Pular para o conteúdo principal

Cor de Rosa



Campanha de conscientização do eleitor

Na reta final! Assim estão os candidatos a prefeito dos cerca de 5500 municípios que tem o Brasil. Amanhã, Domingo 5, após às 17 horas, vai ser o momento de cuidar para não começar roer as unhas. Tanto os candidatos e candidatas, quanto as equipes e familiares de todos os aspirantes a gestores públicos dessas cidades. Mas até chegar a este ponto, este ano houve outro tipo de campanha paralela, mas afim, ao pleito eleitoral: a de conscientização ao eleitor brasileiro.
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, deu o ponta pé inicial da campanha em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, no dia 31 de julho. Em um período de 15 dias, desde essa data, foram exibidos nas emissoras de TV de todo o país, dois filmes de 60 segundos cada, e dois spots de 30 segundos, nas rádios. Outro material com inserções de outros 15 VTs e 15 spots estão sendo veiculados até hoje. No conteúdo deles estão as orientações ao eleitor sobre a importância de se conhecer bem os candidatos e de se aproveitar bem o voto.
O objetivo da campanha de conscientização era prestar informações, em áudio e vídeo, à população sobre as eleições para prefeitos e vereadores nos 5.563 municípios brasileiros. Mas o mais bacana de tudo foi a intenção de comunicar ao eleitor que vender o voto não está com nada. Espero que aqui em Videira, a consciência política dos mais de 33 mil eleitores tenha se elevado frente as informações institucionais do TSE. Porque, afinal, não dá para chorar sobre o leito derramado, quando o vereador eleito pelo povo não souber legislar a favor de quem o elevou a uma das nove cadeiras da Câmara. Assim como também irá adiantar reclamar que o prefeito não investe em melhorias na cidade.
Então minha gente, esse é o momento que todos vocês, poderosos eleitores, têm de por o voto consciente na urna. Todos sabem que Videira tem sua economia baseada nas atividades industriais, comerciais e agrícolas, cujo setor primário destaca a fruticultura de pêssego, ameixa e uvas. Que na pecuária está a criação de suínos, aves e bovinos de leite; e no comércio e indústria, o forte são as cantinas de vinho, indústrias de sucos e a empresa Perdigão. Mas para estimular esses setores, empresas e indústrias, o perfil do representante tem que ser de um administrador bem articulado e com visão em resultados não apenas econômicos, mas sociais também – humanos!
Isso, porque afinal, na frente de tudo isto estamos todos nós: moradores desta cidade, que ainda tem muito para crescer e desenvolver. Portanto, seja esperto e abra os olhos.

Pessoas e Cotidiano

‘Beatles’ in concert


Em comemoração aos cinco anos de publicação da Revista Êxito, a Sirlus Promoções e Eventos e o Programa Alcir Bozanella apresentam a Cia. Filarmônica de SP com Beatles Songs. O espetáculo acontece dia 25 de outubro, Sábado, no auditório da Unoesc, às 20 horas. O show reúne doses de humor, mais a orquestra, efeitos especiais e, claro, músicas dos Beatles interpretadas com arranjos únicos. Em cinco anos em cartaz, rodando todo o país, mais de 180 mil pessoas já assistiram.

Sensualidade Africana
Freqüentemente visito o Espaço Vip Perdigão e fiquei encantada com o que vi na semana passada. Estava exposto 19 peças, sendo duas esculturas em gesso e as demais pinturas em técnica acrílica sobre tela, da artista paranaense Edite Cecília Tavares Tessari. Sensualidade Africana tem uma forte tendência ao cubismo, que em traços simples desvendam-se figuras femininas com forma e cores vibrantes, oriundas da inspiração no povo africano. Lindo demais!

Festival de Danças

No próximo dia 10 de outubro, sexta-feira, acontece a quarta edição do Festival de Danças de Videira, no Ginásio Medalhão. O objetivo do evento é unir e confraternizar todas as pessoas que apreciam a arte de dançar e prestigiar todos os grupos de dança que existem no município. Vinte e um grupos se apresentarão no ginásio.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…