terça-feira, 13 de setembro de 2011

Diário Dietético: Cantar dos joelhos




Mais difícil do que emagrecer é não engordar. Eu já desisti de emagrecer e me preocupo em apenas não aumentar de peso. Controlo o que como, mas não sou neurótica [ainda]. Degusto um bom churrasco e tomo minha cerveja bem gelada com os amigos, de vez em quando. No entanto, durante o dia busco fazer as seis refeições do dia.
No mês passado havia recuperado 500 gramas daqueles 1,9 kg perdidos anteriormente. Não foi uma época boa para engordar, pois parei com a academia por 38 dias. Envolvi-me com o trabalho de tal forma, que não tinha tempo nem de malhar e pensar em dieta. Um erro, eu sei! O resultado disso verei nesta quinzena, quando retornarei a nutricionista.
O ponto positivo de tudo isso é que voltei a malhar na semana passada. Ainda não fui nesta semana. Provavelmente conseguirei ir a partir de amanhã, quarta-feira. Mas, para contrabalancear tenho ido a massoterapeuta. Sessões de drenagem linfática com massagem modeladora devem estar me ajudando a não aumentar as medidas, ao menos. E por conta disso vivo com uma garrafa de água ao meu alcance.
Poxa, quando não pensava em saúde e obesidade eu era muito mais feliz. A ignorância tem essa vantagem. Sem preocupações, cuidados, escolhas politicamente saudáveis e tal a agenda da gente fica mais livre pra tudo. Mas, desde que penso em qualidade de vida e bem estar, a coisa tem se ajustado. Passou a ser um compromisso ir para a esteira e levantar peso, comer corretamente e sem exageros...
E, por mais que escape dessa rotina vigilante que me impus, as terças-feiras estão aí para me lembrar de que preciso intensificar meu treino, minha dieta, meus cuidados com a saúde do corpo e do espírito. É hoje que tenho que encarar quatro lances de escadas para chegar ao apartamento da minha professora de inglês. A danada se mudou e no prédio novo não tem elevador. Subo os degraus de forma custosa e chego ao último piso, ofegante, reclamona e sedenta. Uma hora depois, desço a escada acompanhada de um som desagradável e constrangedor: o ranger dos meus joelhos.
Logo depois disso, corro para a Transpirar Saúde para uma sessão terapêutica do corpo. Fico com medo de subir na balança de acrílico ou vidro e quebrar o negócio. Também fico com medo do resultado que ela irá me mostrar. E também fico com medo do brilho nos olhos da Rosane, que vê em mim o desafio profissional. Eu bem que tento ajuda-la, mas, confesso: está difícil!

2 comentários:

Cintia disse...

Nega,
Chega de tantos Medos, a cada dia que passa você se supera e já estabeleceu para si uma meta de pelo menos não engordar mais, isso já um passo. Emagrecer será conseqüência além da sua meta para possivelmente também tornar-se objetivo!
Tenho certeza que negra e guerreira como és logo, logo nos contará ótimas novidades.
Alem do que o hábito um dia torna-se rotina e dessa forma coisas que atualmente te cansam, daqui a pouquinho não terão o mesmo efeito!
Tenho visto muitas Blogueiras prezando pela saúde e é muito bom ver que tu também embarcou nessa, qualidade de vida e de alma, fazem a nossa vida ficar cada dia melhor!
Além do que os seus joelhos vão agradecer e muito essas mudanças.

Uma ótima semana pra ti Negra do Sorriso Lindo!
Beijinhos...
Cintia
*cintok.blogspot.com*

Nêga disse...

Cintok [adoro esse nickname]: Teus estímulos são bálsamos ao meu espírito. Obrigada guria! Mas deixa eu te contar do meu sonho de hoje. Nele, eu engordei 500 gramas!!! Bá, tchê!!!
Bjo