sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Se a pré-venda é ruim, imagina se precisasse do pós...

20h51. Entrava em um pequeno centro comercial próximo a minha casa em 15 minutos. O sol e o calor forte que fazia durante a tarde de Porto Alegre me deixou prostrada em casa, sobre a cama, a cochilar. Então, deixei para sair ao anoitecer. E foi nesse horário que adentrei em uma loja da Rede de Farmácias Panvel. Na porta, um atendente com olhar questionador observava meu caminhar cadenciado e vagaroso. Fiquei intrigada no início, pois duvidei que, em pensamento, ele me queria longe do seu lugar de trabalho. Sim, a loja fechava às 21 horas.

Sua reza não deu certo. Entrei. E logo avistei a prateleira das tinturas. De primeira um tom avermelhado me conquistou. Na fileira debaixo, outro tom. E mais um. E em poucos minutos uma dúvida tomava minha mente. Concentração quebrada eu tive ao ouvir o som da porta de vidro sendo fechada e a placa de Fechado sendo estampada nela. E novamente sinto o olhar do atendente...

- Posso ajudá-la?
- Não, obrigada.

O rapaz bonito me deixou constrangida com o assédio. Ele queria ir embora e eu queria o tom certo de vermelho para os meus cabelos. Mas ele estava decidido a me constranger ainda mais. Se posicionei próximo a mim, a meu dispor... ignorei tanta serventia e voltei meus olhos para a indicação de resultados nas caixas que continha em mãos. Mãos, em poucos minutos, um outro rapaz, desta vez um que parecia o gerente, fez contato.

- Posso ajuda-la?

Pensei: não! A não ser que entenda de pigmentação avermelhada e da estrutura molecular do cabelo negro, mais do que eu, que pinto os cabelos há anos e com diversas marcas. Mas, não disse nada diferente do que havia pronunciado ao seu colega.

- Não, obrigada. (claro que tinha um tom de incredulidade na situação)

Escolhi a tinta, passei no corredor do lado, peguei outro produto que precisava e fui ao caixa. E claro, tinha que ser a mais apressada de todas. A mais impaciente.  A menos humorada. Dei os produtos e enquanto ela registrava, perguntei:

- Eu escolho o shampoo?

Sim,  a tintura fazia parte de uma promoção que dava direito a um shampoo da mesma marca. E no cartaz indicativo não dizia qual tipo e nem tamanho.

- Sim, é aquele vermelho ali da prateleira.

Disse a caixa indicando o local. E lá fui pegar o produto. Dei para ela, que comentou:

- Mas o da promoção é o pequeno.

Voltei e ali não tinha nenhum pequeno. Foi quando sua colega veio ajudar. Sim, por que nenhum dos dois outros solícitos rapazes vieram dar pitaco dessa vez... Pensei. Bom, estou no meu direito de cidadã e consumidora de exigir meu brinde. E o pseudo gerente deve saber disso.


A moça - que por sinal era a única dos quatro funcionários da loja que fazia seu trabalho com atenção e cordialidade - avisou ao “gerente” que não havia mais o produto na prateleira. Logo, voltei ao caixa e pensei: barraco ou parcimônia? Escolhi a segunda opção e me arrependi de não ter entrado nas Americanas, que ficava aberta até às 22h e que, certamente, não iria causar um desconforto e, até, um constrangimento.

5 comentários:

Jana GOSTOSA disse...

sim, eles te queriam fora da loja. conheço essas clientes que entram na loja faltando 9 min e querem ainda pesquisar.... isso é um sacoooo.
existe clientes que são chatos pra caralho.... é o meu caso, é o teu caso.
tu já pintou o cabelo de acaju antes, então deveria saber qual a marca que te agrada. aprende uma coisa comigo que fui ruiva por 15 anos, nenhuma, eu disse nenhuma marca de tinta consegue colocar na escala de " como esta a cor do teu cabelo e como vai ficar se pintar com a tonalidade 7.9 borgonnha", kkkkk.
isso é balela, teu cabelo nunca fica igual ao que diz na caixa.
esse teu andar cadenciado e vagaroso eu conheço, tu anda assim quando já a 3 horas atrasada ou no caso quando quer irritar os vendedores, kkkkkkkkkkkkkkk
mas devo confessar que ficou tri massa o acaju no teu cabelo

Nanda Assis disse...

.
0000000_000000__00_____000__000000000
00______00______00_____000_______000
00______00______00_____000______000
0000____0000____00_____000_____000
00______00______00_____000____000
00______00______00_____000___000
00______000000__000000_000__00000000

______000_______00_____00_____000000
_____00000______00_____00___000____000
____000_000_____0000___00__000______000
___000___000____00__0__00__000______000
__000_000_000___00___0_00__000______000
_000_______000__00____000___000____000
000_________000_00_____00_____000000

00_____00_____000000___000_________000___000000
00_____00___000____000__00_________00__000____000
0000___00__000______000__00_______00__000______000
00__0__00__000______000___00_____00___000______000
00___0_00__000______000____00___00____000______000
00____000___000____000______00_00______000____000
00_____00_____000000_________000_________00000

.
Felizzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
_000000_____00000_______000_______000
00____00___0000000_____0000______0000
0_____00__00_____00___00_00_____00_00
_____00___00_____00______00____00__00
____00____00_____00______00___0000000
___00_____00_____00______00________00
__00______00_____00______00________00
00000000___0000000_______00________00
____________________0|0__________________
____________________0|0__________________
____________________0|0__________________
_______000_______________________000_____
________00_______________________00______
_________00_____________________00_______
__________00___________________00________
____________00_______________00__________
______________000000000000000____________
________________00000000000______________

Jana DELICIA disse...

teu corte só lembra o da Veja. o raspado dela é para o outro lado, kkkk

Cor de Rosa e Carvão disse...

Jana, SISSI, eu sou uma mulher contemporânea. Vivo trocando tons, cores, marcas... Acompanho os novos tempos, até por que a indústria capilar propicia isso. Por isto que não uso mais Acajú, desde a década de 90, amiga. Cai na real.

Cor de Rosa e Carvão disse...

Nanda Assis, sua querida, Feliz 2014 também. Bjo