Pular para o conteúdo principal

Qualquer prazer me diverte [2]




Ontem, dei meu primeiro sorriso espontâneo e vaidoso nos últimos dias. E claro, não poderia ser diferente, foi em consequência do consumismo. Não poderia. Na verdade não posso gastar um tostão furado. Mas, pra que trabalhar então se não é para pagar as contas originadas pela minha vaidade e pelo meu prazer?

Também não é só isso. Ontem foi um caso a parte - necessidade. Pus no rosto esses óculos meigos que havia comprado há 20 dias. E gente, pasmem, nem parece que estou de lentes. Vejo tudo como se minha visão fosse perfeita. Adorei!

Não preciso dizer que o que já era belo ficou ainda mais encantador. Sim, ficaram lindos em mim, o que é um pleonasmo em se tratando desse corpitcho que me pertence. Agora, nada mais de tirar os óculos para sair em fotos. Vou de Mr. Magoo para os flashes.

[1]

Comentários

Já que fez tanta propaganda por que não colocou a tua carinha com o óculos novo pra gente ver.....põe aí guria...
jana disse…
mas ahhhhh
não é que deu certo o carnezão, kkkk
Nanda Assis disse…
acho muito charmosas as mulheres de oculos.

bjosss...

........*................_
......................*../ /
......*..... ,O ....../ /
........., ( : : : )=/ /
....*...(` ~ (###)
........% ---' ` "y
............\......./
.....*......\...../
.........__ )...( __
........' - - - - - - - `
Parabéns então, senhora quatro-olhos!

Fico contente em saber que houve já um sorriso. Nem tudo na vida é lágrima. Espero que continuem a vir mais e mais sorrisos sempre, pois teu sorriso é como o teu corpitcho: cheio e encantador.

Bisous queridinha!
PS.: Estou de acordo com a opinião da Dona Sílvia. Quedê as fotografias!
Anônimo disse…
hihihi....modéstia não te falta né!!!! rsrs...

rou.
Angélica e Hakime: Nem pensar em causar furor aqui no Cor de Rosa, expondo essa bela imagem que sugeriram. Estou tentando ser uma simples mortal. N posso sucumbir a essas tentações exibicionistas e luxuriantes.

Nanda, agora sim posso dizer que sou uma mulher quatro olhos 100% charmosa. Melhor seria se o modelo fosse francês, mas se duvidasse pagaria em euros o negócio...

Jana: Deu super certo o lance do carnezão. Hehehehe. Ser jornalista numa cidade pequena tem o seu glamour. Semana que vem vou ser mais ambiosa e tentar comprar um carro. Hehehehe.

Rou: Modéstia? Fui olhar no meu dicionário e não achei essa palavra. Mas em compensação tinha outros adjetivos pra mim: Maravilhosa, Majestosa, Magnífica e outros tantos M... Hehehe.
jana disse…
putz, esse povo não pode dar corda para vc
he he he
essa semana atendi um cliente que fez o pagamento com um cartão de crédito que não possui limite (!!!?????). sabe oq ue é isso?
ele pode comprar uma casa, ou um carro. uma casa E um carro, kkkk
imagina tu com um desses
e eu achei que estava abalnado com meu limite de 3000 mil em cada um daqueles cartõe que te mostrei, kkkkk
queridona, eu não ia querer um cartão de crédito ilimitado. mas sim o dono desse cartão, num cartório de registros civis, com comunhão total de bens. ponto! hehehehe.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe