quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Bem Estar Bem



Li a pouco a coluna de Ruy Carlos Ostermann para seu blog. Primorosa como sempre. E descobri que temos algo em comum. Nós dois sabemos fazer “nada” muito bem. Cada uma ao seu estilo.

O professor referia-se a sua atividade de férias. Em janeiro ele se encheu de “nada” e aproveitou maravilhosamente seus dias de sol e de chuva. É assim que vivo também, meus dias de folga. Aí está outra diferença entre nós. Vivo um semestre de férias. Que, aliás, deveriam ter acabado em janeiro, mas estendi por mais algumas semanas, já que é verão e calor pede praia, inevitavelmente.

No meio do “nada” a gente inclui algumas coisinhas. Eu, por exemplo, encontro amigos. E é tão bom rever os afetos e ter noticias boas... Mesmo que seja por pouco tempo. A hora do almoço. Mas valem os sorrisos, as repreensões, as novidades, as “velhicidades”, os auxílios e as promessas. Isso dá um ânimo no dia a dia de dar gosto!

Também, a pouco, retomei uma atividade que há meses não exercia. O da escrita, da revisão, da edição de textos. E pasmem: estou fazendo o job com gosto e como se não tivesse parado um só dia. Na semana passada recebi um pedido de help de uma amiga. E não neguei. Melhor é que ainda vai rolar uns dinheiros. Calma guria... Não te assusta que sou barateira.

Fora isso, os demais dias têm sido de esplendorosos “nadas”. E repito: tenho gostado muito, embora saiba que isso tem que ter fim. C’est la vie!

3 comentários:

Nanda Assis disse...

tbm to nessa ai hein kkkk.

bjos...

Afrodite disse...

E como é bom poder curtir um ócio vez ou outra,não?
Beijo!

Cor de Rosa e Carvão disse...

Gurias, boa demais essa vibe. Beijo no coração de vocês.