domingo, 8 de agosto de 2010

Amor com amor se paga




Quando a gente ama, tudo fica melhor. Ou algo parecido era o que cantava Renato Russo. Não lembro. Também não sei descrever o que sinto, mas sei que ainda vivo um período de luto. Por meu pai e pelos amores que deixei.

O primeiro amor não passa. Não ameniza e ainda me sensibiliza ao extremo nesses dias cujo tema são eles: os pais. Eu tenho um, mas não estou mais com ele. E esse lance de que ele está ao meu lado, sempre, não me satisfaz. Já não posso mais ouvir sua voz, sentir seu abraço, receber o seu beijo ou só brigar por estar de saco cheio ou ter sido contrariada.

A saudade e a distância nesses casos são ingredientes terríveis ao meu pobre coração. Às vezes esse músculo aperta ao lembrar dos momentos agradáveis ao lado dos meus amores da Terra do Nunca. E ele aperta. Mais uma vez resisto a tentação de contatá-los. Imagino que ao passar o período de luto a dor acaba. Daí, acredito, poderei rever e ouvir os amigos sem lacrimejar.

No final, a esperança que nunca me abandona reforça a ideia – talvez ingênua ou piegas – de que amor com amor se paga. Sempre...
[post programado]

Um comentário:

Nanda Assis disse...

qnta doçuraaa.


bjossss...
´´´´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶´´´´´
´´´´´´´1¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶´´´´
´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶´´´
´´´´´o¶¶¶¶¶¶¶$´´´´´´´ø¶¶¶¶¶¶´´
´´´´´¶¶¶¶¶¶´´´´´´´´´´´´´ø¶¶¶¶´
´´´´¶¶¶¶¶¶´´´´´´´´´´´´´´´o¶¶¶´
´´´¶¶¶¶¶¶¢´´´´´´´´´´´´´´´´$¶¶´
´´´¶¶¶¶¶ø´ø¶$¶¶¶ø´´´´´´´´´1¶¶1
´´o¶¶¶¶¶´1o¶¶¶¶¶´´´1¶¶ø¢o$´¶¶¶
´´¶¶¶¶¶´´´´´7o71´´´¶¶øø$1´¶¶¶ø
´$¶¶¶¶¶o´´´´´´´´´´´¶´¢¶¶¶o¶¶¶ø
7¶¶¶¶¶1´´´´´´´´´´´´$´´´´´7¶¶¶ø
ø¶¶¶¶¶7´´´´´´´´´1´´¶´´´´´¶¶¶¶ø
¶¶¶¶¶¶¶¶´´´´´´¢¶¶¶¶7´´´´¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶¶¶1´´¶¶¶¶¶ø¶¶ø´o¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶$¶¶´´7117¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶o¶¶¶¶´´´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶7´¶¶¶¶¶oo7$¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶7´´¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶¶´´´´´ø¶¶¶¶¶¶¶´´¶¶¶¶¶¶¶¶
¶¶¶¶¶¶o´´´´´´´´´´´´´´´¶¶¶¶¶¶¶