Pular para o conteúdo principal

A-hã, U-hu, 2012 é nosso!

Dezembro chegou quietinho... Mas não desapercebido. O primeiro dia é marcante aqui em casa. A primogênita de minha mãe faz aniversário, para, uma semana depois, o filho varão também contrair bodas. Assim começa o fim de um tempo para nós, que depois dessas trocas de idades começa a se preparar para o ano novo.
2011 foi um ano melhor que o tristonho 2010. Sempre é, de um jeito ou de outro. E assim será 2012 também. Um ano todinho nosso nos espera, de certo com muitas oportunidades em nosso caminho. Eu sei!
Eu não estou empregada e acho dificil que isso aconteça até o próximo dia 31. Mais uma meta que não conseguirei cumprir. Mas tenho tantas outras vitórias ao longo desse ano, tanto ou de maior grandeza quanto um emprego estável. Acontecimentos que me deixaram mais leve, feliz efetivamente, recompensada, envaidecida, reafirmada na minha feminilidade e profissionalmente.
Tomei decisões e estruturei projetos que vão me beneficiar nujm futuro próspero. E isso me deixa muito satisfeita. Por que a colheita será farta e compensadora. Além disso, tive apoio incondicional de amigos e da família. Seja em apoio financeiro, profissional, afetivo ou festivo. Estive plena!
Foi um ano para reconsiderações e reafirmações. Parei de chorar à toa, de rir em exagero, voltei a reclamar como sempre e a ter minha opinião considerada e relevada. Conheci o meio termo sem deixar de gostar do 8 ou 80. Tive momentos de medo novamente mas venci com a coragem do querer dar certo.
Neste ano, dei mais uma chance para o amor, mas o ciclo se fechou. Terminou. E me libertei de algo que não dava frutos e não fiquei triste. Sorri aliviada e agraciada por estar pronta para um novo passo, para mais uma tentativa.
Começo 2012 inteira e cheia de certezas. De que agora é só querer e fazer para dar certo. Ou, ao menos, para que se encaminhe para que dê certo. E eu sei que vai, se assim eu e os anjos quiserem. E nós queremos!



Declaro aberta a temporada de Boas Festas!

Comentários

Nanda Assis disse…
entao... boas festas.

bjoss...
jana disse…
não vejo a hora desse ano terminar, vou falar uma bobagem, mais uma....
acho que qdo virar o ano e estivee em 1°/01/2012 vou conseguir me libertar do que tanto me magoou nesse 2011.....
como se eu ainda tivesse q amargar mais esses dias
affff
Nanda

Querida e doce amiga blogueira, Boas Festas pra ti também. Que em 2012 a gente consiga se conhecer. Beijos!

Jana

Amiga Devassa, tu serás vitoriosa, basta querer e partir pra luta. ;) Te adoro, mas não abusa. Beijos!!!
Evanir disse…
Construa um paraiso de alegria e paz.
Basta você querer o bem para todos.
Ser otimista. Ter fé em Deus e em si mesmo.
Compreender que Deus não tem preferências é uma forma de se sentir seguro.
Tenha um abençoado final de semana.
Beijos no coração.
Não se esqueça que..
Estou seguindo -te e te amando .
Evanir
Tem Prente de Natal na Lateral para você.
Fiz com muito carinho..
Estou seguindo seu blog pela beleza e grandeza da sua postagem.
Evanir

Obrigada pela visita e pela mensagem. Vou te visitar também e buscar o presentinho. Um beijo guria. ;)

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…