Pular para o conteúdo principal

As flores do meu jardim



Eu adoro flores. As minhas preferidas são as do campo. A simplicidade e diversidade das cores me encantam como nada mais. Mas também não há como resistir a beleza das mini rosas. Essa semana me rendi a três lindas cores: vermelha [clássica], rosa [naturalmente] e amarela, minha cor preferida para rosas, assim como a champagne e a salmão e a branca e essas outras primeiras citadas... Hum, bem, gosto de todas as rosas. Gosto de flores, repito.

As minhas não são essas. São ainda mais belas do que estas e as mudas estão todas floridas os botões já abertos e os novos crescendo. Quem dera poder retratá-las para revelar beleza tão singular...

As pus numa floreira de janela que tinha na sacada do latifúndio. Com tempo compro ainda as pedras brancas para adornar o recipiente cheio de terra preta. E o vaso está na minha varanda. Embelezando a parte do flat mais fresco e com paisagem.

É daqui da varanda que escrevo este post. A internet wirelles voa pelo quintal é melhor do que meu sinal a rádio [cable]. Consigo ver os vídeos sem precisar esperar o buffering dele todinho. O download daqui é “muito mais melhor de bom” e pra completar ainda tem ar condicionado, natural. A brisa que bate nesse momento é agradabilíssimo. Par perfeito para o meu chimarrão e para matar a saudade da querência.

Por falar em par perfeito, nunca mais entrei no site Movimento dos Sem Namorados. Perdi a paciência. Gosto dos contatos reais. Na virtualidade somente as amizades criadas com o blog. Para amar, gosto de sentir as batidas do coração, o toque das mãos, o som das palavras ditas ao vivo, a troca de olhares. Ponto.

Comentários

Dois Rios disse…
Falou, meu Carvãozinho! Esse negócio de namoro virtual é coisa pra robô, né mesmo? rsrs...

Estou com um amigo querido, daqueles que vivem colado na nossa alma, muito doentinho, e isso tem me tirado a vontade de blogar. Foi por isso que eu sumi. Ontem resolvi homenageá-lo postando um filminho que ele me deu no ano passado para ver se ele, lá da UTI, recebe as boas vibrações de todos os que lhe querem bem.

Saudades de tu também. Gosto da brejeirice do teu blog, das rosas, do chimarrão e desse teu jeito "up" de ser.

Beijos floridos,
Inês Riacho Doce, rss...
Nanda Assis disse…
que linda, toda romantica, e faceira, adorei.

bjosss...
Eu faço coleção de mini rosas são 10 pezinhos até agora e não pretendo parar mais, quando olho pra elas é a alegria que se renova sempre...Um abraço
Rosana disse…
Hum...tá chique agora, wirelles é? que novis é essa q vc nem me conta???? rsrsrsrsrs
viu...vc vai ter que ir comigo comprar essas rosinhas, eu tb quero!!!! foi do teu fã que vc comprou????
ah...precisando de uma fotógrafa???? to na área....rsrsrsrsrs
Rosana disse…
Hum...tá chique agora, wirelles é? que novis é essa q vc nem me conta???? rsrsrsrsrs
viu...vc vai ter que ir comigo comprar essas rosinhas, eu tb quero!!!! foi do teu fã que vc comprou????
ah...precisando de uma fotógrafa???? to na área....rsrsrsrsrs
Inês, meu riacho doce, força aí pra ti e teu amigo. Tenha fé de que tudo dará certo. Pessoa que manda um presente como aqueles fragmentos, merece saúde e sorte.

Eugenia, queridona, 10 pézinhos? Morri de inveja agora. Hehehehe. Confesso que fikei louca para trazer as outras também, mas estou por partes. Hehehehe.

Beijo no coração Nanda e Rou.
Ah é né? vc me faz entrar no par perfeito e agora desfaz dele...???hehe

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe