Pular para o conteúdo principal

Cheia de vontades



Tudo bem, vou confessar. Eu não gosto de teatro. Muito raramente eu manifesto o desejo de assistir alguma peça, mas, quase sempre quando isso acontece tem que ser no estilo teatro de rua. Nisso também há outra preferência, que é pela turma de atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz. Sei o que muitos - que conhecem o grupo - vão dizer ou pensar, mas sair do padrão sempre me chamou a atenção e devo confessar que Fausto foi a melhor peça que já vi o grupo desenvolver. E não prestigiei ainda atores mais práticos do que eles para executar textos de Nelson Rodriguês também.

Mas, este ano, as vontades vieram com o Jorge da borracharia [me mato de rir cada vez que vejo esse vídeo]. Depois com esse trio aí do vídeo acima: Oscar Simch, Rogério Beretta e Zé Victor Castiel. Este ano eles apresentam Os Homens de Perto 2. Tudo bem que não vi o number one, mas eu passo. Depois, como as peças ficam pouco tempo em cartaz, e tô sempre dura, a vontade dá e passa, que nem a minha renda mensal. Vocês sabem como é; viajar é bom, mas custa caro e depois de dez dias na Bahia, creio que vou passar dez meses recordando e pagando esse negócio.

Então, se eu quiser viajar de novo, e ainda esse ano, melhor curtir os programas culturais gratuitos que Porto Alegre oferece. E tem coisa pá caraiô gente! Nem dá pra dar conta... As opções são diversas: cinema, teatro, shows, bate-papos, rodas de capoeira e coisa e tal. Mas no momento, a guria dos olhos de ouro do portoalegrense é a Feira do Livro. Lá tem uma vasta programação, além dos estandes de livreiros e a praça de alimentação [cuja graça do bar Bola 7 (ou 10) já era...].

A feira iniciou na última sexta feira e no domingo fui lá conferir parte do negócio, ao lado do Peterson e da Jana. Como não dá para atualizar a conversa, procurar livros, apertar o PP e evitar que a Jana dê golpes nas bancas e ataque o Mário Quintana ao mesmo tempo, vamos na Praça da Alfandêga - que está numa reforma ingrata e infinita - mais vezes ainda. Por enquanto só preciso comprar uma gramática de bolso do Celso Cunha. Mas como sou gulosa, já agrego uma lista com alguns títulos, entre eles as crônicas televisivas As Cariocas. Uma listinha que cresce cada vez que passo pelos corredores da feira e que devo saldar no dia 15, último dia do evento.

Dá pra imaginar, então, que sairei do banco e voltarei para casa um pouco mais pesada por causa dos livros, mais rica de cultura literária e com bem menos dinheiro do que deveria. Mas quem se importa com isso? Hein?! Se vou estar cheia de vontades...

Comentários

Teu cabelinho tá show..heheheh e a Jana heim....ô mulherzinha tarada.....hehe
Afrodite disse…
O bom do conhecimento é que ele não ocupa espaço...e não podem te tirar ele!Levam tudo de nós,mas o conhecimento fica....
Um beijo!
Afrodite disse…
Minha flor,deixe de bobagens!
Sei que a vida está mesmo corrida!
Que bom que gostou do meu cantinho!
Venha quantas vezes quiser!
E te linkei por lá,ok?
Assim mais pessoas te conhecerão como eu fiz!
é um prazer te ler tb!!
Beijo!
Pimenta disse…
Olha, nesse aspecto de encontrar coisas para fazer de graça, Porto Alegre tem bastante opção, né?
Tem ainda o fronteiras, que me deixa com muitA vontade de estar em POA.
bjo
Ps:Quanto ao teatro, era assim para mim também,quando eu tinha grana, nãO tinha o tempo, e quando tinha o tempo, tsctsc,nunca tinha grana...
bjo
Gaúcho disse…
Minha amiga, dessa vida nada levamos, salvo aquilo que nos faz crescer espiritualmente. Leia, faz bem, conhecimento é alimento pra alma e que não engorda! Falando nisso, quando é que você vai escrever o seu livro? Hã?
Abraços,
jana disse…
silvia o cabelo da nega é peruca, kkkkk
Polly

Quase chorei [hora de raiva] ao ver a estituteira cortando minhas madeixas. Mas daí percebia que aquilo não me pertencia e relaxava. Agora já adoro meus cachinhos micro toy. Hehehehe.

AFRÔdite

É a mais pura verdade, mas êta conhecimento caro esse hein? Putz grilo! E fica gel guria. De vez em quando eu apareço por lá.

Pimentinha

Porto Alegre é uma maravilha mesmo. Êta coisa maravilhosa. Eu amo estar aqui. O único problema é que eu tb adoro as coisas caras de POA. Ei, o que é esse tal de Fronteiras? Joguei no google, mas nada...

Gaúcho

Tu é tão gentil meu caro... Eu já tive aspirações desse tipo. Agora me ponho no meu lugar. Hehehehe. Deixo isso para os intelectuais de verdade e de araque.

Jana

A inveja é uma merda! Putz grilo...

Beijo nos guris e nas gurias também.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…