Pular para o conteúdo principal

As mocinhas da cidade...


Encontro da Samuvi - Maio 2009

A foto é antiga e está ruim. Mas dá para ver que os meus velhinhos cantam e encantam, mensalmente, no encontro festivo.

Ontem, a festança foi na cidade vizinha de Iomerê. Era noite de encerramento das atividades e eleição da nova diretoria. O grupo, sempre animado, fez a maior festa e ainda cantou parabéns para a Rita, a vice-presidente da Sociedade dos Amigos do Museu do Vinho, que levou um bolo para comemorar seu aniversário conosco.

Com esse povo não há tristeza. Pelo contrário. Fico imaginando o dia em que o baile irá começar e não parará mais. Talvez, ontem, livres do horário de partida da van, eles tenham esticado a noite e saído com a bailanta. Quem duvida é louco! Eu, que sou mocinha da cidade, moreninha linda; não arrisco, só petisco.






As mocinhas da cidade
By Belarmindo e Gabriela

As mocinhas da cidade, são bonitas e dançam bem
As mocinhas da cidade, são bonitas e dançam bem

Dancei uma vez com uma moreninha, já fiquei querendo bem
Dancei uma vez com uma moreninha, já fiquei querendo bem

E o sol já vai entrando, e a saudade vem atrás
E o sol já vai entrando, e a saudade vem atrás

Vou buscar aquela linda moreninha que é pra eu viver em paz
Vou buscar aquela linda moreninha que é pra eu viver em paz

Fui na casa da morena, pedi água pra beber
Fui na casa da morena, pedi água pra beber

Não é sede, não é nada, moreninha, vim aqui só pra te ver
Não é sede, não é nada, moreninha, vim aqui só pra te ver

Comentários

jana disse…
arranja um vô rico para vc
hehehee
sai fora invejosa! eles são meus amiguinhos tah? depois, eu tenho pouco pique pra eles. hehehe. bjo Jana.
p.s.: o mais novinho é o gaiteiro do grupo, que não é esse do vídeo, mas tah bem parecido. hehehe.
Há dançar até não poder mais que delícia sería...
Elaine Gaspareto disse…
Elaine,
Caipira que sou, deu vontade de dançar a moda tão gostosa...
Beijos.
hauhauha..duvido que a tiazinha que tava do seu lado deixava vc pegar algum vovô...ela sim tava com a corda toda...hehe
SuNshyne disse…
Oie!
Vim no seu blog atraves de um blog de uma amiga minha a Nanda Assis! Menina adorei o seu blog, outro dia tinha um senhor aqui tentando me ensinar a tocar sanfona e ele tocou essa musica !
Querida, saudades de ti!
Olha, sempre gosto do que encontro no teu espaço... esse gaiteiro aí, ai! Amei as pernas dele... por acaso, tu sabes qual é o seu telefone?

Passa lá no meu blogue, que tem um presente para ti, amiga. Beijão do Hakime!
VASCODAGAMA disse…
Confesso que estou com pena de não estar ai....amo dançar....Mas vou ter de dançar aqui em Portugal....
BJ
Dois Rios disse…
Carvãozinho, me pus aqui a pensar que quando eu ficar bem velhinha, quero uma vida assim pra mim. Festas, companhias sorridentes, alegria, música e nada de solidão, tristeza e amarguras. Enfim, a gente leva da vida, a vida que a gente leva.

Beijos,
Inês
Barbara disse…
Conheço a ternura que é trocada , quando se lida com os de muito maior idade.
Admirei-te por isso e pela forma sem frescura com que você coloca as coisas na postagem.
Ganhou uma fã.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe