Pular para o conteúdo principal

Na lida da casa


É o segundo final de semana que enfrento o tanque. Aliás, faxino a casa também. Sim, depois de 30 dias na casa nova, por duas vezes nos últimos dez me dediquei a limpar, organizar e lavar roupas... Antes, até tinha limpado o Flat, mas não com “fúria e folia” das duas últimas, afinal, quando entrei aqui fiz a geral em vidros, paredes e chão, que manter foi a coisa mais fácil pelos próximos 15 dias. Ainda me ausentei por quase uma semana e o que os olhos não vêem, o nariz e o tato não sentem...

Mas nos dois últimos sábados tenho encorporado a Amélia. Lavo, cozinho no microondas e limpo. Depois dessas tarefas todas concluídas ainda vou até o mercado mais próximo e garanto a janta de sábado e o almoço de domingo, comprando uma “deliciosa” lasanha da Perdigão. Iguaria facilmente de se preparar no micro. É só apertar o número 16 [na potência média-alta] e depois em iniciar, colocar o prato, talheres e copo com a bebida a mesa [fazer xixi se quiser e lavar as mãos em seguida] e esperar o apito de pronto que o aparelho emite.

Mediante isso, a única coisa que garanto é que: lasanha sabor a Moda Pizzaiolo, nunca mais. Sabor Bolonhesa segue a frente e ainda resta eu testar a de Quatro Queijos, Frango ao Sugo e Presunto e Queijo ao Sugo. Tem outros sabores, como Bacalhau, que nem a pau comprarei, Calabresa, Verde à Bolonhesa. Mas melhor não arriscar. A Silvia disse que todas têm o mesmo sabor e que já dá para enjoar na segunda tentativa. Eu discordo. Os sabores são diferentes, mas que dá para enjoar, ah...

Mas com o mimo que ganhei esse domingo, logo, logo dispensarei esse prato. Um fogão gente! Semi novo. Fomos [Silvitcha e eu] na casa da Mara e assunto vai, assunto vem e lá estava a Má dividindo a pipoca de espiga com a gente. “Para mim não precisa Mara, porque eu não tenho fogão”. Então, ganhei o fogão também, que já trouxe para o Flat, de carona.

Agora poderei fazer assados aos domingos, purê de batatas, lentilha, pizza de sardinha [que nem aquelas de aniversário], bolos e pudim assado. Ai que delícia... Adeus padoca!


[Agora só falta a geladeira para eu manter meus alimentos refrigerados e ainda gelar a minha Polar. Sonho de verão!]
.

Comentários

Nanda Assis disse…
ai amiga agora vc me deixou morrendo de vontade. vou ter que comprar uma lasanha desta tbm, ne inveja n mas vc entende bem como que somos podemos ver nada ne kkk.

bjosss...
RosanaK disse…
Oba, vai ter rango no teu flat pra gente!!!! Vê se inaugura logo esse fogão...
Bjusss
jana disse…
Nega eu amo lasanha.
A minha é bem básica. Molho vermelho, frango desfiado, presunto, muiiiiiiiiiiito queijo e aquela massa semi pronta (tipo a de pastel), mas tem que ser feita por mim (ou por alguém que eu conheça, he he he)
Essa prontas eu acho horrível.
Eu amo queijo, um dia resolvi comprar a de 4 queijos e foi uma experiência horrível.
Aquela porcaria parece que não cozinha direito. Fica um nojo, parece vômito.
huask huask huask

Putz! imagino a cara de pedichona dizendo eu não tenho fogão.
he he he
Silvia disse…
Quando é que vai sair a inauguração desse fogão heim??? carninha asssada.....só falta pedir o butijão....esqueceu de contar que vai ter lavadora de roupas tbem...heheh tudo pedindo...no caso da lavodora o preço é bem básico...hehe
Silvia disse…
o desenho é tua caricatura....hhehehe
Silvitcha, pior que parece eu mesmo. Hehehe.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe