Pular para o conteúdo principal

Consumistamente feliz. E daí?


Não falei para vocês ainda, mas eu tive um final de semana ótimo. E um início de outra semana melhor ainda. Vi o meu amor [e nem brigamos dessa vez], ganhei a promoção de verão da ColetivaEAC – Estudos Avançados em Comunicação, Marketing e Opinião Pública e comprei um sunquíni de bolinha.

É. Agora vou parecer um morangão dentro da roupa de banho vermelha, com detalhes em branco [no lugar das sementes pretas]. Bem feliz! E, também, foi sem dó e sem piedade que irei aposentar meu sunquíni verde oliva. O coitado cumpriu bem seu papel e ainda rodou quilômetros por esse Brasil. Está na hora de ter um descanso e um fim digno: o lixo.

Como é bom comprar... Sim, assumo agora minha veia consumista. Pena que falta grana para alcançar os desejos simples de mulher na estação verão. Por isso tenho que me cercar de produtos de qualidade duvidosa ou similares, a fim de satisfazer essa fome. Mas tudo tem justificativa.

É impossível manter a elegância sem, ao menos, sapatos e sandálias de salto – e olha que salto para mim tem que ser muito confortável. Nada de salto agulha... Sem um chapéu para proteger o rosto e os cabelos dos raios UVA e UVB. Hidratantes. Unhas bem aparadas e pintadas. E, claro, sem umas pecinhas - básicas, novas e charmosas - de roupas para a estação.

Pronto. Está aí uma mulher feliz. Eu!

Comentários

Eugenia disse…
Viva as promoções, vou sempre em busca de peças básicas para mudar a carinha das minhas roupas mais queridas. Comprar é o máximo, tudo de bom e nem me importo em namorar as vitrinas,quando sobra algum,volto na loja e compro. Faz um bem danado não é mesmo?
Um grande beijo amiga
Afrodite disse…
E tem coisa melhor que SE fazer feliz?
Não!!!
Beijo!
jana disse…
ainda estou esperando para consumir as minhas cevas....
peterson e eu estamos de folga domingo e segunda
bjs
gurias, adoro tudo isso. e jana, quanto mais demora, melhor o sabor da ceva gelada descendo pela tua gargantona, sua pescoçuda. hua hua hua.
Sapato meigo heim garota.....olhando pra ele lembrei que engordei tanto que até o número dos meus calçados aumentou..... o fim da várzea....

Mas o fim da várzea mesmo é tu explorar dona Odete....até parece que vejo vc fazendo pirraça e bico, feito criança, pedindo um doce pra mamãe....uahuahauhauhauha
Sexo Verbal disse…
Meu pai costuma dizer que o "homem mais feliz do mundo, tinha só uma camisa."

Até hoje não entendo o que ele quer dizer com isso.

Também não sei o porquê de estar escrevendo isso.

Boa noite. Deve ser o Rivotril.

Enfil
peterson disse…
nega lacaia parabens pela coletiva mas ainda assim me pergunto cade a minha cerveja na cidade baixa?
não adianta esse papo de quanto mais demorar melhor pq não caio nessa
Vieira Calado disse…
É preciso é haver dinheiro,

não é,

amiga?

Bjs
Silvia, tenho achado coisas legais para meu pézinho de cinderela... Hehehehe.

Enfil, enfim, o velho codinome... Eu, no seu lugar, estaria com crise de identidade. Nem o rivotril ajudaria.

PP, seu baixinbo pançudo bebedor de cerveja, lembrei de ti hoje na prova do meu concurso. as apostilas que me emprestastes foram de muita valia. Hehehe. Ah? Ceva? Quando eu assumir o cargo, pq vou passar, eu pago. Hehehehe.

Vieira Calado... é preciso dinheiro e saber viver. e eu preciso de dinheiro e sei viver. Hehehe. Pronto!
Anônimo disse…
ai....eu que o diga né! adooooro comprar e comprar! adoooooro coisas novas...(grande novidade).
mas conta aí...que história é essa de amor???? hein? hein? hein?
putz....lembrei da cena na loja do shopps....vc com aquele vestido verde de bolinha branca, e a sílvia bem discreta: volta já pra dentro do provador nêga...uhauhauhauhauhaua. sempre que lembro disso quase choro de rir....e to imaginando o sukinão vermelho de bolinha...hihihihi.
ah, sabe quem comprou um bikinão???? polyanna angélica....sim...o amor faz dessas coisas!
bjs da rou.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…