Pular para o conteúdo principal

Me cago de medo


Cada vez que preciso tomar uma decisão me cago de medo. Não é a toa que minha música favorita do Lenine, entre todas as outras favoritas que também amo, é Medo. Esse receio do desconhecido me faz tremer as pernas e manter a indecisão como medida. Fico retardando, adiando, protelando minha palavra ou ação até o momento inevitável.

Mas tudo urge na minha vida ultimamente e está cada vez mais emergente eu ter postura firme. Essa semana é tudo vai ou racha. Sim ou não. Agora ou bem depois... Talvez nunca. Como não sou dona do meu destino, como pensei que fosse, melhor não vacilar tanto e ir logo mandando o racional funcionar e tentar acertar as coisas. Ou não.

Pop Corn

Deixa eu lhes contar algo que não é novidade. Melhor. Deixa eu lhes lembrar. Estou cada vez mais falida. Fui dar uma caminha até o super hoje à noite. Lá, estava focada no somente necessário. Claro que trouxe supérfluos. E em meia dúzia de coisinhas gastei 50 e poucos paus... O fim da várzea! Esta tudo os olhos da cara e olha que eu tenho quatro chiquetérrimos olhinhos.

Resumindo. Estou decaindo na escola sócio-econômica e o medidor é a pipoca. O interessante é que, mesmo conhecedora da falta da qualidade do Tipo 2, os grãos estouraram todinhos no meu óleo de manteiga, incluindo o feijão [Jana, o PP não vai achar no mercado. Eu ganhei um litrinho do líquido maravilhoso, que veio “importado” de Sampa].

Gripe

A gripe do gato faz o Shazan espirrar e fungar que nem gente. Se não fosse preocupante o fato dele estar com o nariz congestionado, acharia engraçado sua situação. Agora só falta o bicho escarrar, por que falar, ele já fala... É quase o gato de botas. Estou esperando a mágica até agora!

MP3

Voltei com o vício de ouvir música. O bom disso é ver a cidade sob o som de canções prediletas. O trânsito não tem o ronco dos motores, as pessoas não têm voz, os pássaros não cantam e o rio também é mudo. Engano-me. Tudo em minha volta tem vozes. Às vezes é Marisa Monte, outras Tim Maia, do Falcão do Rappa, de Lenine, do Serginho Moa do Papas da Língua... Muitos sons, deliciosamente variados. E viva a pilha palito alcalina e o lixo reciclado.

Paiaço

Eu sei que não vou mais vê-lo e isso me deixa ainda muito triste. Voltar pra casa agora vai ser sempre com um aperto no peito pela ausência, pelo lugar vago. Meu consolo é pensar que talvez tenha sido melhor assim. Meu egoísmo não deixa que liberte minha mente do meu velhinho e achar tão injusto que ele tenha me deixado. Já disse, sou mundana demais. Mas também sei que poderia ser bem pior pra ele caso estivesse entre nós. Só o que sei é que todo mundo fala que a dor passa e a saudade fica. Ah, nunca quis tanto sentir saudade até então...

Comentários

Hakime disse…
Amiga, diz ao Shazan para não sair de casa mais de noite, porque se aqui em Beltrão está frio, imagina aí em Santa Catarina! Na certa ele está com constipação devido a esses hábitos felinos, associados à mudança de clima, ai ai ai!

Já experimentaste comer pipocas com marmelada? Um doce!

Medo... há uma música da Mariza, que ela regravou da Amália Rodrigues, que tem este nome, ouve ->

http://www.youtube.com/watch?v=KxAEPi_yQI8

Beijitos!
jana disse…
* ja disse que vc é a pessoa mais falida com dinheiro que eu conheço;
* essa pipoca tão maravilhosa que vc fala so pode ser temperada com tóxico liquido, isso vicia nega, he he he;
* ah! preciso da receita de pipoca no micro pq agora eu tenho "microonibus" e quase 2 kg de pipocas de saquinho, kkkkk, como não tenho tanta grana como vc preciso dar um jeito de acabar com elas, kkkk;
* é verdade, a dor passa e a saudade fica. como eu não gosto de ficar toda hora pensando e falando em quem ja partiu (teoria de que quanto mais "chamamos", falamos, pensamos neles mais tempo eles demoram para se desligar dos entes queridos. falo isso com a certeza e convicção de que seu homero e dona maria estão sempre por aqui. ele pq ela falava muito, rezava muito e coisas do gênero, e ela pq foi tudo tão rápido e ela ainda não achou o caminho e não consegue se desligar de nós, isso eu te conto depois, nesse momento não seria adequado) posso afirmar que em alguns momentos ate "esquecemos" deles;
* é, nós gatos demoramos muito para nos recuperarmos. ontem fui ao cinema novamente e passei um terço do filme espirrando e fungando, kkk. assistimos caçador de recompensas e posso te dizer que é bom. sempre que levo o Pp ao cinema para assistir uma comédia ele ri "por dentro", ontem ele riu por fora, kkkk. agora que descobriu que paga meia entrada esta rindo em dobro, kkkkk

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe