quinta-feira, 27 de setembro de 2012

DIVÃ: É só uma crise, vai passar...



Não tenho Síndrome do Pânico e nem estou desenvolvendo uma. Ainda bem. Seria terrível sofrer disso. Mas tenho crises de ansiedades devido ao pavor de brigas, violência fortuita, e por discussões com gente tola. Fiquei aliviada em saber que isso é tratável e que nem vou precisar de drogas para isso. #FluoxetinaNão

Sai aliviada da terapia, como toda a semana. Mas desta vez ainda mais. Pois agora estou aprendendo a controlar minhas crises, sem passar mal e nem perder eventos sociais por medo de que alguma coisa possa acontecer.

É engraçado esse lance de quem procura, acha. Nunca tinha pensado em fazer terapia antes. Mas quando vi a necessidade disso, não perdi tempo e tratei de por em pratos limpos todas as neuras acumuladas. Essas crises são parte delas e nem sei ainda há quanto tempo elas habitam em mim. Só sei que tremo, perco a voz, tenho palpitação, formigamento nas pernas e pensamentos ruins ou raivosos, em situações que nem precisariam de tanta reação assim. Quase fico paralisada...

No entanto, só sei que essas sensações terão fim. Não quero mais isso pra mim. E isso me basta para ter fim. #EuSouCapaz

@

Na mesma consulta soube outra coisa que não tinha percebido antes. E que minha terapeuta também não tinha me revelado. Eu sou uma esponja. Pensei: Do que ela está falando? Só por que sou gorda não quer dizer também seja uma alcoólatra. Mas não. Nada a ver. Eu capto energias negativas das pessoas. Sou um ímã disso. Atraio a carga que outras pessoas não querem.

Que merda isso hein?! Como se não bastassem minhas próprias neuras, tenho que servir de receptor da doença psicológica dos outros... Mas tudo bem que basta dar uma choradinha de 5’  no banheiro que tudo passa. Mas até eu chegar lá, putz, muita angustia alheia abusa de mim. #PedePraSair

Um comentário:

Jana disse...

ha ha ha
pois eu já sou a "esponja" literalmente nos dois sentidos