Pular para o conteúdo principal

Resistindo as tentações, maio, 129 kg


Não posso negar. Estou na minha melhor e pior fase. A melhor por que estou empregada. E nesse ambiente venho aprendendo coisas novas, melhorando a cada dia, me relacionando bem com os colegas [isso a gente nunca sabe ao certo]. Também estou desenvolvendo a capacidade de cumprir horários e de cumprir metas. Todos os dias, enquanto o computador “aquece” e faço minha lista de atividades para o dia, eu penso: Só por hoje eu não cheguei atrasada. No final do expediente, avalio: Só por hoje eu não deixei trabalho para o dia seguinte. E fico feliz.

Também estou bem pois tenho tido outras oportunidades. São Jobs, mas que me dão uma rentabilidade boa. São eles que me dão um pouco mais de liberdade na segunda quinzena do mês. Que pagam minha cerveja com os amigos, o pagode com as gurias e os almoços e os táxis de sábados com a mami. Espero que sejam eles que também me ajudem a economizar, se também conseguir resistir ao consumismo. E preciso...

Mas além de complementar o sustento e promover as delícias da vida, esses frilas me estimulam no processo criativo, me dão autoconfiança quando o cliente retorna com a avaliação positiva ou um novo pedido. Geralmente tem sido os dois. E é quando respiro aliviada a tensão, o medo, a insegurança do que me assombra às vezes: “Será que sou capaz?” Sim, a dúvida me ronda e me mata aos poucos por alguns dias. Até que vejo tudo se desenrolando tranquilamente e tomando formas perfeitas. Suspiro feliz, novamente.

Na melhor fase por que minha família é forte, guerreira, lutadora e mesmo com todos os impropérios que a vida mundana nos apresenta, ela está bem. Por que a cada dia, quando dominamos um leão, matamos um dragão, me sinto orgulhosa de ter caído nesse núcleo de gente desorganizada; de fazer parte de um grupo de pessoas de coração bom, embora cheio de imperfeições. De pessoas majestosas. Sou completa aqui, entre eles, pois o clã dos Barcellos me deu o dom de persistir e lutar sempre, de seguir em frente. Já o clã dos Araújo me deu a capacidade de regenerar-me, de ousar, de buscar energias e ser forte, além da capacidade de sonhar e aproveitar a vida.

No entanto, o lado negativo, o reverso da Nega, é a obesidade. Estou na minha pior fase. Gorda, sem resistência, com joelhos rangendo além da conta, disforme e andando como uma gorda mesmo, pros lados, parecendo um misto de Umpa Lumpa com Teletubbies. Aff... O guarda-roupa cheio de peças novas e seminovas de invernos em que estive menos adiposa. O jeito foi encaixotar alguma coisa e doar outras, além de sair para comprar o básico. Sem extravagâncias. Se ao menos eu tivesse a minha flexibilidade de volta, estaria feliz..

Por essas e outras decidi encarar uns cortes na minha alimentação. Não é dieta. Isso eu sei que não funciona enquanto não estiver psicologicamente preparada para emagrecer. Para encarar o processo de reeducação alimentar. Então, só volto para o consultório da nutricionista depois de emagrecer 3kg. E farei isso cortando os dois docinhos diários que como, além do café da manhã com pizza ou pastel de forno da tia do lanche. Nada mais de bolo de chocolate ou de cenoura também. E no almoço, sem essa de encher o prato de todos os carboidratos que têm no Buffet. Muita salada, os 120 gramas de carne e uma, apenas uma colher de carboidrato. E olhe lá. Ah, e não jantar mais às 23 horas. Para acelerar o metabolismo velho e lento, mais uns três meses de musculação.

Há de dar certo. Ou ao menos não engordar mais. Preciso sair dessa má fase... Preciso!

Comentários

nem posso contribuir com nada..nem com dicas...hehehe pois tbm nunca estive tão "fofa"..hehe
Anônimo disse…
nem posso contribuir com nada..nem com dicas...hehehe pois tbm nunca estive tão "fofa"..hehe [2]

bjs da Rou.
Anônimo disse…
Bombom...vc me diverte.
jana disse…
posso dizer que contribui um pouco com as nossas rodadas de petistos e bebidinhas....
kkkkk
azar o teu, quem mandou aceitar
Polly

Se eu estivesse fofa, mesmo entre aspas, estaria feliz. Rá. Tu não tá entendendo...

Rou

Que saudades de ti guria. Tu fofa, entre aspas, também... [2] Bá!

Anônimo

Antes rir do que chorar. Rá. Gorda, mas gostosa, roliçamente gostosa. Mas só eu acredito nisso...

Jana

Eu não tenho dúvidas da tua contribuição nesse processo.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…