sexta-feira, 13 de maio de 2011

Nêga tipo Red Bull ou energética


Dói tudo nesse corpo roliço. Gabei-me para o instrutor da tarde que nem um músculo havia ficado doído na terça e ontem. Então, o Gerson [e não César], o meu instrutor lindo e vespertino, decidiu aumentar minha carga, já no segundo dia. E o resultado é que estou quebrada! Dou um passo e digo uns 254 ais...

Mas depois de uma pratada de pinhão na tarde, vendo a Jade se requebrar toda para o Lucas, o mínimo que tinha que fazer era isso: suar naquela esteira e fazer força nos equipamentos. E nem me importei. Não só pelos exageros calóricos da tarde, mas pelo Gersão... Ah, qualquer pedido dele para mim é uma ordem. Sim...

- Terminou a série moça? Faz duas de 20 de supino, então.
Claro. Por ele eu faço duas de 20, rapidinho, sem nem questionar que anteontem mesmo, eram apenas duas de 15, ainda intercaladas com cinco minutos de esteira, na velocidade 35 [hoje ele colocou mais 10].

De certo ele percebeu que hoje eu estou suando cheiroso. O guri do lado sentiu. O adolescente leitoso farejou logo um red Bull. Como ninguém se manifestou, mudou de aroma: guaraná. Como se houvesse muita diferença entre o cheiro das duas bebidas. Constrangida da minha mistura de suor com óleo aromático de morango com champanhe provocar a sede do moleque, sai dizendo que era efeito colateral da corrida dele no equipamento.

Eu que cheiro a red bull e ele que ganha as asas da imaginação...

De resto, tudo continua igual. Minha amiga Márcia, que veio passar seu aniversário com a família, me deu o bolo duas vezes. E quando conseguiu um horário para nós, eu não vi a mensagem no celular. Resultado: só na próxima viagem agora. A minha ou a dela. Mas tudo bem. Comigo e com ela. Então, podemos esperar por um momento mais oportuno, e que ele seja breve.


* * *

Texto escrito na quinta-feira 12 e teria sido postado no mesmo dia, se o Blogger não estivesse fora do ar por mais de 24 horas!

2 comentários:

Silvia disse...

Interesseira......tá querendo ser comida né?

Cor de Rosa e Carvão disse...

Angélica, só tenho uma palavra a te dizer sobre isso: "Desesperadamente!"

;)