sábado, 14 de julho de 2012

Eu procrastino, tu procrastinas...



Na labuta, de verdade!
Ontem eu aprendi essa palavra. E seu significado. Sem saber que já conjugada esse verbo há muito tempo. Se é uma coisa que eu sei fazer bem é procrastinar. Feio isso, eu sei. Admitir também... Ainda mais quando minha mãe, minhas amigas, meus guias sempre dizem para não fazer isso.

Hoje em dia estou vendo que não há mais espaço na minha vida para o “depois”. Não posso adiar mais nada se quiser vencer, conquistar, aprender, desenvolver. Não é a toa que sou ansiosa. È meu lado B dizendo a mim mesma que preciso dominar minha preguiça, e dar o passo a frente, e outro, e outro...

O marqueteiro citou, ressaltou, grifou várias vezes que quem está nessa vida não pode procrastinar. Isso não faz parte de quem adota o marketing pessoal como comportamento, postura.

Foram cinco dias no curso de extensão que me ensinou os conceitos básicos para me autopromover. Mas, confesso, que o encerramento foi com chave de ouro. A palestra do broker João Gonçales me alertou dos perigos de não ficar atenta às responsabilidades assumidas.

Aff... Confesso que não é fácil perder um hábito ruim. Principalmente quando se tem que trabalhar no sábado e no domingo de sol, quando todo mundo está se divertindo. Mas eu sei, logo será a minha vez. Eu sei!

2 comentários:

Silvia Angélica Palma disse...

Guria, procrastinar deveria ser direito adquirido pelo menos umas duas vezes por mês. Poxa vida, esse mundo capitalista está dominado nossas vidas e nossas vontades. Ele dita a regra e nós, impiedosamente, temos que cumprir, sob pena de estar fora do mercado, fora do padrão.

Um pé no saco...

Cor de Rosa e Carvão disse...

Bem isso Silvitcha. Eu até estou tentando entrar na linha, mas tá difícil... #SouBoaVivant