Pular para o conteúdo principal

Diário Dietético: Vamos malhar?!



Está feito! Peguei meus tênis com amortecedores, as meias de cano curto e os vesti. Antes, pus uma bermuda cotton roxa com uma blusa de estampa em tons creme, azul, lilás e sim, roxo também. E desci para a academia.

Na aula experimental de musculação foi tudo bem. Caminhei na esteira por 20 minutos e chutei, levantei, coiceei com pesos por durante outros 40 minutos. Tudo intercalado para não enjoar. E quando o instrutor César [gostoso pá caraiô] disse que poderia alongar, eu fiquei feliz tipo criança que ganhou doce...

Amanhã, se sobrar hora depois do condomínio, desço para efetivar a matrícula [toda maquiada por causa do Césão]. Gostei da aula. E por que PRECISO EMAGRECER ao menos 3 kg até o dia 26, quando terei consulta com a nutricionista de novo. Isso, por que engordei 1,4 kg desde o primeiro encontro com ela. Então preciso, ao menos, perder o que engordei e um qualquer pelo primeiro mês.

Pensei que não fosse tão difícil fazer dieta balanceada. Só pensei... É difícil pacas! Café da manhã light, lanche, almoço frugal, lanche [entenda aqui: uma fruta ou iogurte light], janta frugalíssima... E ceia [se for só água, ótimo!]. Como vocês sabem, quando chego no lanche da tarde, descambo. Foi por causa dos três últimos horários que engordei esses 1,4 kg...


Aff! Agora o negócio é correr, literalmente, atrás do prejuízo. Então, como diria aquele personagem, o Paulo Cintura: "Vamos malhar?!"

Comentários

Nanda Assis disse…
eu vou com você. to precisando.

bjos...
hauhaua...a cara da guria aí do desenho é a nossa cara....morrendo esbaforidas, suando feito loucas e ainda pensando que o professor vai olhar pras fofas aqui....só nós mesmo...só nós....
Guria, estou de dieta desde que nasci, eu acho, porque nas fotos de criança eu tenho uma pança que deveria armazenar uns 6 kg de lombrigas..hauahuahua
Persevere...se está animada aproveite esse momento..hehehe
Polly

Polly

Soube desde a hora em que vi o Cesão: esse cara é o personal trainer que quis pra mim! Só por ele que guento aquela esteira horrorosa... Hehehehe.

E, diria que, não estou motivada. Mas até o espírito do médium Allan Kardec quer que eu emagreça. Então vamos lá!

Bjo
Anônimo disse…
ai ai....só vc pra me fazer rir ao imaginar a roupitcha q vc estava vestindo (e o cheiro depois da malhação do outro post)...afffff!
mas deixa te contar....eu e polly vamos amanhã assitir (ou fazer, ainda não sei como é o esquema) uma aula de sei lá o que na "acadimia"...vamos ver se nos animamos tb, pq o negócio tá brabo!


bjs da rou
Rou!

Queria ser uma mosquinha para ver essa aula experimental. Hehehe. Isso seria muito engraçado... Mas, pelo sim ou pelo não, tem que ter foco guria. Eu não mantenho o meu, mas já sei aonde quero chegar. Hehehehe. Magreza!

Bjo

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Escrita Criativa e Afetiva? Temos!

Sim! Temos novidade Rosa Carvão. E se você é de Porto Alegre, ou região metropolitana, e quer aperfeiçoar a tua comunicação escrita, este post é para ti.

Devido a acontecimentos tristes nos últimos tempos, percebemos que a humanidade anda carente de bons sentimentos. Então, decidimos espalhar amor por meio do que sabemos fazer de melhor: nossas profissões! Por que não distribuir energia positiva nas nossas relações de trabalho e pessoais, por meio das palavras (sem precisar ser um escritor profissional)? E sim. É possível!

Então organizamos o curso Escrita Criativa e Afetiva, que desenvolve a sua habilidade de escrever com afetuosidade, agregando valor à sua comunicação, estabelecendo empatia e, até, gerando engajamento das pessoas no seu projeto de vida ou profissional.

Venha aprimorar seu texto por meio de exercícios que estimulam sua criatividade, dos conhecimentos fundamentais da escrita e da produção. E prepare-se para ser introduzido a uma gama de formatos e possibilidades de l…

Eu choro

Sou temporã. Nasci dez anos depois da primogênita. E nove, depois do filho do meio. Vim quando ninguém esperava, e cá estou. A filha caçula da Maria e do José. Meu pai torcia para que nascesse no seu aniversário – 11 de setembro. Mas sou temporã nos dois sentidos da palavra. Na minha família sou a única que não veio ao mundo pelas mãos de uma parteira. Ufa! A moderninha. Confesso: gosto da ideia de romper paradigmas, mesmo que de pequeno porte. Também fui a única a participar de atividades do movimento estudantil durante o ensino médio e a cursar uma faculdade. Ah, mas o meu orgulho em casa foi ter sido a precursora em verbalizar o Eu Te Amo. Demorou, mas saiu. E depois do primeiro, banalizei. Espraiei. 

Mas de volta ao meu nascimento... Rompi à vida em silêncio. De madrugada. Meu Paiaço adorava contar este momento: “Tu não queria chorar, então, o médico deu um tapinha na tua bunda para que chorasse, para ver se estava tudo bem. E tu abriu o berreiro”.  Crendice ou ciência da época, eu n…