentos que faço, afinal, gente jovem tbm passam por problemas de saúde....
toda vez que vou ao médico e ele diz, vc precisa tomar essa medicação, fazer esse exame, fazer esse tratamento eu pergunto: e qdo eu posso voltar a tomar cerveja? he he he
Lídia disse…
Tchê..
Voltou assim daqui é?? kkkk. Obrigada pela tua visita e pelo comentário. Pena mesmo que não tenhamos nos conhecido, não faltará oportunidade.
Ah, também sou fã da ceva e amanhã vou encarar algumas...Leia minha alma sim porque a sua já estou adorando.
Bjus no coração.
Esse diurético é bão mesmo, geladinha então hummmmmm, vai uma cervejinha aí?
Rou, tu me ensina cada expressão... Hehehe. Fico imaginando o significado do bico do corvo. Hehehe. Bjo guria.

Jana, passei o dia inteiro correndo pro banheiro a cada 30 minutos. Um horror!

Lídia, associar ceva e diurético no primeiro dia pra mim foi quase que tomar sentadinha na privada. Amanhã eu tenho um níver. Acho que vou enfiar o pé na cevada e na privada... de novo!

Gê, querida, que saudades que tava de te ver. Beijo linda!!!
Nanda Assis disse…
vc vai conseguir, estou indo numa nutricionista e to amando, perdi 4kilos em um mes, isso p mim é muito bom, pq ja tomei remedios p emagrecer q so fizeram eu dobrar o peso.

e vc vai longe "guria".

bjosss...

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe