terça-feira, 22 de maio de 2012

A poucos passos de uma zorra

Sei os prós e os contras de uma paralisação. Já vivi isso várias vezes e vivo agora com a greve dos metroviários. Mas sou uma pessoa adepta aos movimentos populares, aos protestos organizados, civilizados e sem violência. Então, hoje pela manhã, acordei mais cedo e fui em busca de um lugar no ônibus, que com certeza estaria mais cheio do que nos demais dias.

Como sou comodista e prática também - afinal, antes pagar R$ 1,55 a mais do que ficar andando de um lado pro outro atrás de ônibus que não sei que horas sairia - optei de ir de executivo. No sereno das 7 horas, parecia que estava destinada a voltar para casa ou para uma reunião de última hora com o frila. Mas 5 minutos depois eu estava quentinha dentro do veículo, trocando mensagens e me acomodando confortavelmente no banco estofado, para uma soneca de 30 minutos.

Mesmo por esse pequeno incômodo pela manhã, o resto do dia transcorreu perfeitamente. Foi uma adorável segunda-feira. Porém devo confessar, já estava preparada para essa movimentação matutina. Sim. Essa paralisação, que parece que irá virar greve, estava programada há semanas. Houveram blitze dos metroviários pelas estações, falando das más condições dos trens, dos trens super lotados, da falta de manutenção da malha ferroviária e rede elétrica, da insegurança nas estações durante à noite, da defasagem salarial, principalmente.

Pra mim, funcionário satisfeito é sinônimo de serviço bem feito. Por isso apoio o movimento. E pela segurança de nós, passageiros, e deles, trabalhadores que nos atendem. Pela qualidade de vida no transporte coletivo e no ambiente de trabalho. Sei bem que foram 300 mil pessoas que tiveram que se virar para ir aos seus postos de trabalho. A maioria em atraso. Mas usuário do trem sabe bem as reais circunstâncias de trafegabilidade dos veículos e de trabalho de quem nos conduz, nos vende bilhetes e faz manutenção.

É hora de parar! Ao menos uma categoria com coragem busca por melhorias, por seus direitos. E ela está unida pelo Brasil também. Em alguns estados, a greve já dura há uma semana. Obviamente eu não quero que chegue a tanto assim. Meus vales não servem para uma empresa intermunicipal. Vai doer no meu bolso. É nessa hora que chegará o momento de agirmos com firmeza e em apoio aos grevistas, fazendo pressão social para o governo. Em algum momento há de ter fim esse movimento e que seja um acordo bom para todos. Antes que esse trem vire uma zorra total.

Nenhum comentário: