Pular para o conteúdo principal

February


Estamos no final do primeiro dia de fevereiro. Isto significa que um mês inteiro se passou. O primeiro de 2010. E, pela primeira vez, acredito que tudo tenha se passado no seu tempo. Nem tão rápido e nem tão demorado. Só na medida.

Ontem mesmo fiz o que devia ter feito há duas semanas. E por 24 horas fiquei aliviada. Mas, de repente, a dúvida voltou e com ela, a preocupação. Novamente enfrento um dilema profissional, nem tão cabeludo assim. Mas um dilema e todos os meus amigos sabem que o que mais me deixa tonta é ter opção...

Fora isso, tudo continua conforme a maré. Comecei o ano me endividando, ao invés de pagar contas. Agora, uma writer prática, fashion e moderna, completamente tecnológica, mas mais pop do que em 2009. E, incrivelmente, feliz.

Também ando cansada por estar há dois anos sem uma semana sequer de folga, sem sete dias consecutivos fazendo nada. Quem diria 15 dias... Sonho com minhas férias e no estado estafante em que me encontro, nem preciso que sejam na praia. Qualquer lugar está servindo...

Mas, enquanto isso, preciso retomar as atividades escolares, com o MBA em Jornalismo Digital. As aulas começaram este sábado e eu reiniciei o método na tecla diversão. Ou seja, não fui. E hoje, no chat com o professor, já vi que a primeira aula foi de lascar. Tem tanto termos técnicos para definir conteúdo para sites, redes sociais e comentários não moderados, que vou precisar me dedicar mesmo se não quiser levar mais ferro do que já levei com as outras.

Além disso, preciso retomar minhas aulas de inglês também. Se não, o investimento feito no ano passado terá sido inútil. Agora, só preciso me controlar nos gastos e pronto: viver a vida! Melhor que isso, só beijando na boca e muito...

[carnaval sempre resolve isso]

Comentários

Nanda Assis disse…
como é bom ter planos ne.

bjosss...
Pp fazendo almoço para jana disse…
vc anda dando o c.... a pila
para quem tem so uma fonte de renda tu anda gastando demais.... MBA, netbook, maquiagem....

desliga a tecla "diversão" e vem fazer concurso em poa pq ate estudando em casa da para passar.
kkk
Oi Nanda, querida. Bom te ver sempre por aqui. Tenho pensado muito em conhecer Araxá... Hehehe. Mas crei que isso deve ficar para as próximas férias.

PP, com um namorado assim cozinhando pra mim, volto, estudo em casa e faço concurso também. Hehehe. Mas como não tenho ninguém em vista, melhor eu permanecer por aqui. Ah, ando gostando da vida interiorana...

p.s.: Boa ideia essa tua como renda opcional... O problema é que a concorrência é desleal. Tem muita gente dando de graça. kkk

Postagens mais visitadas deste blog

Ode aos detalhes do cotidiano

Porto Alegre, 6 de julho de 2018.
Vinha distraída pelo caminho, como acontece sempre que caminho e foco o pensamento no que tenho que fazer em seguida e o tempo que disponho.
Cuidava o trânsito, desviava de pessoas e seus cães pelas calçadas úmidas ou irregulares. Engraçado! Um homem de seus 50 anos levava um cão na coleira pelo caminho estreito de pedras. Não sei se ele pensou que iria parar para deixa-los à vontade. Mas, fui condicionada a ser gentil com o próximo. E naquele momento, eu era essa próxima.
Nesta sociedade machista que estamos inseridas, o normal seria o homem e seu cão dar passagem, ao invés de manter seu ritmo firme. Irritada, pensei: se fosse loira e magra, ele até pisaria no barro com seu amigo, sorriria e daria bom dia.
Fiquei chateada com o que cogitava: soberba feminina ou falta de educação alheia?
Alguns diriam que isso é mimimi. Eu chamo de educação. Em algumas situações, poderia conceituar como bom senso. Enfim, segui. Esqueci-me do que só eu percebi e senti n…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Meu choro, meu coração, minhas lembranças

Não consigo me acostumar com despedidas. Com a partida. O adeus! Com o tempo a gente acostuma a não ligar mais, não programar o reencontro, a ter que perder (mais) uma referência. Mas não sou amiga do tempo. Ainda não.
Em (mais) um ano precisei reaprender uma porção de coisas. A ter uma opção a menos. E hora foi fácil, hora foi difícil. Recomeçar a vida sem a presença dela ainda marca meu dia-a-dia. Existem muitas etapas em aberto ainda para poder ser apenas a saudade. Sem o choro. Só o coração e as lembranças.
E enquanto a vida burocrática não se ajeita, agradeço aos céus por ter nascido Barcellos e Araújo. Por ter sido a irmã caçula. E por ter me despedido. Foi por pouco tempo, mas foi importante. Vejo agora, que, talvez, o tempo tenha sido meu amigo, então. Mesmo eu não entendendo...
Obrigada Pai.