Pular para o conteúdo principal

Dias de luz

Praça do Coreto

Dois dias lindos em Videira. Aliás, já começou na sexta, com um amanhecer limpo de nuvens. O céu passava do azul escuro para o claro, até o sol despontar completamente. E foi assim ontem e hoje e torço para que seja assim também nesta segunda feira, contrariando as previsões do Climatempo.

Hora do chimarrão e da leitura na praça. O difícil será escolher entre as preferidas: ou a do Coreto ou a Nereu Ramos... Com tempo [e bom], nem preciso optar. Vou nas duas!



Praça Nereu Ramos

Comentários

Danielle disse…
Que praça linda e vontade de morar num lugar pequeno e lindo assim. :)
jana disse…
ai que inveja boa
queria eu estar na praça
aqui chuva, vento e tudo que ja estamos acostumados.
Totalmente idílica esta praça!
E a leitura ali, é solitária ou em grupo? Que pitoresco! Se fores só tu a ler, sentada num banquinho, parecerá eu a uns quatro anos atrás, lá no interior de São paulo, nas horas antes de ir para a escola.
Fiquei contentíssimo de teres me recomendado ir ver minha mãe. eu voltarei assim que puder, porque a amo agora muito mais do mque quando vivia com ela, sabes?
Ah, quanto à TV nova, eu também estou na mesma situação, pois ontem comprei um celular que ainda não sei se vai funcionar. Claro que o chip eu ainda não tenho, mas tomara que com ele o bichinho dê jeito!
Quem é Shazan? Um gato? Adoro gatos!
Totalmente idílica esta praça!
E a leitura ali, é solitária ou em grupo? Que pitoresco! Se fores só tu a ler, sentada num banquinho, parecerá eu a uns quatro anos atrás, lá no interior de São paulo, nas horas antes de ir para a escola.
Fiquei contentíssimo de teres me recomendado ir ver minha mãe. eu voltarei assim que puder, porque a amo agora muito mais do mque quando vivia com ela, sabes?
Ah, quanto à TV nova, eu também estou na mesma situação, pois ontem comprei um celular que ainda não sei se vai funcionar. Claro que o chip eu ainda não tenho, mas tomara que com ele o bichinho dê jeito!
Quem é Shazan? Um gato? Adoro gatos!
Dois Rios disse…
Oi, Carvãozinho! Sodade de tu!

Pois bem, dias lindos em Videira e o Rio, por pura inveja Londres, cobriu-se de chuva, neblina e frio durante toda a semana passada, com exceção de terça que fez um solzinho bem tímido. Aff!!!

Quanto a praça, huuummm! Coisa boa de mais ler num daqueles banquinhos, hein? Tá lendo, o quê, posso saber?

Beijos nublados, rsrs...
Inês
A Madrasta Má disse…
Olá minha querida adorei sua mordidinha lá no madrasta, vc é sempre bem-venda! Que delícia de passeio!!! Bjinhos da Madrasta!
Gente, ler na praça é realmente tudo de bom! Lá eu consigo me concentrar o suficiente e dar andamento na leitura. Adiantei bastante do Comer, Rezar e Amar Inês. O livro é bom, mas estou lendo com calma. Degustando cada página.
* * *
Satya, dá para ler em cidade grande também. Deve ter algum lugar agradável na tua cidade. Alías, Belo Horizonte é tudo de bom guria. Tem aquela reserva lá no bairro das mansões de BH. Iria gostar de ler ali se morasse na capital dos mineiros. Aliás, iria gostar de fazer várias coisas ali. Hehehe.
* * *
Madrasta Má, tenho que ler a tua cartinha ainda, da blogagem coletiva da Elaine.

Bjo
Dois Rios disse…
Oops! Saiu um errinho de digitação na palavra "demais". Tudo nessa vida, menos ser taxada de burra, haha!!

Comer e amar, ou vice-versa, dá um bom samba... agora rezar só mesmo lendo o livro para saber aonde se pode encaixar uma oração no meio de tanto pecado capital, rss...

Beijo,
Inês
Silvia Palma disse…
Larápia de fotos..hehehe
Angélica, elas ficaram bonitinhas... Depois, nada se cria, tudo se copia. Hua hua hua.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe