domingo, 25 de novembro de 2012

Coisas que a minha mãe diz



“Minha filha, ainda não compramos nenhuma champanhe”, assim começo o dia de domingo. Ouvindo minha mãe com atenção e sabendo que lá vem as pérolas. Sim. Eu tenho a quem puxar...

Sentada no sofá, esperando que eu termine de preparar a sua torrada [prensado, misto-quente ou farroupilha para o resto do país], ela continua sua fala, olhando em direção ao bar. “Tá dez reais ali no mercadinho.” Logo penso comigo: R$ 10 por uma sidra, que horror. Melhor eu me adiantar e dizer que eu vou comprar a bebida para o final do ano. “Mas acho que vou comprar umas duas ou três mesmo assim. Só pra nós está bom.”

Já prevendo o brinde do Natal e do Reveillon, interfiro. Informo-lhe que vou comprar no Zaffari [rede de supermercados aqui de Porto Alegre], uma espumante decente para nós e que nem é tão cara assim. “Mas não compra aquela amarga minha filha. Aquela é muito bruta.” #Toin #Ãh #Hein

3 comentários:

Silvia Angélica Palma disse...

hahahahahahah...muito bruta foi show...

Dona Odete deve ter saudades das niágaras aqui de Videira....hahah

Cor de Rosa e Carvão disse...

Sim, é o que ela mais sente falta... Mas serei boazinha e vou comprar umas daqui do vale dos vinhedos dos pampas. bem docinha...

Jana disse...

He he he
Dona Odete esta saindo melhor do que a encomenda.
Se for para gastar com Sidra me passa esses 10 pilas e eu pego aqui na encruzilhada da comunidade 2 garrafas que vi hoje, kkkkkkkkkkkk