terça-feira, 17 de agosto de 2010

Quem vê cara não vê coração


Pensei que fosse chegada a hora de tirar o luto. Não visto preto. Não reduzo compromissos sociais. Não choro as picas, mas sinto dor e saudade. Aqui em casa é assim; cada um chorando a sua maneira. E claro que as dores são perceptíveis... Mas só para quem enxerga além do seu nariz.

Semana passada fui tomar um café com uma estranha. Sim, nos conhecemos, mas não somos íntimas e nunca quis ser. Mas ela se sentiu a vontade para me olhar e dizer: “Como tu está bem guria. Se eu tivesse perdido o pai não estaria assim. Meus pais são meu porto seguro”. Por hora eu fiquei pensando: “Mando tomar no cú agora ou depois?”

Respirei fundo e decidi explicar que 2+2 é quatro, mas que gosto mais do número cinco. Pronto! Com a morte a gente aprende que viver esta vida deve ser sempre levada mais a sério, com respeito e compartilhamento. O que é meu não necessariamente precisa ser só meu na verdade. Pode ser nosso!

Então, mantive meu equilíbrio emocional com a guria. O luto também. Tratei de assuntos gerais e profissionais rapidamente e voltei pro aconchego em minha casa.

[post programado]

7 comentários:

Fernand's disse...

pois eu gostaria de ter a tua força e serenidade. parabéns.

seja bem vinda ao benditas...

graned bj.

Fernand's disse...

aliás, o títiulo explica tudo!

Anônimo disse...

Menina...vc está completamente certa. Talvez as pessoas tenham essa reação, justamente por não ter passado ainda pelo que vc passou...a perda nos faz refletirmos sobre nós mesmos. Quem sabe essa tua desconhecida conhecida ainda vá pensar da mesma forma que vc...futuramente!
Bjsssss da Rou.

jana disse...

nega "degraçada"
muda para a vivo e fico 32 min de papo ao telefone c/ vc, kkkk
não esqueci do nosso encontro, acho que vai ficar para o começo do mês. vou te levar para encher o cú no tudo pelo social, kkkk
bjs

Eugenia disse...

Nunca sei o que dizer nesses momentos, sou péssima nisso. As pessoas falam coisas que não queremos ouvir, uns até aproveitam pra tirar uma casquinha pra ver se somos de madeira ou louça.
Nada como um bom chá quentinho, meias nos pés e uma boa cama pra um coração partido...Eu entendo sua perda, muitos entes queridos se forão.
Um abração Rosinha

Anônimo disse...

O QUE SE FAZ QAUNDO SE SENTE SEM CHÃOOOO SEM VIDA .. QUANDO A PESSOA QUE VC AMA MUITOOOOOOOO TE TARAI, MENTE... QUE DORE ESSA!!

Cor de Rosa e Carvão disse...

Anônimo

É uma dor insuportável. Eu sei! É algo que corrói o estômago e chega as costas, fazendo com que a gente se dobre sobre a cama e queira ficar lá, quase que pra sempre. Um dor que sai pelos olhos, com as lágrimas, e entra pelos ouvidos, a narina e a boca, abundantemente...

Mas fique certa caro anônimo: nenhuma dor de amor [desse tipo] é maior do que a dor da perda de quem, seguramente, sabes que te ama e que é recíproco. A dor de amor passa. Demora, mas passa. Marca, mas passa. Dá raiva, ódio até, distraí a gente, nos desvia do caminho, tira nosso foco, nosso prazer de viver. Mas tem fim.

Só a dor da perda da pessoa amada para o anjo da morte que não tem fim, pois, depois de muito, mas muito tempo, ela vira saudade. E saudade é pra sempre. E o que é pra sempre, fica sem substituto...

Levanta a cabeça caro anônimo, sacode a poeira e dá a volta por cima. Ponto!