Pular para o conteúdo principal

Você já foi à Bahia, nega? Não? Então vá


Projeto Tamar - Praia do Forte [Litoral Norte da Bahia]
Mais de 10 millhões de tartarugas marinhas foram devolvidas ao mar depois que o projeto foi implantado no Brasil



Mangue Seco - BA
O trio do bugre, voando as trancinhas pelas dunas de Tieta do agreste


Praia de Itaparica, terra de João Ubaldo Ribeiro
Com uma vila adorável, a praia de Itaparica encanta a todos pela simplicidade e colorido. A orla é tranquila, perfeita para quem gosta de mar e sol sem a correria de crianças com brinquedos e o agito de jovens sexualmente ativos. Quero morar lá!

Todo dia é dia de alguma coisa na Bahia. Não tem tempo ruim. Mas, claro, é naquele ritmo: arrastado... E gostei disso por demais.

Engana-se quem diz que o povo de pele curtida [nem todos] e de fala mansa é preguiçoso. Os baianos trabalham. Alguns gostam de dar uma de esperto, principalmente com gente de fora [entenda-se turista]. Outros não querem saber de lucrar sobre a ingenuidade dos demais. Mas, no geral, todos acordam cedo. São simpáticos e mal humorados. Depende muito de suas atividades profissionais. Cobrador de ônibus, por exemplo, nem sei se tem dente, de tanta cara fechada que enfrentei. Sem falar no espertinho que ficou com meu troco... Cara de pau! Mas, no geral, achei o povo baiano muito gente boa, do bem e lindos [nunca vi tanto nêgo e nêga bonitos assim...]


Tartaruga Verde [minha outra metade da laranja]
Ela pode chegar a até 350 kg e mais de um metro e setenta de comprimento, se conseguir sobreviver ao lixo que nós, humanos, jogamos na praia e vai parar no mar como "alimento".


Embarcação que cruza o Rio Piauí, entre os Estados de Sergipe e Bahia
Meia hora no vai e vem do barquinho, num rio sergipano de água salgada, por que quando ele cruza com o mar, o doce desaparece. Coisas da natureza...

Na balança do positivo e negativo da viagem de dez dias, diria que ela tendeu dez vezes para o muito bom. Foi um passeio agradabilíssimo com uma ótima parceria. Com a Mara não tem ruim também. Pelo contrário. A guria não tem papas na língua, mas equilibrar opiniões sem se ofender e nem ofender ninguém. Por isso, a ida, a estada e a volta teve de tudo: risos, conversas, risos, debates, troca de conhecimentos, risos, comilança, compras, risos, discussões, risos, críticas, paqueras, beicinhos, sono, muito riso, deboche, centenas de fotos, passeios, brincadeiras, risos... Tem volta, de certeza.

Melhor do que relatar, irei publicar algumas fotos pra vocês. E se você ainda não foi à Bahia nêga, então vá.



Forte de São Lourenço na Vila de Itaparica - BA
Mania de jornalista querer escrever em tudo e sobre tudo...


Mangue Seco - BA [Vila de Santa Cruz de alguma coisa]
Terra de Tieta, personagem de Jorge Amado, e local onde rodaram as cenas da novela e do filme baseado na obra de painho. Andei de "bugre" pelas dunas onde passeou Betty Faria, bem feliz. Conheci os coqueiros Romeu e Julieta e entrei na casa de Perpétua, hoje, uma casa de doces. Diliça!










Comentários

Ai que legal.....ainda vou pra lá....e o sunquinão verde bombou?hehe
Bah, o sunquinão era corpo e janela [do Hotel], direto! Tem que ir Polly. O problema é não querer voltar... Ano que vem tô lá de novo.
Lidia Ferreira disse…
Sou louca para conhecer a Bahia amiga , loucaaaaa
bjs
menina fê disse…
ai, nega, que delícia!!!!!!!

muito feliz por ti!
um dia vou pra bahia, sim!

que isso tudo perdure.
bjs meus
Lidia

Vá nêga, vá. Não há arrependimento. Dizem, que pra quem tem pique, o bom é o carnaval. Eu, que já tô velha e sempre dizia que iria no Carnaval, estou arregando. A Bahia é muito intensa em baixa temporada. Está bom demais!!!

Menina Fê, minha linda, isso continua e creio que vai durar por um bom tempo ainda. O clima é muito bom e isso vai na alma da gente. Vai que sei que não se arrependerá também. Beijocas no coração.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe