domingo, 8 de abril de 2012

A vida é boa!


E a sombra do fotógrafo em segundo plano? 
City tour pelo Centro Histórico de POA.
Tenho vivido muitas emoções e constatações. Boas constatações. Ingerido drágeas de felicidade intensa. Obtido pequenas vitórias profissionais, que na verdade têm extrema significância pessoal. Sofrido abalos sentimentais por conta da saudade de meu pai, seguido da lembrança do rito de despedida. De certo pela proximidade da data de aniversário de sua ida: 24 meses.

Abril nunca foi um mês de relevância para mim. Mesmo ele contendo aniversários de tias queridas. Mesmo ele contemplando a Páscoa, em sua maioria das vezes. E eu adoro chocolate... Mas, às vezes, um ou outro acontecimento muda tudo. Foi assim comigo. Só que este ano ele começou 50% diferente. A Quinta-feira santa foi feriado para mim; a sexta-feira da Paixão foi de lazer; o Sábado de Aleluia de diversão e hoje, Domingo de Páscoa, de reflexão e saudade. E tudo junto me trouxe a Jô.

Amigos sempre foram importantes. E tê-los ao meu lado é um balsamo ao meu espírito por momentos entristecidos, aos meus prantos. É o alimento da minha alma. A presença da Jujuba, assim como com todos os outros amigos, teve esse efeito. E ainda veio acompanhada de risos, muitos risos. E mimos: um lenço lindo que já inaugurei e um creme para mãos, que também comecei a usar.

Minha mãe, pessoa que amo muito, antecipou a chegada do coelhinho para a primeira semana do mês. E sorri feito uma criança, feito uma mulher de quase 40 anos completamente abobalhada. Tudo isso por causa de um Kinder Ovo. Que fofa! E nesse ano eu nem esperava...

Enfim, a vida tem sido boa demais comigo. Ao longo desse ano tenho tido boas oportunidades e estou agarrando todas. Talvez nem devesse. Mas estou, principalmente as profissionais. Estou com sede de trabalho, de desafios. Estou ousada: na vida pessoal e na profissional. Parece que 2012 despertou meu lado feminino e sexy. E me deu certeza das minhas qualidades e capacidades profissionais, de minhas certezas para o amanhã de hoje. Tenho fé em mim. Aliás, estou muito mais crente nos mistérios da fé também. Estou religiosamente mais curiosa. 

Eu tenho noção de que minha felicidade é construída por gotas, pílulas, como falei no início. Aprendi a conhecê-la, a absorvê-la desse modo. E não me importa se para uns isso é insignificante ou ridículo. É assim que eu sou. É assim que gosto. Simples. 

Vinho do ex-chefe; coelho da Ica;
chocolatinhos, sapatilhas e brincos para o segundo furo de mim para mim mesma

Nenhum comentário: