Pular para o conteúdo principal

Batom para os cabelos


Creio que é inevitável para as mulheres. Passou em frente a um espelho, tem que dar uma olhadinha. É assim que faço sempre que vou ao banheiro. Estou lavando as mãos e ao mesmo tempo fazendo a vistoria no rosto e cabelos.

É quando levo aquele susto. Acontece sempre e várias vezes ao dia. Olho no espelho e vejo aquela mecha de cabelos brancos. Sim. Eu tenho cabelos brancos. Tudojuntoereunido... Um horror ver aqueles três fios destoando bem na frente. Fazendo parte do make up, praticamente.

Minha mãe ri de mim e, garanto-lhe, não tem nada de engraçado em ter um tufo de cabelos descoloridos aos 36 anos de idade. É cedo demais! E sim. Eu sei que tem gente com cabelos brancos desde pequeno. Mas eu não faço parte dessa realidade. Nananinanão!

A cor natural dos meus cabelos é castanho escuro. De tão escuro quase parece preto. Imagina 3 fios, grandes demais na minha opinião, brancos nesse contexto? Destaque. Claro! Por isso tomei coragem e pintei-os na semana passada. Aproveitei para tonalizar todos os outros, de Borgonha intenso. De vermelho ficaram mesmo só os fios brancos...

Penso em arrancá-los agora. Ao invés de brancos, tenho 3 fios ruivos entre milhares de uma comunidade morena. Bem morenos. Mas, a mãe me lembra que a natureza deles é outra e que se tirar, eles nascem novamente e em dobro. E não sou doida de não acreditar numa superstição dessas, não é? Aff...

Mas por enquanto acho que consegui um paliativo: batom para os cabelos. Tá, na verdade é uma tintura em forma de bastão, especial para os fios brancos. Delicia gente! Agora, definitivamente, o remíl pode voltar a ser só dos cílios...

Comentários

Lidia Ferreira disse…
Minha querida , nunca ouvi falar deste bastão , os meus fios brancos começaram aparece ao 40 anos e, horrível ne
bjs
Lídia, não consigo te imaginar com 40, ou mais, definitivamente. Pra mim tu é uma guria de 20 e poucos. Hehehehe. Bom, mesmo assim, teus brancos surgiram aos 40. Eu tenho 36 aninhos e eles já insistem há dois anos...

Esse bastão eu encomendei da revistinha da Hermes. Sacas? Mas, este ano já vi em uma ou duas edições do Avon. Parece um baton ou uma base em kajal [em preto]. Uma invenção ótima!
Nanda Assis disse…
nossa nem me fale, preciso achar esse batom urgente!! eu passo rimel kkk.

bjos...

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Quati

Ai, acho que estou com um desses nas costas, me tirando as forças e me deixando sem a capacidade de pensar direito... Hummm... Talvez precise voltar pra cama assim que terminar a introdução do meu trabalhinho. Melhor, da produção do conhecimento... [hihihi].