quarta-feira, 6 de outubro de 2010

DIETA: Só nas segundas feiras

No Nova Schina [Salvador], lugar onde se vende o melhor pastel de camarão da cidade


Eu gosto muito de saladas, mas aqui em casa o povo é bem carnívoro e deve trazer hábitos de vidas passadas, que com certeza deve ser italiana. Porém, nunca foi sacrifício nenhum comer verduras e legumes para mim. Nem frutas. O problema é a variedade e o preparo do antepasto quando se cozinha em casa. É chato demais lavar um pé de alface ou de outra verdura qualquer.

Mas agora é regra. Meu irmão se encorajou e começou uma dieta. Desde esta segunda feira ele come muita verdura e pouco ou quase nada de carboidrato. E na hora do lanche – frutas. O bichinho come um melão inteiro no café da manhã...

Descobri que dieta eu começo só nas segundas feiras. Mas na próxima. Essa eu ainda não estava preparada. Afinal, acabei de voltar da Bahia e preciso recuperar o paladar para pratos da terra de novo. A nossa viagem também começou numa segunda. Foram dez dias comendo frutos do mar. Eu e a Mara já nos sentíamos baianas típicas e no mesmo dia que chegamos na capital sotelopolitana [coisa do Sérgio essa palavra chic] já mandamos ver no cardápio local. No quarto dia de abstinência de um bom bife de gado me encontrava em crise de proteína. Definitivamente, eu preciso de carne vermelha. Por isso, agora estou enchendo o barrigão [&#] de assados, churrasco, carreteiro, grelhados e coisa e tal.

O bom dessa estada na Bahia é que a comida era leve. Saborosa, mas leve. Tá! Com muito óleo, mas o colesterol das nêgas é baixo. Então não tem problema. Era moqueca de camarão, mista [camarão e peixe], bobó de camarão, camarão grelhado, ostra, caranguejo, siri, peixe frito, pastel de siri, de camarão, acarajé... Tanto ômega 3 que quase tive uma overdose.

Em Salvador conhecemos o Sérgio, um paulista do interior do Estado, gente boa pacas. Na verdade conhecemos o guri no aeroporto internacional Deputado Luiz Eduardo Magalhães. Ele veio no mesmo vôo que nós, desde a escala em Campinas e já na segunda à noite saímos para conhecer o que a Bahia tinha. De cara mandamos pastéis de camarão, siri e a famosa caipiroska. Depois disso foram só orgias gastronômicas...

Na Praia da Barra, em Salvador, o guri mandou ver nas ostras. Eu, que fui enganada pelo vendedor, passei minha iguaria pro paulista, que não interessava se era cru ou cozido. Mandava ver bonito! A Mara, consumidora gaúcha e oficial de acarajé, não comia o rabo e a cabeça dos camarões. Quem degustava? O Sérgio...

Do trio, a única comedida era eu: mandava ver na salada. Descobri que amo cebola e tomate. Não sobrava uma rodela para contar histórias... Por isso que agora prefiro manter dietas de lado e voltar aos velhos hábitos.


Eu, Sérgio e Mara, almoçando na Praia de Patamares, em Salvador

6 comentários:

Silvia Angélica Palma disse...

Puta que o pariu...tu não parou de mastigar....porque não se empenhou em achar um baiano pra beijar e acalmar essa boca nervosa..hehehe

Tu gosta de salada...humpf..sei, sei....

Silvia Angélica Palma disse...

Por que não beijou o Sérgio de uma vez? heim?

Cor de Rosa e Carvão disse...

Bah, essa era a intenção. Mas quando tu olha o cardápio, quer é comer. Hehehe. O

Sérgio é gatinho, mas não era pro meu bico não... Depois, ele é paulista e eu queria um baiano. Mas os "primos", quando se trata de pegada, são bem rapidinhos. Dá meda!

menina fê disse...

tbm acho um saco lavar verduras e legumes. agora, falar em dieta na bahia??? hahaha im-pos-sí-vel!!!

segunda que te aguarde, aí sim!!!

bjs, nêga.

Nanda Assis disse...

que vidãoo lindaa!!!!! ameii o cabelo.
adoreii a footo, e manda a dieta ir caçar o canto dela, q nos queremos é ser feliz.

bjosss...

Eugenia disse...

Postagem com cara de folha de revista, adorei e as dicas de guloseimas então...hum dá até água na boca.
Linda muito linda mesmo, um abração pra ti.