sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

É namoro! Mas com o cara certo, por favor...

Quando somos atropelados por um grande amor e deixamos que esse sentimento nos marque publicamente, fica difícil depois desmanchar a má impressão. Ninguém acredita quando eu digo que não amo mais, desesperadamente, aquele que já foi a razão do meu afeto. Sim, eu sei que todos meus amigos têm motivos para desconfiar de mim. Mas não. Não sinto mais amor por ele. É somente amizade.

Pode parecer loucura, mas, não tranco mais a respiração, até ficar roxa de apreensão e sem ar, quando vejo a sua micro foto surgindo no canto da tela do laptop pelo messenger. Também não crio mais expectativas em relação a ele, nem fantasio situações. Deixei de imaginar as conversas com ele, assim como não fico olhando o celular a cada minuto em busca de um torpedo.

O Fausto, meu diário de papel, já não recebe mais seu nome e as chorumelas. Não tenho mais sonhos eróticos com a ex razão do meu afeto. E no primeiro encontro depois do rompimento definitivo, não chorei, não esperniei, nem lembrei dos bons tempos. Saudade já não tem mais seu nome e o tesão foi embora com o banho de água fria que levei com o fora final.

Enfim, há vagas em meu heart. E agora é pra valer. Só não sei quem serão os candidatos e onde vou recrutá-los. Quando jovem disseram que a universidade proporciona muitas coisas para a gente. Inclusive um marido. Fiquei 10 anos estudando e sai de lá mais solteira [e pobre] do que quando entrei. Estudos, enquentes, reportagens, estatísticas dizem que os locais de trabalho estão no segundo lugar no quesito Eu Quero Namorar [ou casar]. Então, se não conheceu seu homem em sala de aula, vai ser no escritório. Azar o meu de novo, pois estou desempregada.

Agora não sei o que me resta. Todos sabemos, inclusive essas pesquisas, estudos, enquetes e coisa e tal, que baladas estão em último lugar para quem busca um companheiro. Lá, você no máximo volta pra casa [digo, motel] com um peguiti ou um cara chato mesmo de final de noite, que te enche de torpedos desinteressantes. São raros os casos de gurias que estão com o homem de sua vida oriundo do bar preferido. Não, não...

Resta o que? Internet! Tenho alguns cases de sucesso ao meu redor, mas nunca fui a fundo nisso. No Par Perfeito "Ouro" dizem que a coisa é séria, mas no free... Eu mesma pude comprovar que é pura roubada. Só dá tarado querendo sexo casual. Não que isso não seja bom. Ao contrário! Eu bem que gosto da coisa. Mas a vibe para 2012 é um relacionamento sério.

Sim. Se o Silvio Santos parar na minha frente, sorrir e lascar um dos seus jargões: "É namoro ou amizade?" Eu já sei o que dizer...

5 comentários:

betty boop disse...

Sou uma mulher que gosta de namorar, definitivamente me dei conta disso.
Amo ser solteira, ter "amigos coloridos", fazer sexo casual, beijos em uma noite, na outra tbm, tenho tudo isso....
mas gosto de relacionamentos sérios e assim como vc não sei onde vou encontrar o tal do namorado, o homem para chamar de meu o grande amor da minha vida.....

betty boop disse...

ah! talvez ele me encontre antes.... já que tanta gente me acha
kkk

SuNshyne disse...

Oi!
Sabe o que eu acho? TA faltando homem nesse mundo!
Eu sou louca pra namorar, apaixonar, curtir um momento a dois mas nada!
Como tem muita mulher e pouco homem, os que estão solteiros ainda querem mais e sair pegando geral!

Gaúcho disse...

Olá, Carbonífera. Só não caso contigo por que, nessa vida, sou contra duas coisas: casamento e o Grêmio.

Beijos,

Gaúcho.

Cor de Rosa e Carvão disse...

Betty Boop

Vou torcer para que achemos dois principes encantados.

SuNshyne

Queridona, tá difícil mesmo de encontrar um cara legal. É quase como acertar na loteria. Aff...

Gaúcho

Eu aqui cheia de saudades e tu vem com brincadeirinha... Não, não! Bjo