Pular para o conteúdo principal

Madrugada



4:45, marcava o relógio do celular, que às vezes serve de despertador e agenda de compromissos. O gato miava para sair. Queria fazer suas necessidades. Como de costume levantei e abri a janela para ele sair e voltei para a cama, a fim de recuperar o sono, porque o sonho não queria. Estranho demais... Impossível também.

5:45 o sono ainda não havia voltado. Sei a hora certa porque novamente olhei no visor o celular. Sou um pouco assim, cronometrada. Levantei, fiz xixi, tomei água e olhei pela janela [em tempos de nicotina teria fumado uns três cigarros e bebido duas taças de vinho na sacada]. Fazia muito tempo que não perdia o sono, muito tempo mesmo...

Por várias vezes tentei a técnica de contar carneirinho [funcionava na infância e juventude], de imaginar situações irreais, um romance torridamente feliz. Mas também não deu certo como antes. Nesses 60 minutos ouvi períodos de silêncios na emissora de rádio de Videira [Transamérica Hits]. O vigia deveria estar trocando “a fita” e a insone aqui já pensando em reclamar... Mas logo desisti da rabugice, isso deve ser comum nas emissoras de rádio.

Pela janela visualizei parte dos três prédios da Perdigão. Do lado de cá dos blocos, apenas uma janela [e da cozinha ainda] mantinha a luz acesa. Estranho... Antigamente, desde as 4 horas da madrugada já se avistavam várias delas iluminadas e muitas vezes sombras movimentando-se. Será que todos deixaram de ser insones, ou trocaram de turno do trabalho, ou são moradores novos? Sim, porque a única luz acesa ainda parecia ter sido deixada propositalmente, para evitar sustos de algum aflito.

5:54 parei de refletir sobre a vida dos vizinhos, tomei água e decidi vir escrever, como antigamente. Muito fiz isso aqui no Cor de Rosa e são post’s que não quero mais ler. Trazem sentimentos e sensações tão sofridas que não é bom lembrar. Depois, vivo um momento distante daquele momento. Estou mais madura, um pouco prevenida, se é que isso é possível, das surpresas da vida.

7:00, sei disso porque era o horário agendado para o celular despertar. Tenho que concluir um projeto, uma proposta de assessoria de comunicação. Estou voltando a ativa, aos poucos. Agora as luzes, que antes estavam acesas nos lares da frente, já começam a se apagar. A luz do dia já ilumina a todos nós, afinal, o Mundo continua girando. 24 horas por dia!
Trilha sonora da insônia
Don't worry
Pra não
Se estressar
Be happy
Pra se alegrar
Relax
Que tudo
Fica diferente
Stress faz adoecer
Amor rejuvenescer
Sorria mais
E leve a vida
Simplesmente
* * *
.

Comentários

RosanaK disse…
Que horror essa situação de não porder dormir né...me dá arrepios só de pensar nisso! É tão angustiante ver as horas passarem e vc sem poder dormir, sabendo que tem um dia inteiro ainda pela frente! Affff....
Mas mesmo sendo de uma situação desconfortável desta, adorei seu post menina, achei tão poético....viajei pensando nas luzes dos prédios e parece que me vi na sua história!
Parabéns....bjs
obrigada Rou. fazia mto tempo que não escrevia com tantas sensações assim. antes eu dormia muito pouco porque sofria de amor. as idéias, xingamentos, conversas, reconciliações, brigas iam e vinham diariamente e a todo momento. época em que poucos meses demoraram um tempão para passar. mas aprendi que de amor ninguém morre. se emagrece, se distraí, se deprime, mas morrer não. bjo queridona.
Elaine disse…
Olá!
Querida, estou aqui para agradecer as palavras de consolo e apoio. Muito obrigada, mesmo.Foi a frase mais bonita que me disseram hoje...
Tenha um fim de semana abençoado.
Beijos.
Nanda Assis disse…
aqui são 2:44 e to nem com um pingo de sono. tinhamos que ser vizinhas pra tomar esse vinho juntas e conversar ate o galo cantar.

bjosss...
o casalqseama* disse…
ehhh, bem que agente podia fazer companhia uma pra outra nessas noites de "reflexão"... tbm tenho perdido o sono, aliás, acho que ele que me perde!

rsrs

mas quando ele não vem, fazer o quê? pensar, sonhar, brincar com o gato, invejar aqueles olhos azuis lindos + seus bigodes branquinhos... escrever e idealizar.

que o outro dia a disposição me encontre, porque tenho que realizar esse monte de sonho!

rsrs


putz, essa preta é um arraso! amo mart'nália!


bjão no teu coração da fê =D

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe